Da vila pesqueira ao complexo turístico imobiliário: práticas espaciais na transformação do litoral metropolitano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v15i3.69192

Resumo

Em uma lógica de ocupação marcada pela convergência dos capitais imobiliário e turístico, o litoral metropolitano nordestino tem sido espaço estratégico no século XXI para a implantação de mega empreendimentos turístico imobiliários, dos quais destacamos os Complexos Turísticos Imobiliários - CTIs. Com o estudo de caso do Complexo Vila Galé Cumbuco, localizado no município de Caucaia, região metropolitana de Fortaleza, Ceará, buscamos analisar as práticas espaciais dos agentes produtores do espaço hegemônicos envolvidas na gestão do território, notadamente os empreendedores de capital turístico e imobiliário, o Estado e os proprietários fundiários. Apoiada em pesquisa bibliográfica e documental em Diários Oficiais do estado e município, matérias jornalísticas e legislações, o artigo argumenta que as práticas de seletividade, antecipação e fragmentação espacial são substanciais na transformação dos espaços litorâneo-metropolitanos, e suas leituras elucidam o conteúdo espacial de ações decisivas que não se limitam ao caráter administrativo/empresarial.

Palavras-chave: Práticas Espaciais. Agentes hegemônicos. Complexo Turístico Imobiliário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-20

Como Citar

SILVA, N. G. de S.; QUEIROZ PEREIRA, A. Da vila pesqueira ao complexo turístico imobiliário: práticas espaciais na transformação do litoral metropolitano. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 15, n. 3, p. 49–66, 2021. DOI: 10.5216/ag.v15i3.69192. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/69192. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos