Rede urbana e produção de territórios: abordagens, agentes e inter-relações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v14i3.67447

Resumo

Na tentativa de vincular a rede urbana à produção de territórios, este artigo se estrutura em quatro tópicos. No primeiro tópico, buscou-se elucidar o significado de rede urbana, aproximando-a da etimologia do conceito rede. No segundo tópico, procurou-se entender a rede urbana como uma organização espacial atrelada às relações de poder. Em terceiro, relacionou-se os tipos de abordagens em redes urbanas, com ênfase para a divisão territorial do trabalho. Em quarto, foram identificados os principais agentes produtores espaciais da rede urbana, detentores dos meios que viabilizam o processo de circulação da produção por meio de redes diversas, apontando práticas e estratégias que apresentam conflitos de interesses tanto nos centros urbanos, quanto entre os mesmos. Por ser materialmente espacializada, a rede urbana é resultado das relações socioespaciais em determinado território, portanto, resultante da produção de territórios.

Palavras-chave: Rede urbana. Produção de territórios. Relações de poder. Agentes produtores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-20

Como Citar

SANTOS, I. D. Rede urbana e produção de territórios: abordagens, agentes e inter-relações. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 14, n. 3, p. 175–191, 2020. DOI: 10.5216/ag.v14i3.67447. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/67447. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos