Ciclo dos supercontinentes e reflexos morfoestruturais no Noroeste do Ceará/Brasil

Autores

  • Francisco Leandro de Almeida Santos Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.
  • Flávio Rodrigues do Nascimento Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7382-6853
  • Vanda Claudino Sales Universidade Vale do Acaraú, Sobral, Ceará, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9252-0729

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v14i3.63793

Resumo

A história geológica registra a ocorrência de quatro supercontinentes (Columbia, Rodínia, Panotia/Gondwana e Pangea). Vestígios desses eventos são reconhecidos no Noroeste do Ceará através dos seguintes episódios: (1) Orogênese Transamazônica/Atlântida (massas continentais do Columbia),  gerando o Complexo Granja (2,0 Ga); (2) divisão do Columbia, gerando klippe (1,7 Ga); (3) rifteamento do Rodínia (800-750 Ma), com a deposição de sequências supracrustais neoproterozoicas; (4) aglutinação do Panotia/Gondwana (Orogênese Brasiliana, 665-590 Ma), criando a Cadeia Brasiliana; (5) colapso de orógenos e formação das bacias do Jaibaras e Parnaíba,  a partir da divisão do Panotia (530-515 Ma); (6) deposição do Grupo Serra Grande na Bacia do Parnaíba (440 Ma), associado com a deriva do Gondwana; (7) rifteamento intracontinental (145-120 Ma) gerando soerguimento da Bacia do Parnaiba e exumação de granitos, seguido da abertura do Atlântico, a partir da fissão do Pangea/Gondwana (120-100 Ma); 8) soerguimento flexural do interior do continente (a partir de 65 Ma), reativação crustal no Maciço da Meruoca e circunsdenudação na Bacia do Parnaíba, gerando o Glint da Ibiapaba.

Palavras-chave: supercontinentes; tectônica de placas; megageomorfologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-08-07

Como Citar

SANTOS, F. L. de A.; RODRIGUES DO NASCIMENTO, F.; CLAUDINO SALES, V. Ciclo dos supercontinentes e reflexos morfoestruturais no Noroeste do Ceará/Brasil. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 14, n. 2, p. 67–90, 2020. DOI: 10.5216/ag.v14i3.63793. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/63793. Acesso em: 25 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos