Justiça e reconhecimento socioespacial à escala da vizinhança: contribuições teóricas para a reflexão ética sobre a geografia

Autores

  • Ignacio Rojas Pontificia Universidad Católica de Chile, Santiago, Chile

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v14i2.63599

Resumo

As discussões sobre justiça na filosofia política aplicada moderna levaram as diferentes disciplinas sociais a interessar-se pela reflexão sobre as injustiças que ocorrem nas suas áreas de estudo. Neste artigo é feita uma reflexão a partir da geografia ética sobre a justiça espacial e as injustiças que se desenvolvem e se produzem à escala do bairro. Para este efeito, a Teoria do Reconhecimento de Axel Honneth é considerada como a base para propor o conceito de reconhecimento espacial. As questões que irão orientar o trabalho são: qual é a escala de justiça realmente justa? podem ser dadas respostas normativas às exigências da justiça espacial à escala do bairro a partir da teoria do reconhecimento? Espera-se que estas reflexões permitam uma investigação mais profunda da (re)produção de injustiças espaciais por parte de geógrafos críticos.

Palavras-chave: reconhecimento de vizinhança, injustiças espaciais, escalas de justiça e ética espacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2020-12-20

Como Citar

ROJAS, I. Justiça e reconhecimento socioespacial à escala da vizinhança: contribuições teóricas para a reflexão ética sobre a geografia. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 14, n. 3, p. 100–115, 2020. DOI: 10.5216/ag.v14i2.63599. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/63599. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos