Impactos da acumulação com predominância financeira sobre a nova Geografia industrial – processos produtivos, competitividade e diferenciação espacial

Autores

  • Edilson Alves Pereira Júnior Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, Ceará, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v13i3.59279

Resumo

O artigo examina as consequências da acumulação com predominância financeira sobre a organização do mundo industrial, ao considerar o conjunto de mudanças dos processos produtivos como um desdobramento importante das alterações consolidadas pelas configurações capitalistas contemporâneas. São trabalhadas as formas segundo as quais o imperativo da acumulação pela via financeira submete as empresas industriais à sua lógica competitiva, exigindo delas desempenhos de produtividade que superem os padrões anteriormente estabelecidos pela configuração do tipo fordista. A intensão é investigar as novas Geografias dessas transformações, cujo resultado é a constituição de uma relação articulada de territórios unidos por uma divisão do trabalho turbulenta e dinâmica, num arranjo contraditório de diferentes margens espaciais de lucratividade.

Palavras-chave: Financeirização; Indústria; Diferenciação espacial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2019-12-20

Como Citar

PEREIRA JÚNIOR, E. A. Impactos da acumulação com predominância financeira sobre a nova Geografia industrial – processos produtivos, competitividade e diferenciação espacial. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 13, n. 3, p. 29–45, 2019. DOI: 10.5216/ag.v13i3.59279. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/59279. Acesso em: 7 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos