Região Imediata de Dianópolis - Tocantins: interpretando suas atividades produtivas

Autores

  • Roberta Mara de Oliveifra Vergara Universidade Federal do Tocantins, Palmas, Tocantins, Brasil.
  • Samuel Ferreira da Fonseca Universidade Federal do Tocantins, Palmas, Tocantins, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0327-646X
  • Nilton Marques de Oliveira Universidade Federal do Tocantins, Palmas, Tocantins, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v14i1.57702

Resumo

O objetivo deste artigo foi analisar o desenvolvimento da Região Imediata de Dianópolis (RID), sudeste do Tocantins. Adotou-se o Quociente Locacional (QL) em relação ao pessoal ocupado em empregos formais nos oito setores econômicos, destacando a agricultura. Para cálculo do QL das atividades produtivas, coletou-se dados secundários na base de dados do Ministério do Trabalho e Emprego, entre 2006 e 2016. E, analisou-se a dinâmica do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), relacionando os valores deste com o QL. Observou-se que somente os municípios de Almas, Aurora do Tocantins e Novo Alegre possuíam QL significativo para agropecuária, extração vegetal, caça e pesca, em 2006. Por outro lado, 10 (71,4%) dos 14 municípios, possuíam QL significativo para Administração Pública em 2006, alterando para 11 (78,6%) em 2016. O desempenho locacional indica o avanço das atividades agropecuárias em 50% dos municípios da RID em 2016. O alto valor de QL para o referido setor em 2016 reflete os impactos positivos do projeto de irrigação Manoel Alves, inaugurado em 2008.

Palavras-chave: Desenvolvimento Regional, Região imediata de Dianópolis, Quociente locacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-04-21

Como Citar

VERGARA, R. M. de O.; FONSECA, S. F. da; OLIVEIRA, N. M. de. Região Imediata de Dianópolis - Tocantins: interpretando suas atividades produtivas. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 14, n. 1, p. 47–68, 2020. DOI: 10.5216/ag.v14i1.57702. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/57702. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos