A mineração na região do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba: agente de modernização e formação de fronteira

Autores

  • Rita de Cassia Martins de Souza Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v11i3.53151

Resumo

Resumo

A busca por minerais como o ouro e a prata ou as pedras preciosas foi um dos maiores empreendimentos desde a colonização no Brasil. Para além de se constituir simplesmente numa atividade econômica, a mineração gerou uma dinâmica intensa sobre o interior do território e por isso mesmo ela teve papel decisivo para a formação territorial brasileira. A área mais restrita a que diz respeito este trabalho, a região do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, refere-se a uma parte do “grande interior” em que a mineração desempenhou e ainda desempenha funções de extrema importância tanto no sentido da geração de riquezas, como também para a própria constituição das sociedades locais e seus processos de formação. Desta forma, este trabalho vem contribuir para a compreensão da mineração enquanto um agente primordial para a formação territorial na área compreendida pela região administrativa do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba no Estado de Minas Gerais. Apresenta uma periodização para a mineração praticada na área procurando compreendê-la no processo mais amplo da formação territorial brasileira em seus momentos mais decisivos.

Palavras Chave: Mineração, Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, periodização, fronteira


Abstract

Besides being simply an economic activity, mining was generating an intense dynamic on the interior of the territory and, for this reason, it had a decisive role in Brazilian territorial formation. This study concerns about the Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba area, usually referred as part of the "great interior" where the mining sector has played, and still plays, a role of utmost importance in terms of wealth generation, as well as in the constitution of the local societies and their processes of formation. Thus, this study intends to understand mining as an primordial agent for territorial formation in the area covered by the Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, an administrative region in the State of Minas Gerais. A periodization for mining practiced is in the area was presented, looking to understand it in the broader process of the Brazilian territorial formation, in their most decisive moments.

Keywords: Mining, Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, Periodization, Frontier

 

Résumé

La recherche pour les minéraux comme l’or, l’argent ou les pierres précieuses a été une des plus grandes entreprises depuis la colonisation du Brésil. En plus d’être simplement une activité économique, l’exploitation minérale a généré une dynamique intense sur le territoire et, pour cette raison, elle a joué un rôle décisif dans la formation territoriale Brésilienne. La région la plus restreinte concernant ce travail est la région du Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, qui concerne la partie du “grande interior”, dans laquelle l’exploitation minière jouait et excerce encore des fonctions d’extrême importance, à la fois pour la génération de richesses, ainsi que pour la propre constitution des societés locales et leurs processus de formation. Ainsi, ce travail vient contribuer à la compréhension de l'exploitation minière en tant qu' agent primordial pour la formation territoriale dans la zone comprise dans la région administrative du Triângulo Mineiro / Alto Paranaíba, dans l'État de Minas Gerais. Une périodisation pour l'exploitation minière pratiquée dans la région a été présentée, afin de la comprendre dans le processus plus large de la formation territoriale brésilienne dans ses moments les plus décisifs.

Mots clés: Exploitation minière, Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, périodisation, frontière

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-05-30

Como Citar

SOUZA, R. de C. M. de. A mineração na região do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba: agente de modernização e formação de fronteira. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 11, n. 3, p. 21–33, 2018. DOI: 10.5216/ag.v11i3.53151. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/53151. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos