Da geopolítica dos estados a geopolítica das corporações transnacionais: a metamorfose do Cerrado brasileiro em soja e cana-de-açúcar - DOI 10.5216/ag.v7i3.25795

Autores

  • Elisa Pinheiro de Freitas Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v7i3.25795

Resumo

Resumo

Discutir a Geopolítica e discernir qual é o vínculo que esse saber tem com o Estado e, atualmente, com as Corporações, sem dúvida, não é uma tarefa nada trivial. Nesse sentido, o desafio que este artigo se propõe é o de buscar demonstrar que as disputas por território, recursos, poder entre outras que no passado envolveram e foram lideradas basicamente pelos Estados nacionais, no período atual essa competição tem sido conduzida muito mais pelas Corporações Transnacionais. Não obstante, como se altercará, os Estados nacionais e suas ações ainda são imprescindíveis para que as estratégias corporativas alcancem a máxima eficácia, uma vez que o capitalismo enquanto sistema econômico hegemônico apenas se realiza quando se amalgama com o Estado. E no caso do Brasil, as Corporações Transnacionais que atuam nos circuitos espaciais produtivos da soja e da cana-de-açúcar tem imprimido novas dinâmicas no Cerrado que progressivamente se metamorfoseia em soja e cana, cultivos estes que visam prioritariamente a produção de commodities para abastecimento do mercado global.

Palavras-chave: Geopolítica dos Estados, Geopolítica das Corporações Transnacionais, Circuitos espaciais produtivos.

 

Abstract

Discuss the Geopolitical and discern what is the bond that one has to know the State and currently with the Corporations certainly is not a trivial task. In this sense, the challenge that this paper proposes is to seek to demonstrate that disputes over territory, resources, power and others involved in the past and were led primarily by national states, in the current period, this competition has been driven more by Transnational Corporations. Nevertheless, as is wrangle, national states and their actions are still needed so that the corporate strategies achieve maximum effectiveness, since capitalism as the hegemonic economic system will be realized when it amalgamated with the State. And in the case of Brazil, Transnational Corporations that operate in productive spatial circuit of soybean and sugar cane have printed new dynamics in the Cerrado that gradually metamorphoses into soybean and sugarcane crops they aimed primarily commodity production to supply the global market.

Keywords: Geopolitics of the States, Geopolitics of Transnational Corporations, Productive spatial circuit.

 

Resumen

Discutir la Geopolítica y discernir lo que es el vínculo que este conocimiento tiene con el Estado y, en la actualidad, con las Corporaciones, sin duda no es una tarea trivial. En este sentido, el desafío que este trabajo propone es tratar de demostrar que las disputas por el territorio, los recursos, la energía y otras personas involucradas en el pasado y fueron conducidos principalmente por los Estados nacionales, en el período actual, esta competencia ha sido impulsado más por empresas Transnacionales. Sin embargo, al igual que disputa, los Estados nacionales y sus acciones que aún se necesitan para que las estrategias de las empresas a alcanzar la máxima eficacia, ya que el capitalismo como sistema económico hegemónico se realizará cuando se fusionó con el Estado. Y en el caso de Brasil, las empresas transnacionales que operan en la producción de circuitos espaciales de la soja y la caña de azúcar ha impreso una nueva dinámica en el Cerrado que metamorfosea poco a poco en la soja y la caña de azúcar que se dirigen principalmente a la producción de mercancías para abastecer el mercado mundial.

Palabras-clave: Geopolítica de los Estados, Geopolítica de las Empresas Transnacionales, Circuitos espacio productivo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisa Pinheiro de Freitas, Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo

Bacharel e Licenciada em Geografia pela Universidade de São Paulo (2003). Mestre em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (2008). Doutora em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo, com estágio de doutoramento na Universidade de Lisboa. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Agrária, Geografia Econômica, Geografia Política e Geografia dos Recursos Naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: questão agrária, movimentos sócios-territoriais, políticas de ordenamento territorial voltadas para a regulação da produção de recursos energéticos alternativos, tais como os biocombustíveis. Também possui larga experiência no ensino de Geografia e em políticas voltadas para a educação pública.

Downloads

Publicado

2013-12-28

Como Citar

FREITAS, E. P. de. Da geopolítica dos estados a geopolítica das corporações transnacionais: a metamorfose do Cerrado brasileiro em soja e cana-de-açúcar - DOI 10.5216/ag.v7i3.25795. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 7, n. 3, p. 55–78, 2013. DOI: 10.5216/ag.v7i3.25795. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/25795. Acesso em: 6 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos