O meio como ambiente: da emergência às críticas de um conceito - DOI 10.5216/ag.v8i2.24425

Autores

  • Carlos Francisco Gerencsez Geraldino Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v8i2.24425

Resumo

Resumo

Este artigo tem como objetivo problematizar o conceito de meio ambiente presente no corpo teórico da geografia brasileira. A emergência do discurso ambiental a partir de meados do século passado trouxe ao vocabulário dos geógrafos o conceito de meio sob o rótulo de meio ambiente e, apesar de essa nova designação ter se espraiado na ciência geográfica, sofreu, por contrapartida, uma quantidade considerável de críticas relativas à sua consistência epistemológica, bem como às suas reais intenções sociais. O que se segue, portanto, é uma análise da presença desse conceito no campo institucional da geografia brasileira e das críticas que recebeu por parte de uma gama seleta de geógrafos. 

Palavras-chave: conceito; meio ambiente; geografia; epistemologia.

 

Abstract

This article aims to discuss the concept of environment present in the theoretical field of Brazilian geography. The emergence of the environmental discourse from the middle of the last century brought to the vocabulary of geographers the concept of medium under the label environment and, although this new designation has become widespread in geographical science, suffered, by contrast, a considerable amount of criticism of his epistemological consistency, as well as their social intentions. What follows, therefore, is an analysis of the presence of this concept in the institutional field of Brazilian geography and the criticism it received from a select range of geographers.

Keywords: concept; environment; geography; epistemology.

 

Resumen

Este artículo tiene como objetivo discutir el concepto de medio ambiente presente en el campo teórico de la geografía brasileña. El surgimiento del discurso ambiental desde la mitad del siglo pasado trajo el vocabulario de los geógrafos el concepto de medio bajo el sello del medio ambiente, y aunque esta nueva designación tiene muy extendido en la ciencia geográfica, sufrió, en contraste, una cantidad considerable de la crítica de su consistencia epistemológica, así como sus intenciones sociales. Lo que sigue, por lo tanto, es un análisis de la presencia de este concepto en el ámbito institucional de la geografía brasileña y las críticas que recibió de una selecta gama de geógrafos.

Palabras clave: concepto, medio ambiente, geografía, epistemología.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Francisco Gerencsez Geraldino, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Geografia (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Estadual de Londrina (2005 e 2006), especialização em História e Filosofia da Ciência pela Universidade Estadual de Londrina (2007) e mestrado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (2011). Atualmente é doutorando em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas. Tem experiência na área de docência nos níveis Fundamental, Médio e Superior, e na área de pesquisa em Geografia, com ênfase em epistemologia e história do pensamento geográfico.

Downloads

Publicado

2014-04-29

Como Citar

GERALDINO, C. F. G. O meio como ambiente: da emergência às críticas de um conceito - DOI 10.5216/ag.v8i2.24425. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 8, n. 2, p. 198–220, 2014. DOI: 10.5216/ag.v8i2.24425. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/24425. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos