Estrada de ferro: o anúncio das metamorfoses de modernização do território no Sudeste Goiano - DOI 10.5216/ag.v6i1.18768

Autores

  • Patricia Francisca de Matos UFU

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v6i1.18768

Resumo

No início do século XX, ocorreu um fator de primordial importância para a arrancada do desenvolvimento em Goiás e para a modernização do território: a implantação da ferrovia na porção Sudeste do estado. A chegada da ferrovia em terras goianas significou muito mais que um moderno meio de circulação. Considerada como um símbolo de modernidade e de expansão capitalista, a ferrovia viabilizou a integração do estado a economia do Sudeste do Brasil, por meio de uma nova divisão do trabalho, ou mais especificamente, nas relações capitalistas de produção. Assim, conceber a ferrovia como um símbolo da expansão capitalista para Goiás, requer colocá-la na lista das mudanças que houve nesse período nas formas de produção e de circulação e também nos modos de vida da população dos espaços geográficos contemplados com a implantação dos trilhos. Logicamente, o impacto mais forte da inserção da ferrovia foi onde se construiu a primeira parte, que abrangeu as cidades de Catalão, Goiandira, Ipameri, Urutaí e Pires do Rio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-05-31

Como Citar

DE MATOS, P. F. Estrada de ferro: o anúncio das metamorfoses de modernização do território no Sudeste Goiano - DOI 10.5216/ag.v6i1.18768. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 6, n. 1, p. 189–217, 2012. DOI: 10.5216/ag.v6i1.18768. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/18768. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos