Bases de dados geográficas digitais no Brasil: formatos, acessibilidade e aplicações - DOI 10.5216/ag.v6i1.18764

Autores

  • Wallas de Souza Castro UFG
  • Manuel Eduardo Ferreira UFG

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v6i1.18764

Resumo

Este artigo objetiva destacar as principais bases de dados geográficas digitais para o Brasil (atualizadas até 2011), descrevendo-as quanto aos formatos, acessibilidade e aplicações. Através de incentivos públicos e/ou privados para a democratização da informação geográfica, aliado a um volume de dados sem precedentes na história, tais arquivos são hoje disponibilizados gratuitamente pela internet, todos georreferenciados. As informações são distribuídas em formatos tabulares, vetoriais e matriciais, ocasionalmente acompanhadas por metadados, softwares ou material textual (artigos científicos, dissertações, teses e relatórios). Na mesma dinâmica, cresce o desenvolvimento de sistemas operacionais e aplicativos voltados para a visualização e análise das informações geográficas em ambiente online, denominado de nuvem, no qual é permitida a criação de mapas temáticos, sem a necessidade de softwares específicos instalados no computador do usuário. Ressalta-se, por fim, que estes portais têm sido utilizados como fontes de pesquisa e mapeamento, essenciais para o desenvolvimento científico e socioeconômico do país, sobretudo na elaboração de políticas públicas em nível de municípios, estados, regiões, bacias hidrográficas e biomas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-05-31

Como Citar

CASTRO, W. de S.; FERREIRA, M. E. Bases de dados geográficas digitais no Brasil: formatos, acessibilidade e aplicações - DOI 10.5216/ag.v6i1.18764. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 6, n. 1, p. 92–122, 2012. DOI: 10.5216/ag.v6i1.18764. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/18764. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos