Aspectos da mineração e impactos da exploração de quartzito em Pirenópolis-GO - DOI 10.5216/ag.v4i11.11968

Autores

  • Flávio Fernandes Faleiro CPRM/SGB
  • Luciana Maria Lopes UFG

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v4i3.16655

Resumo

O município de Pirenópolis-GO, juntamente com os municípios vizinhos (Corumbá e Cocalzinho), responde pela maior parte da produção mineral de quartzito ornamental do estado de Goiás. O quartizito, amplamente utilizado na construção civil como revestimento é, através do método de lavra em mina a céu aberto, extraído no município desde o período colonial, de forma rudimentar, por mão-de-obra familiar. Anterior a qualquer legislação que disciplina a atividade de mineração, a exploração de quartzito acumulou, ao longo de pouco mais de um século, um grande passivo ambiental devido à falta de aprimoramento técnico, organização e racionalização da atividade. O presente trabalho objetivou compreender os aspectos gerais da produção de quartzito e os principais impactos da atividade no município. Conclui-se que os principais impactos ambientais da mineração de quartzito relacionam-se à disposição de rejeitos atual e pretérita e ao risco à saúde do trabalhador, nas diversas etapas de produção. O presente trabalho justificou-se pela necessidade do conhecimento de realidades ambientais e sócio-econômicas oriundas da atividade da mineração do quartzito que, na região de Pirenópolis, responde por centenas de empregos diretos e indiretos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-12-23

Como Citar

FALEIRO, F. F.; LOPES, L. M. Aspectos da mineração e impactos da exploração de quartzito em Pirenópolis-GO - DOI 10.5216/ag.v4i11.11968. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 4, n. 3, p. 148–162, 2011. DOI: 10.5216/ag.v4i3.16655. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/16655. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos