A organização social dos assentados do Vereda I: trajetórias singulares - DOI 10.5216/ag.v6i2.14766

Autores

  • Romarco Leles Oliveira Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v6i2.14766

Resumo

Este texto procura analisar a organização social em assentamentos rurais na região de Brasília capital do Brasil. Procurando compreender as razões que levaram trabalhadores a migrarem do campo para as cidades, e depois para áreas de assentamentos. Nesse estudo de caso, utilizou-se da história oral e de entrevistas como técnicas para coleta das informações. Observou-se que, a falta de perspectiva em permanecer em seus locais de origem, aliada ao encantamento que a cidade exercia sobre eles, foram os principais fatores na decisão de migrar para Brasília. Porém, as condições de vida na cidade foram difíceis, pela falta de qualificação e trabalho. Resolvem partir para assentamentos rurais, neste espaço os migrantes vão reproduzir os valores comuns à origem e à suas trajetórias e como estratégia de superação de problemas encontrados por eles na cidade, tornando-se o lugar de sua organização social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Romarco Leles Oliveira, Universidade Federal de Viçosa

Professor de Extensão Rural do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa

Downloads

Publicado

2012-08-28

Como Citar

OLIVEIRA, R. L. A organização social dos assentados do Vereda I: trajetórias singulares - DOI 10.5216/ag.v6i2.14766. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 6, n. 2, p. 176–201, 2012. DOI: 10.5216/ag.v6i2.14766. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/14766. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos