A exposição de um corpo qualquer singular:

performatividade e discursividade na performance em dança SOB Medida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v7i1.66581

Resumo

A partir de uma descrição fenomenológica da performance em dança SOB Medida, um trabalho que expõe dois corpos femininos gordos em cena, o presente ensaio discute como nessa coreografia se cruzam dimensões performativas e discursivas na defesa da existência de um corpo feminino gordo, e pergunta até que ponto o direcionamento da atenção dos espectadores ora para a dimensão física ora para a dimensão social desestabiliza e desnaturaliza a relação entre ambos. Afirma que esse cruzamento em SOB Medida configura uma defesa criticamente festiva do corpo humano como um corpo qualquer, mas singular, num movimento que pode ser lido como defesa de uma política identitária enquanto ação, mas esvaziando ela enquanto categoria substancial. Finalmente, a partir da reflexão do filósofo italiano Giorgio Agamben sobre a existência de uma hospitalidade radical inscrita nessa qualqueridade singular, o texto lê a alternância entre traços performativos e discursivos na interação dos corpos em cena como metáfora capaz de evocar, de materializar e de explorar as potencialidades de uma comunidade por vir à qual alude Agamben.



Palavras-Chave: Gordofobia – Corporeidade Performativa – Corporeidade Discursiva – Comunidade – Agamben



 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stephan Baumgartel, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Professor Associado do Departamente de Artes Cênicas da Universidade do Estado de Santa Catarina.  É idealizador e coordenador do projeto Encontro com Dramaturgo da UDESC que convida regularmente dramaturgos brasileiros a dar palestras e administrar oficinas, além de oferecer uma oficina de escrita teatral contínua. Enquanto pesquisador, investiga principalmente a escrita teatral contemporânea e modalidades de poéticas políticas teatrais na contemporâneidade numa perspectiva benjaminiana. É integrante do Grupo de Pesquisa do CNPq Poéticas Políticas da Cena Contemporânea/Imagens Políticas e da Rede de Estudos de Artes Cênicas Latino-americanas – REAL.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. A Comunidade que vem. Lisboa: Editorial Presença, 1993.
AZEVEDO, José Fernando de. “Entre o gatilho e a tempestade: racismo, capitalismo, teatro e a capacidade mimética de um vírus.”. Disponível em https://n-1edicoes.org/108, acesso em 30/07/2020.
DELEUZE, Gilles & GUATTARI, Félix. Kafka. Por uma literatura menor. Trad. Jayme Salomão. Rio de Janeiro: Imago, 1977.
FISCHER-LICHTE, Erika. Estética de lo Performativo. Trad. Diana González Martin e David Martinez Perucha. Madrid: Abada, 2011.
MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. Trad. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1994.
NANCY, Jean-Luc. Ser Singular Plural. Trad. Antonio Tudela Sancho. Madrid: Arena Libros, 2006.
SCHECHNER, Richard. Performance Studies: an Introduction. New York & London: Routledge, 2006.
SOB Medida. Dir. Gaia Colzani. Com Uila Roldan e Bruna Putel. Performance disponível em https://www.youtube.com/watch?v=0xxc8MYhJJI&feature=youtu.be, acesso 15 de abril de 2019.
TAYLOR, Diana. Performance. Durham and London: Duke University Press, 2016.

Downloads

Publicado

29-07-2021

Como Citar

Baumgartel, S. (2021). A exposição de um corpo qualquer singular: : performatividade e discursividade na performance em dança SOB Medida. Arte Da Cena (Art on Stage), 7(1), 54–74. https://doi.org/10.5216/ac.v7i1.66581

Edição

Seção

Dossiê Temático - Eixo 1: Manifestos Descentrados