Movimento, dança e chão: o trabalho com a percepção nas práticas da composição instantânea de Julyen Hamilton

Autores

  • Maíra Simões Claudino dos Santos Universidade de Lisboa Faculdade de Motricidade Humana (FMH), Cruz Quebrada, Portugal.
  • Marcia Maria Strazzacappa Hernandez Faculdade de Educação Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Cidade Universitária, Campinas - SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v2i3.43469

Palavras-chave:

Hamilton, percepção, composição instantânea, etnografia da prática artística, dança.

Resumo

Este artigo se propõe a discutir a noção da percepção nas práticas corporais da dança a partir da concepção do coreógrafo britânico Julyen Hamilton. Para tanto, foi realizada uma etnografia de prática artística (Fortin 2009) tendo como campo da pesquisa workshops realizados em circuitos berlinenses de dança contemporânea entre Janeiro e Junho de 2015. As considerações metodológicas partem de pesquisas das autoras e de seus aprendizados de práticas corporais de dança como locus de um devir-coreográfico, via um processo de imersão na prática artística propriamente dita. Pretende-se assim uma contribuição para o debate e pensamento sobre as práticas da dança quando ligadas à arte e à criação.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maíra Simões Claudino dos Santos, Universidade de Lisboa Faculdade de Motricidade Humana (FMH), Cruz Quebrada, Portugal.

é bailarina, antropóloga e pesquisadora. Atualmente é doutoranda em Dança pela Faculdade da Motricidade Humana, Universidade de Lisboa (2012) sob orientação de Gonçalo M. Tavares e tutoria de Márcia Strazzacappa (FE/Unicamp). Pertence ao quadro de pesquisadores do Laboratório de Estudos sobre Corpo, Arte e Educação (FE/Unicamp). Ébolsista Capes Doutorado Pleno no Exterior.

Marcia Maria Strazzacappa Hernandez, Faculdade de Educação Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Cidade Universitária, Campinas - SP, Brasil.

Livre Docente (Unicamp, 2015); Doutora em Artes: Estudos Teatrais e Coreográficos (Universidade Paris 8/França, 2000); Mestre em Educação (UNICAMP,1994); graduada em Pedagogia (UNICAMP,1986) e em Dança (UNICAMP, 1990). Foi pesquisadora TPCTA do Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas LUME (1986/1999). É docente da Faculdade de Educação e colaboradora do Instituto de Artes e da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP. Membro do Laboratório de Estudos sobre Arte, Corpo e Educação (Laborarte) do qual é coordenadora.

Referências

BERKELEY, George. Essay towards a new theory of vision. In: BERKELEY, George; Ayers, Michael Richard (Ed.). Philosophical works. London and Totowa, NJ: Dent and Rowman and Littlefield. 1975 [1709], p. 1-59.

CARROLL, Maya M. Workshop The Instrument - Composition and Choreography. Berlim, 2-14 de jan., 2015. Treinamento realizado no Tanzfabrik. Informação Verbal.

DANTAS, Mônica. Ce dont sont faits les corps anthropophuges: la participation des danseurs dans la mise en œuvre chorégraphique comme construction des corps dansants chez deux chorégraphes brésiliennes. Montréal: Université du Québec à Montréal, 2008 (Tese de Doutorado).

DEPRAZ, Natalie; VARELA, Francisco J.; VERMERSCH, Pierre. A redução à prova da experiência. Arquivos Brasileiros de Psicologia. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, v. 58, n. 1, p.75-86, 2006. Disponível em: <http://www.psicologia.ufrj.br/abp/>. Acesso em: 13 de jun. 2015.

_________________________________________________ (Ed.). On becoming aware: a pragmatics of experiencing. Amsterdam: John Benjamins Publishing, 2002.

FORTIN, Sylvie.Transformação de práticas de dança. In: PEREIRA, Roberto; SOTER, Silvia (Org.). Lições de Dança 4. Rio de Janeiro: UniverCidade, 2003, p.161-171.

_______________. Contribuições possíveis da etnografia e da auto-etnografia para a pesquisa na prática artística. Revista Cena. Tradução de Helena Maria Mello. Porto Alegre, UFRGS, n. 7, p. 77-88, fevereiro 2009.

FORTIN, Sylvie; GOSSELIN, Pierre. Considerações metodológicas para a pesquisa em arte no meio acadêmico. ARJ-Art Research Journal. Tradução de Marília C. G. Carneiro e Déborah Maia de Lima. ABRACE, ANPAP, ANPPOM e UFRN, v. 1, n. 1, jan/jun, p. 1-17, 2014.

FOSTER, Susan Leigh (Ed). Corporealities: Dancing Knowledge, Culture, and Power. New York: Routledge, 2005 [1996].

FIORI, Ana Letícia de et al. Sobre modos de se pensar e fazer antropologia: entrevista com Marilyn Strathern. Ponto Urbe [Online]. Revista do núcleo de antropologia urbana da USP, n. 17, 2015. Disponível em: <http://pontourbe.revues.org/2969 ; DOI : 10.4000/pontourbe.2969>. Acesso 21 de maio 2016.

GIL, José. Movimento total O Corpo e a Dança. São Paulo: Editora Iluminuras Ltda, 2005.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Rio de Janeiro: Contraponto e Editora PUC-Rio, 2010.

GODARD, Hubert. Buracos Negros – uma entrevista com Hubert Godard por Patricia Kuypers. Tradução de Joana Ribeiro da Silva Tavares e Marito Olsson-Forsberg. O Percevejo Online: dossiê corpo cênico, Rio de Janeiro, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, jul-dez, p. 1-21, 2010. Disponível em: <http://www.seer.unirio.br/index.php/opercevejoonline/article/view/1447>. Acesso 13 de out. 2012.

GOUVEA, Raquel. A improvisação de dança na (trans) formação do artista-aprendiz: uma reflexão nos entrelugares das Artes Cênicas, Filosofia e Educação. Campinas: Pós-graduação da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, 2012 (Tese de doutorado).

HAMILTON, Julyen. Rhythm and Placement in Time. Treinamento realizado no Dock 11, Berlim, 16-20 de fev. 2015a. Informação Verbal.

__________. Working with objects. Treinamento realizado no Radialsystem V., Berlim, 11-16 de maio, 2015b. Informação Verbal.

LAPERRIÈRE, Anne. La théorisation ancrée (grounded theory): démarche analytique et comparaison avec d'autres approaches apparentées. In: POUPART, Jean et al. La recherche qualitative: enjeux épistémologiques et méthodologiques. Canadá: Gaëtan Morin Éditeur, p. 309-340, 1997.

LEPECKI, André. The Exhausting Dance. Nova Iorque: Routledge, 2006.

______________. Planos de composição. In: GREINER, Christine; Espírito Santo, Cristina; FABIÃO, Eleonora; SOBRAL, Sonia. (orgs.). Cartografia rumos itaú cultural dança 2009-2010: criações e conexões. São Paulo: Itaú cultural, 2010.

______________. Coreo-política e coreo-polícia. Ilha, v. 13. Florianópolis, Programa de. Pós-Graduação em Antropologia Social, 2012.

LIMON, Enrique; VIRILIO, Paul. Paul Virilio and the Oblique. In:ARMITAGE, John (Ed.). Virilio live: selected interviews., London;Thousand Oaks; New Delhi: Sage, p. 51-57. 2001.

Manning, Erin. Relationscapes: Movement, Art, Philosophy. In: (ed) Massumi, Brain e Manning, Erin (Ed). London, England: MIT Press Cambridge, Massachussets, 2009.

MILL, John Stuart. Um exame de filosofia de Sir William Hamilton. In: Os Pensadores. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. São Paulo, Abril, 1974. v. 34.

NOË, Alva. Action in perception. London: Massachusetts Institute of Tecnology, 2004.

REY, Sandra. Da prática à teoria: três instâncias metodológicas sobre a pesquisa em poéticas visuais. Porto arte, Porto Alegre, Programa de Pós-graduação em Artes Visuais-UFRGS, v. 7, n. 13, nov. 1996.

STRATHERN, Marilyn. O efeito etnográfico e outros ensaios. Tradução de Iracema Dulley et al. São Paulo: Cosac & Naify, 2014.

STRAZZACAPPA, Marcia. Imersões poético-acadêmicas como processos de formação do artista-docente. ARJ ARJ-Art Research Journal, ABRACE, ANPAP, ANPPOM e UFRN, v. 1, n. 2, jul/dez, p. 96-111, 2014

WEBER, Suzi. Les pratiques du danseur-créateur vis-à-vis des pratiques dominantes en danse contemporaine: trois études de cas du doctorat en études et pratiques des arts. Montréal: Université du Québec à Montréal, 2008 (Tese de Doutorado).

Downloads

Publicado

2016-12-29

Como Citar

CLAUDINO DOS SANTOS, M. S.; STRAZZACAPPA HERNANDEZ, M. M. Movimento, dança e chão: o trabalho com a percepção nas práticas da composição instantânea de Julyen Hamilton. Arte da Cena (Art on Stage), Goiânia, v. 2, n. 3, p. 171–187, 2016. DOI: 10.5216/ac.v2i3.43469. Disponível em: https://revistas.ufg.br/artce/article/view/43469. Acesso em: 21 maio. 2024.