Socialização e hibridismo cultural de meninas: uma etnografia de tela sobre o filme Mignonnes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/v.v21.72313

Palavras-chave:

Infância em contextos migratórios, Processos de socialização, Hibridismo, Etnografia de tela

Resumo

Este artigo analisa o hibridismo cultural que decorre das tensões relativas aos processos de socialização vivenciadas por meninas em contextos migratórios. O texto apresenta uma etnografia de tela sobre o filme Mignonnes (2020), da diretora franco-senegalesa Maïmouna Doucouré. As unidades de análise problematizadas ao longo do artigo (socialização e hibridismo cultural) sugerem que o processo de tornar-se mulher, vivenciado pela protagonista do filme, ocorre em um entrelugar cultural, situado na fusão dos costumes e das tradições senegalesas com a hipersexualização ocidental das meninas/mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandro Santos, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, sandrovssantos@gmail.com

 

 

Referências

ARIÈS. Philippe. História social da infância e da família. 2.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

BALESTRIN, Patrícia Abel. O corpo rifado. 2011. 177 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

BALESTRIN, Patrícia Abel; SOARES, Rosângela. Etnografia de tela”: uma aposta metodológica. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves. (org.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza, 2012. p. 87-109.

BATISTA, Daniela Conegatti. Devir-sapatão: tensionamentos a partir de séries televisivas e de vídeo on demand. 2020. 221 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2020.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. v. I: Magia e técnica: arte e política. São Paulo: Brasiliense, 2011.

BHABHA, Homi. O Local da Cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas: estrategias para entrar y salir de la modernidad. Ciudad de México: Grijalbo, 1990.

CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas: como entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 2001.

CANCLINI, Néstor García. Diferentes, desiguales y desconectados: mapas de la interculturalidad. Barcelona: Gedisa, 2004.

CANCLINI, Néstor García. La sociedad sin relato: antropología y estética de la inminencia. Buenos Aires: Katz Editores, 2010.

CONNELL, Raweyn; PEARSE, Rebecca. Gênero: uma perspectiva global. Tradução e revisão técnica Marília Moschkovich. São Paulo: nVersos, 2015.

CRUZ, Éderson. Entre os muros da escola: gênero e docência na constituição de uma pedagogia do afeto. 2018. 402 f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2018.

DORNELLES, Leny Vieira. Sobre Meninas no Papel: inocente/erotizada? As meninas hoje. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 35, n. 3, 2010. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/13081. Acesso em: 14 jul. 2023.

FELIPE, Jane. Afinal, quem é mesmo pedófilo?. Cadernos Pagu, Campinas – SP, n. 26, p. 201–223, jan. 2006. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8644740. Acesso em: 13 out. 2023.

GAITÁN, Lourdes. Los niños como actores en los procesos migratórios: Implicaciones para los proyectos de cooperación., Madrid: Universidad Complutense de Madrid, 2008. Disponível em: https://www.de0a18.net/pdf/doc_infancia_risc_los%20ninos_como_actores.pdf. Acesso em: 8 jan. 2022.

HESSEL, Marcelo. Porque Cuties, da Netflix, incomoda tanto? Omelete, 11 set. 2020. Disponível em: https://www.omelete.com.br/netflix/por-que-cuties-da-netflix-incomoda-tanto. Acesso em: 20 nov. 2020.

HEYWOOD, Collin. Uma história da infância: da Idade Média á época contemporânea no Ocidente. Porto Alegre: Artmed, 2004.

MARCELLO, Fabiana de Amorim. Criança e imagem no olhar sem corpo do cinema. 2008. 237 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

MATTOS, Ricardo Mendes. Constituição de sexualidade feminina negra e a hipersexualização infantil: o caso Mignonnes. Odeere, Jequié, v. 6, n. 2, p. 383-411, jul./dez. 2021. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/odeere/article/view/9048. Acesso em: 12 out. 2023.

MIGNONNES. Direção: Maïmouna Doucouré. Produção: Zangro. Intérpretes: Fathia Youssouf, Médina El Aidi-Azouni, Esther Gohourou, Ilanah Cami-Goursolas, Maïmouna Gueye et al. Roteiro: Aneesh Chaganty e Sev Ohanian. França: BAC Films, 2020. Disponível em: https://www.netflix.com/br/. Acesso em: 20 nov. 2020.

MOLLO-BOUVIER, Suzanne. Transformação dos modos de socialização das crianças: uma abordagem sociológica. Educação & Sociedade, Campinas, v. 26, n. 91, p. 391-403, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/KCzYRxkzm6fSdzLFvBQGjwJ/?lang=pt. Acesso em: 12 out. 2023.

PAVEZ-SOTO, Iskra. La participación infantil en los procesos migratorios. Las niñas y los niños de familias peruanas en Barcelona. Papers: Revista de sociologia, Barcelona, v. 95, n. 2, p. 441-455, 2010. Dosponível em: https://papers.uab.cat/article/view/v95-n2-pavez. Acesso em: 12 out. 2023.

PAVEZ-SOTO, Iskra. Los significados de “ser niña y niño migrante”: conceptualizaciones desde la infancia peruana en Chile. Poli, Santiago, n. 35, p. 183-210, 2013. Disponível em: https://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-65682013000200009&lng=en&nrm=iso&tlng=en. Acesso em: 12 out. 2023.

PAVEZ-SOTO, Iskra. La niñez en las migraciones globales: perspectivas teóricas para analizar su participación. Tla-melaua, Puebla, v. 10, n. 41, p. 96-113, 2017. Disponível em: http://www.apps.buap.mx/ojs3/index.php/tlamelaua/article/view/208. Acesso em: 12 out. 2023.

PIÑEYRO, Leandro; URIARTE BÁLSAMO, Pilar. “Viene, está acá y tá”. Una aproximación a las vivencias de niños y niñas en torno a la migración en una escuela de Montevideo. Horizontes Antropológicos, Montevideo, v. 27, p. 351-377, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ha/a/brmbTDZSjHgM965xB7LXRhR/?lang=es#. Acesso em: 12 out. 2023.

PROUT, Alan; JAMES, Allison. A new paradigm for the Sociology of childhood? provenance, promise and problems. In: JAMES, Allison; PROUT, Alan. (ed.). Constructing and reconstructing childhood: contemporany issues in the Sociological Study of Childhood. 2. ed. London: The Falmer Press, 1997. p. 7- 34.

RIAL, Carmen. Mídia e sexualidade: breve panorama dos estudos de mídia. In: GROSSI, Miriam Pillar et al. (org.). Movimentos sociais, educação e sexualidades. Rio de Janeiro: Garamond, 2005. p. 107-136.

SAYAD, Abdelmalek. La doble ausencia. De las ilusiones del emigrado a los. Barcelona: Anthropos, 2011.

SOILO, Andressa Nunes. Produções Legais da Pirataria: O Streaming e a Incorporação das Demandas e Discursos Piratas no Mercado do Entretenimento Digital. Campos - Revista de Antropologia, v. 18, n. 1-2, p. 217-236, dez. 2017. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/campos/article/view/55743. Acesso em: 12 out. 2023.

TERUYA, Teresa Kazuko. Trabalho e educação na era midiática. Maringá: Eduem, 2006.

TODOROV, Tzvetan; SALABERT, Juana. El hombre desplazado. Madrid: Taurus, 1997.

WALKERDINE, Valerie. A cultura Popular e a Erotização das Garotinhas. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 24, n. 2, 1999. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/55390. Acesso em: 12 out. 2023.

ZANETTI, Laysa. Filme da Netflix acende polêmica sobre o que deseja combater. Portal R7 – CINEPOP, 15 set. 2020. Disponível em: https://cinepop.com.br/critica-cuties-filme-da-netflix-acende-polemica-sobre-o-que-deseja-combater-266200/. Acesso em: 12 out. 2023.

Downloads

Publicado

2023-11-29

Como Citar

SANTOS, S.; CARVALHO, R. S. de. Socialização e hibridismo cultural de meninas: uma etnografia de tela sobre o filme Mignonnes. Visualidades, Goiânia, v. 21, 2023. DOI: 10.5216/v.v21.72313. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/72313. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Infâncias Contemporâneas, Arte e Pedagogias Culturais