Deslocamentos e Formação Cultural nas Residências Artísticas de Graça Morais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/v.v20.71375

Palavras-chave:

Residências Artísticas;, Formação Cultural;, Pintora Graça Morais

Resumo

O presente trabalho tem por base o estudo da relação entre deslocamento, território e identidade no processo de criação da artista visual portuguesa Graça Morais. Pretende-se compreender aspectos relevantes do processo artístico, a partir do deslocamento da artista para a realização de três residências artísticas durante sua trajetória. A análise parte do conceito de formação (bildung) em Gadamer (1999) e da abordagem antropológica da imagem de Belting (2014). Propõe-se também uma contextualização sobre o que é uma residência artística, sua relação com a formação e com o processo
criativo in situ.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Ramusyo de Almeida, Instituto Politécnico de Bragança, Bragança, Mirandela, Portugal, ramusyo@hotmail.com

Professor da área de conhecimento: Comunicação / Fotografia e Multimídia do curso de Artes Visuais (IFMA)

Pós-doutorando em Ciencias Sociales, Niñez y Juventud /eje: comunicación, política y cultura (PUC-SP, Universidad de Manizales, UBA, CLACSO)

Doutor em Ciências Sociais / Política (PUC-SP - 2011)

Ex-professor de Fotografia e Iluminação do curso de Comunicação Social (UFMA)

Ex-professor de Marketing do curso de Web Design(UEMA)

Mestre em Comunicação (UNIP -2005)

Bacharel em Comunicação Social / Publicidade e Propaganda (CEUMA - 2002)

´Coordenador do Núcleo de Pesquisa e Produção de Imagem (NUPPI / IFMA)

Pesquisador do Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política (NEAMP / PUC-SP)

Carollina Rodrigues Ramos, Universidade de Lisboa (ULisboa), Lisboa, Portugal, carollaramos@gmail.com

Bacharel em Museologia pela UNIRIO. Especialização em Gestión y Políticas Culturales (Universidad de Girona). Mestranda em História da Arte e Património pela Universidade de Lisboa. Diretora por quase 5 anos do Museu Histórico e Artístico do Maranhão e seus anexos, em São Luís - MA. 

Referências

AZEVEDO, Fernando de. Voltarei sem querer aos lugares sagrados. In: Graça Morais – Cabo Verde. Lisboa: Galeria 111, 1989. p. 02-03.

BELTING, Hans. Antropologia da imagem: para uma ciência da imagem. Tradução: Artur Morão. 1ª Ed, Lisboa: KKYM, 2014.

BELTING, Hans. Por uma antropologia da imagem. Revista Concinnitas, Rio de Janeiro, v. 1, n. 8, p. 65-78, jul. 2005.

CAÑIZARES, Vera Santiago. Proyecto artístico y territorio. Granada: Editorial Universidad de Granada, 2004.

CAUQUELIN, Anne. Sítio, lugar e mundo. In: VAZ-PINHEIRO, Gabriela. Curadoria do local: algumas abordagens da prática e da crítica. Torres Vedras, Portugal: ArtInSite, 2005. p. 106-113.

COSTA, Jorge da. Graça Morais, territórios da memória – Definição de um percurso: 1980 – 2008. Porto: Universidade Católica Editora, 2014.

FERREIRA, António Mega. Graça Morais: Os Olhos Azuis do Mar. Porto: Edições Asa, 2005.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução: Flávio Paulo Meurer. 3ª Ed, Petrópolis: Editora Vozes, 1999.

MORAIS, Graça. O espírito do lugar. Cabo Verde. Guimarães: Museu Alberto Sampaio, 1989. 1 catálogo.

MORAES, Marcos. Residência artística: ambientes de formação, criação e difusão. 2009. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

RUPP, Bettina. Residências em arte contemporânea: espaço, tempo e interlocução. 2017. Tese (Doutorado em Artes Visuais – ênfase em História, Teoria e Crítica da Arte) – Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017

Downloads

Publicado

2023-03-09

Como Citar

MARCUS RAMUSYO DE ALMEIDA; RODRIGUES RAMOS, C. Deslocamentos e Formação Cultural nas Residências Artísticas de Graça Morais. Visualidades, Goiânia, v. 20, 2023. DOI: 10.5216/v.v20.71375. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/71375. Acesso em: 26 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Estéticas das viagens