Entre dois mundos: visita turística ao jazigo de Pablo Escobar no cemitério Montesacro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/v.v20.71287

Palavras-chave:

Pablo Escobar. Narcotour. Produção Midiática.

Resumo

Este artigo objetiva refletir sobre a visita turística ao Cemitério Montesacro, na cidade de Itagüí, na Colômbia, um dos locais indicados no roteiro do narcotour – denominação dada ao percurso que compreende a visita aos lugares que compõem a narrativa sobre a vida de Pablo Escobar e o Cartel de Medellín. O narcotour apresenta-se como experiência de cidade na plataforma Airbnb em Medellín e alimenta-se das produções midiáticas. Conclui-se que a imagem de Pablo Escobar, construída a partir das produções midiáticas, torna-o um produto de consumo simbólico de turistas em Medellín.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Freitas , Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, rf0360@gmail.com

Professor Titular da Faculdade de Comunicação Social da UERJ. Doutor em Sociologia - Université Paris V (René Descartes),  Desenvolveu estágio pós-doutoral em Comunicação no CEAQ/Sorbonne  e Estágio Sênior em Comunicação e Sociedade com bolsa da CAPES na Universidade Paul Valéry-Montpellier 3 (2015/2016). Líder do grupo Comunicação urbana consumo e eventos cadastrado no CNPQ. . É consultor adhoc da CAPES, do CNPQ, da SBPC e da FAPERJ. É vice-diretor da Faculdade de Comunicação Social da Uerj (2020 - 2024) e Vice-Presidente da Abrapcorp (2020 - 2022).

Referências

BACHELARD, G. A Epistemologia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

CATROGA. Fernando. O Céu da Memória. Cemitério romântico e culto cívico dos mortos em Portugal (1756-1911). Coimbra: Livraria Minerva Editora, 1999.

DERMOTTA, Ken. La educación es la solución contra la droga. Jornal El Mundo, Colombia, Medellín, ano 13, 18 ago. 1991. Ultima, p. 4.

FOLEY, M.; LENNON, J. J. JFK and dark tourism: a fascination with assassination. International Journal of Heritage Studies, Reino Unido, v. 2, n. 4, p. 198-211. 1996. Disponível em: https://doi.org/10.1080/13527259608722175. Acesso em: 15 abr. 2021.

FRANCO, Jorge. El cielo a tiros. Medellín: Editora Alfaguara, 2018.

GUTIÉRREZ, Juliana Gil. Fallece Popeye de un cáncer de esófago. El Colombiano, [Medellín, Colombia], ano 79, n. p., 6 fev. 2020. Disponível em: https://www.elcolombiano.com/colombia/jhon-jairo-velasquez-alias-popeye-fallece-de-un-cancer-terminal--DG12412661. Acesso em: 21 jan. 2021.

HOBSBAWM, Eric J. Bandidos. Tradução de Donaldson M. Garschagen. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1975.

JAGUARIBE, Beatriz. O choque do real: estética, mídia e cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 2007.

LACALLE, Charo; SOLÀ; Núria Simelio. Judy Moncada: la representación femenina del poder y la ambición. In: LUQUE-GIRALDO Santiago (org.). ¿Por qué amamos a Pablo Escobar? Cómo Netflix revivió al narcotraficante más famoso del mundo. Barcelona: Editorial UOC, 2019. p. 185-192.

LLOSA, Mario Vargas. Los sicarios. El País, Sabaneta, Venezuela, ano 23, n. p., 3 out. 1999. Opinión. Disponível em: https://elpais.com/diario/1999/10/04/opinion/938988004_850215.html. Acesso em: 30 jan. 2021.

LOSONCZY, Anne-Marie. A agência dos mortos santificados nos cemitérios urbanos da Colômbia: o ritual narrado e escrito. Revista Sociologia & Antropologia, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 461-478. ago. 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2238-38752015v525. Acesso em: 15 abr. 2021.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. De perto e de dentro: notas para uma etnografia urbana. Revista Brasileira de Ciências Sociais [online], São Paulo, v. 17, n. 49, p. 11-29, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbcsoc/a/KKxt4zRfvVWbkbgsfQD7ytJ/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 abr. 2021.

MAGNANI, José Guilherme Cantor; SPAGGIARI, Enrico (org.). Lazer de Dentro e de perto: uma abordagem antropológica. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2018.

MARTÍNEZ-MORENO. Rodrigo Francisco. Narco-celebridad y representaciones de Pablo Escobar en Narcos y Escobar, el patrón del mal. Un análisis textual de construcción narrativa desde el personaje. 2017. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Universidad del Norte, Barranquilla, 2017. Disponível em: https://manglar.uninorte.edu.co/handle/10584/7871#page=1. Acesso em: 20 out. 2021.

MÁRQUEZ, Gabriel García. Notícias de um sequestro. Tradução de Artur Guerra e Cristina Rodriguez. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1997.

MONGIN, Olivier. A condição urbana: a cidade na era da globalização. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

NO SOLO fue la visita de Wiz Khalifa: tumba de Pablo Escobar aún es ofrecida en los ‘narcotours’. Publicado pelo Canal Notícias Caracol. Medellín: Notícias Caracol, 2018. 1 vídeo (3 min). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Lg02j5uKxEY&ab_channel=NoticiasCaracol Acesso em: 15 abr. 2021.

PABLO Escobar tour al Cementerio Jardines de Montesacro. Publicado por Bet Serra. Medellín: Bet Serra, 2016. 1 vídeo (7 min). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=zK58cFoELDc. Acesso em: 15 abr. 2021

QUE DICEN las cartas que dejaron em la tumba de Pablo Escobar en el aniversario 25 de su muerte. Infobae, Medellín, ano 16, n. p., 4 dez. 2018. Disponível em: https://www.infobae.com/america/colombia/2018/12/04/que-dicen-las-cartas-que-dejaron--en-la-tumba-de-pablo-escobar-en-el-aniversario-25-de-su-muerte/. Acesso em: 15 abr. 2021.

RINCÓN, Omar. Todos llevamos un narco adentro – Un ensayo sobre la narco/cultura/telenovela como modo de entrada a la modernidad. MATRIZes, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 193-219. 2013. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/329349279/Todos--llevamos-un-narco-adentro-pdf#. Acesso em: 15 abr. 2021.

RINCÓN, Omar. No somos Narcos, pero sí Pablo. In: LUQUE-GIRALDO, Santiago (org.). ¿Por qué amamos a Pablo Escobar? Cómo Netflix revivió al narcotraficante más famoso del mundo. Barcelona: Editorial UOC, 2019. p. 51-67.

‘UN Robin Hood paisa’: El primer artículo sobre Pablo Escobar. Semana, Bogotá, ano 66, n. p., 25 mai. 2012. Nación. Disponível em: https://www.semana.com/nacion/articulo/un-robin-hood-paisa-el-primer-articulo-sobre-pablo-escobar/258650-3. Acesso em: 15 abr. 2019.

SALAZAR, Alonso. Pablo Escobar: ascensão e queda do grande traficante de drogas. Tradução de Eric Heneault; Olga Cafalcchio. São Paulo: Planeta, 2014.

SARLO. Beatriz. A cidade vista: mercadorias e culturas urbanas. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2014.

TIBBLE, Christopher. Hablan las víctimas de Pablo Escobar. Semana, Bogotá, ano 71, n. p., 21 jun. 2017. Agenda. Disponível em: https://www.semana.com/agenda/articulo/narcotour-victimas-pablo-escobar-cartel-de-medellin-narcotrafico/64319/. Acesso em: 15 abr. 2019.

VALLEJO. Fernando. La virgen de los sicarios. México: Alfaguara, 1994.

VILLEGA-SIMON, Isabel. Poder y hegemonía: Pablo Escobar y Netflix. In: LUQUE--GIRALDO, Santiago (org.). ¿Por qué amamos a Pablo Escobar? Cómo Netflix revivió al narcotraficante más famoso del mundo. Barcelona: Editorial UOC, 2019. p. 97-122

Downloads

Publicado

2023-04-11

Como Citar

BELMINO FREITAS, S. H.; FERREIRA FREITAS , R. Entre dois mundos: visita turística ao jazigo de Pablo Escobar no cemitério Montesacro. Visualidades, Goiânia, v. 20, 2023. DOI: 10.5216/v.v20.71287. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/71287. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Estéticas das viagens