Para além do termo impressionista: o debate crítico e o caso viscontiano no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/v.v19.61583

Palavras-chave:

Eliseu Visconti, Impressionismo, Crítica de arte

Resumo

Este artigo aborda a aproximação de Eliseu Visconti com o impressionismo. Apresenta uma revisão sobre a leitura de alguns críticos de arte durante as décadas de 1940 e 1950, Frederico Barata, Sérgio Milliet e Mário Pedrosa, que estabeleceu uma discussão acerca da contribuição de Visconti para o modernismo brasileiro mediante a introdução da pintura impressionista. Procura pensar o impressionismo como um modelo artístico absorvido por Visconti, assim para melhor compreender essa relação, busca-se entender o contexto de recepção do impressionismo na Europa e no Brasil, para pensar como o impressionismo é resignificado na obra de Visconti.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Fabíola Cristina. A lição viscontiana. 2016. Tese (Doutorado em Artes) - Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho – UNESP, São Paulo, 2016.

ARANTES, Otília (org). Acadêmicos e modernos: textos escolhidos III – de Mário Pedrosa. São Paulo: Edusp, 2004.

ARGAN, G. c. Arte Moderna na Europa; de Hogarth a Picasso. Trad. de Lorenzo Mammi. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

BARATA, Frederico. Eliseu Visconti e seu tempo. Rio de Janeiro: Livraria Editora Zélio Valverde, 1944.

CARDOSO, Rafael; SERAPHIM, Mirian. Nogueira; VISCONTI, Tobias Stourdzé. O artista retorna seu lugar. In: CARDOSO, Rafael et al. (org). Eliseu Visconti: a modernidade antecipada (Catálogo). Rio de Janeiro: Hólos Consultores associados, 2014.

CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas. O imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CAVALCANTI, Ana Maria Tavares. Les artistes brésiliens et “Les prix de Voyage em Europe” à La fin Du XIXe siècle: vision d’ensemble et étude approfondie sur le peintre Eliseu D’Angelo Visconti (1866-1944). Tese (Doutorado em História da Arte) - Universidade de Paris I, Paris, 1999.

CAVALCANTI, Ana Maria Tavares.. O pintor Eliseu Visconti (1866-1944), o impressionismo e o meio artístico parisiense do final do século XIX. In: ArtCultura, Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de História, 2005. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/artcultura/article/view/1290/1185. Acesso em: 30 ago. 2018.

CAVALCANTI, Ana Maria Tavares. História da arte e ficções num caderno de notas de Eliseu Visconti. In: Arte & Ensaios, Revista do PPGAV-EBA-UFRJ, 2010. Disponível em: https://www.ppgav.eba.ufrj.br/wp-content/uploads/2012/01/ae21_Ana_Cavalcanti.pdf. Acesso em: 30 ago. 2018.

CHAIMOVICH, Felipe. O impressionismo e o Brasil (Catálogo). São Paulo: Ministério da Cultura e Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2017.

DEMPSEY, Amy. Estilos, escolas e movimento. Trad. Carlos Eugenio Marcondes de Moura. São Paulo, Cosac Naif, 2003.

FRANGNE, Pierre Henry. La négation à l’oeuvre. La philosophie symboliste de l’art (1860-1905). Rennes: Presses Universitaires de Rennes, 2005.

GONÇALVES, Lisbeth Rebolo. Sérgio Milliet, crítico de arte. São Paulo: perspectiva/Edusp, 1992.

HARRISON, Charles. Modernismo. Trad. João Moura Jr. São Paulo: Cosac Naif, 2001.

MIGLIACCIO, Luciano. Simbolismo. In: CARDOSO, Rafael et al (org). Eliseu Visconti: A modernidade antecipada (Catálogo). Rio de Janeiro: Hólos Consultores Associados, 2014.

MILLIET, Sérgio. Eliseu Visconti. Diário Crítico, Rio de Janeiro: 20 de maio de 1945. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/093718_02/22696. Acesso em: 2 nov. 2021.

PEDROSA, Mário. Visconti diante das modernas gerações. Correio da Manhã, Rio de Janeiro: 1º de janeiro de 1950. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/089842_06/50. Acesso em: 2 nov. 2021.

RUBIN, James. H. Impressionism and the modern landscape: productivity, technology, and urbanization from Manet to Van Gogh. Berkeley Los Angeles London: University of California Press, 2008.

SCHAPIRO, Meyer. Impressionismo. Trad. Ana Luiza Dantas Borges. São Paulo: Cosac Naify, 2002.

SERAPHIM, Mirian Nogueira. A catalogação das pinturas a óleo de Eliseu D’Angelo Visconti: o estado da questão. 2010. Tese (Doutorado em História) - Universidade de Campinas - Unicamp, Campinas, 2010.

SERAPHIM, Mirian Nogueira. A carreira artística. In: Visconti, Tobias Stourdzé (org.). Eliseu Visconti: a arte em movimento (Catálogo). Rio de Janeiro: Hólos Consultores Associados, 2012.

SERAPHIM, Mirian Nogueira. Impressionismo. In: CARDOSO, Rafael et al. (org). Eliseu Visconti: A modernidade antecipada (Catálogo). Rio de Janeiro: Hólos Consultores Associados, 2014.

SERAPHIM, Mirian. Nogueira; VISCONTI, Tobias Stourdzé. Cronologia. In: CARDOSO, Rafael et al. (org). Eliseu Visconti: A modernidade antecipada (Catálogo). Rio de Janeiro: Hólos Consultores Associados, 2014.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti. A viagem a Paris de artistas brasileiros no final do século XIX. In: Tempo Social. Revista de Sociologia da USP, v. 17, n. 1, 2005. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-20702005000100015. Acesso em: 30 ago. 2018.

SIQUEIRA, Vera Beatriz. Paisagem. In: CARDOSO, Rafael et al. (org). Eliseu Visconti: A modernidade antecipada (Catálogo). Rio de Janeiro: Hólos Consultores Associados, 2014.

VISCONTI, Tobias Stourdzé. Uma trajetória pioneira. In: Visconti, Tobias Stourdzé (org). Eliseu Visconti: a arte em movimento (Catálogo). Rio de Janeiro: Hólos Consultores Associados, 2012.

Downloads

Publicado

2022-05-04

Como Citar

ALVES, F. C. Para além do termo impressionista: o debate crítico e o caso viscontiano no Brasil. Visualidades, Goiânia, v. 19, 2022. DOI: 10.5216/v.v19.61583. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/61583. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos