Jardim de dentro, jardim de fora

Palavras-chave: Arte têxtil, Práticas artesanais, Escultura têxtil

Resumo

Ainda me lembro quando minha professora de História da Arte abordou as expressões artísticas populares na sala de aula. Foi na universidade onde, pela primeira vez, reconsiderei meu olhar sobre a arte popular e o artesanato brasileiro. Até então, concebia-os como um campo muito diferente, particular e sem muita relação com o artístico. Por isso, meu olhar pensava o artesanato como uma prática não-artística, como objetos repetitivos e desvinculados do pensar. Um tipo de produção cultural que era feita por mãos não acadêmicas, não “eruditas”. Consequentemente, não era arte, e sim, manualidades. Conceitos (ou preconceitos) que, ainda hoje, permeiam a literatura especializada quando o tema é arte e artesanato. (...)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Freitag, Universidad de Guanajuato

Professora pesquisadora da Universidad de Guanajuato, Campus León. Departamento de Estudios Culturales. Doutora em Ciências Sociales com ênfase em Antropologia Social (CIESAS-Occidente, Guadalajara).

Publicado
23-04-2020
Como Citar
Freitag, V. (2020). Jardim de dentro, jardim de fora. Visualidades, 18, 15. Recuperado de https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/60220
Seção
Ensaio Visual