A técnica da escultura em madeira com máscara de chumbo policromada: a contingência dos Cristos da Paixão da Ordem Terceira do Carmo de Ouro Preto (MG)

Autores

  • Lia Sipaúba Proença Brusadin (UFMG, Brasil) Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria Regina Emery Quites (UFMG, Brasil) UFMG

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v14i1.35014

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar as técnicas e materiais das esculturas da Paixão de Cristo, localizadas nos retábulos laterais da nave e do consistório da Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo de Ouro Preto, Minas Gerais. Enfatizou-se a tecnologia da escultura em madeira com máscara de chumbo policromada, comum na Espanha e países andinos nos séculos XVII e XVIII, é rara em Minas Gerais. A metodologia aplicada foi o levantamento bibliográfico nas áreas de história, arte; investigação in loco e registro fotográfico dos Cristos da Paixão. Tais imagens devem ser preservadas e reconhecidas como importante fonte de pesquisa histórica, artística e social.

Palavras-chave: Escultura policromada em madeira, máscara de chumbo, Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo de Ouro Preto

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lia Sipaúba Proença Brusadin (UFMG, Brasil), Universidade Federal de Minas Gerais

História e Artes

Referências

BRUSADIN, L. S. P., Os Cristos da Paixão da Ordem Terceira do Carmo de Ouro Preto (MG). 260 f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

CAMPOS, A. A., Roteiro Sagrado: monumentos religiosos de Ouro Preto. Belo Horizonte: Tratos Culturais/Editora Francisco Inácio Peixoto, 2000.

COELHO, B. (org.), Devoção e Arte: imaginária religiosa em Minas Gerais. São Paulo: Edusp, 2005.

DANNEMANN, J. C. S., Coleção de Bustos-Relicários da Antiga Igreja do Colégio de Jesus de Salvador da Bahia: Preservação de 30 Esculturas do Século XVII. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) 2003 – Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 2003.

GALLEGOS DE DANOSO. M., “El Desarrolo de la Escultura en la Escuela Quiteña”. Encuentros. Conferencia del Centro Cultural del BID, Banco Interamericano de Desarrolo en Washington,D. C., 5 de Octubre, 1994.

GRUPO OFICINA DO RESTAURO, Relatório da Restauração do Cristo do Retábulo Consistório da Igreja de Nossa senhora do Carmo Ouro Preto/MG. Período Correspondente a Maio e Dezembro de 2009. Belo Horizonte, 22 de abril de 2010, Rosangela Reis Costa.

KENNEDY-TROYA, A., “Circuitos Artisticos Interregionales de Quito a Chile”. Siglos XVIII y XIX. Historia, 1998 (Vol. 31).

____________________(ed.), Arte de la Real Audiencia de Quito, siglos XVII-XIX. España: Editorial Nerea, 2002.

____________________, “Arte y Artistas Quiteños de Expostación”. In: VVAA. Arte quiteño más Allá de Quito. Memorias del Simposio, Quito, FONSAL, 2009.

LUCANO CAMACHO, M. F., Bernardo de Legarda: Una Mirada Cientifica a su Obra Escultorica. 2010. Tesis Previa a la Obtención del Título de Licenciada en Restauración y Museología – Facultad de Arquitectura Artes y Diseño Universidad Tecnológica Equinoccial (UTE), Quito, Ecuador, 2010.

MORAES, L. S. P., “O Dinamismo Cultural na Capital do Vice-Reinado Português (1763-1800): A Representatividade e o Legado de Mestre Valentim”. In: História e-História. 12/10/2011, ISSN 1807-1783.

MORÁLES VÁSCONEZ, J. C., Técnica y Materiales Empleados en la Policromía de la Escultura Colonial Quiteña y su Aplicación con Miras a la Restauración.2006. Tesis Previa a la Obtención del Título de Licenciado en Restauración y Museología – Facultad de Arquitectura, Artes y Diseño, Escuela de Restauración y Museología Universidad Tecnológica Equinoccial (UTE) Quito, Ecuador, 2006.

MORÁN PROAÑO, N., Guión Unificado Quito Español. Texto guia para actualizacion a miembros de la red metropolitana de museos de Quito. Quito: Arte y Cultura, s/d.

MUSEU DO ORATÓRIO. Instituto Cultural Flávio Gutierrez. Ficha do Objeto – Dados Gerais. Escritura de Doação, 9-Oratório bala, Ângela Gutierrez. Escritura Pública de Doação, com Reserva de Usufruto. Serviço Notarial do 8o Ofício de Belo Horizonte Felício dos Santos. 29/10/1998. Inventário Coleção Ângela Gutierrez/Museu do Oratório. Inventário inicial do acervo feito por Cristina Ávila e Rosângela Reis Costa, 18/01/1997.

MUSEU DO ORATÓRIO. Instituto Cultural Flávio Gutierrez. Ficha do Objeto – Dados Gerais. Escritura de Doação, 4-Oratório bala, Ângela Gutierrez. Escritura Pública de Doação, com Reserva de Usufruto. Serviço Notarial do 8o Ofício de Belo Horizonte Felício dos Santos. 29/10/1998.

MUSEU DO ORATÓRIO. Instituto Cultural Flávio Gutierrez. Ficha do Objeto – Dados Gerais. Escritura de Doação, 73-Oratório afro-brasileiro, Ângela Gutierrez. Escritura Pública de Doação, com Reserva de Usufruto. Serviço Notarial do 8o Ofício de Belo Horizonte Felício dos Santos. 29/10/1998. Inventário Coleção Ângela Gutierrez/Museu do Oratório. Inventário inicial do acervo feito por Cristina Ávila e Rosângela Reis Costa, 08/09/1997.

MUSEU DA INCONFIDENCIA (IBRAM) – Ouro Preto Minas, Gerais, SCAM – Sistema de Controle do Acervo Museológico, Ficha de Catalogação, No Inventário 362, data de catalogação 01/03/1999 e data da revisão: 24/06/2004.

OLIVEIRA, M. A. R., “A Escola Mineira de Imaginária e suas Particularidades”. In: COELHO, B. (org.), Devoção e Arte: imaginária religiosa em Minas Gerais. São Paulo: Edusp, 2005.

QUITES, M. R. E., Imaginária Processional na Semana Santa em Minas Gerais. Estudo realizado nas cidades de Santa Bárbara, Catas Altas, Santa Luzia e Sabará. 1997. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Artes) - Centro de Conservação e Restauração da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), 1997.

_______________, Imagem de Vestir: revisão de conceitos através de estudo comparativo entre as Ordens Terceiras Franciscanas no Brasil. 2006. Tese (Doutorado em História) - Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2006.

SERCK-DEWAIDE, M., “Bref historique de l’évolution dês traitements dês sculptures”. Bulletin do IRPA – Institut Royal Du Patrimoine Artistique. Bruxeles, 199/1998 (n. 27). Tradução para o português por B. Coelho, In: Boletim do CEIB – Centro de Estudos da Imaginária brasileira, jul. 2005 (v. 9, n. 31).

SILVA, M. B. N., “A Coroa e a remuneração dos vassalos”. In: RESENDE, M. E. L.; VILLALTA, L. C., História das Minas Gerais – As Minas Setecentistas. Belo Horizonte: Autêntica; Companhia do Tempo, 2007 (Vol. 1).

VALLIN, R., “Agustín de Chinchilla Cañizares, maestro escultor en yeso”. Boletín Cultural y Bibliográfico, Biblioteca Luis Ángel Arango del Banco de la República, Colombia – Bogotá, 1987 (Número 12 , Volumen XXIV).

VASCONCELOS, D., “As Obras de Arte”. In: DRUMMOND, M. F. S. I. (org.), Ouro Preto Cidade em Três Séculos; Bicentenário de Ouro Preto; Memória Histórica (1711-1911). Ouro Preto: Liberdade, 2011.

Downloads

Publicado

2016-09-08

Como Citar

SIPAÚBA PROENÇA BRUSADIN (UFMG, BRASIL), L.; EMERY QUITES (UFMG, BRASIL), M. R. A técnica da escultura em madeira com máscara de chumbo policromada: a contingência dos Cristos da Paixão da Ordem Terceira do Carmo de Ouro Preto (MG). Visualidades, Goiânia, v. 14, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/vis.v14i1.35014. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/35014. Acesso em: 23 jun. 2024.