Um rosto é um risco - DOI 10.5216/vis.v12i1.33696

Autores

  • Anna Amélia de Faria Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v12i1.33696

Resumo

Este artigo apresenta resultados preliminares da pesquisa “O rosto sexualizado: pedagogia crítica das artes visuais”. O rosto aparece como expressão e elemento de significativas potências artísticas e estéticas, em distintas gradações valorativas. A pesquisa objetivou analisar as relações entre o rosto e as suas significações, que referem-se a lugares, discursos históricos, criações de si; além de produzirem ortodoxas e heterodoxas pedagogias. A fotografia foi o suporte utilizado para capturar poses de rosto, pois estas contém a ambiência de uma rostidade, quer dizer, uma significação localizada e cosmopolita, promotora de arranjos éticos. Um dos resultados da pesquisa foi o de expor, juntamente com as fotos, essas grandezas.

Palavras-chave: Sexualidade, artes visuais, queer

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-06-01

Como Citar

DE FARIA, A. A. Um rosto é um risco - DOI 10.5216/vis.v12i1.33696. Visualidades, Goiânia, v. 12, n. 1, 2014. DOI: 10.5216/vis.v12i1.33696. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/33696. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos