Cultura visual, ensino da arte e cotidiano: hibridismos e paradoxos - DOI 10.5216/vis.v11i2.30684

Autores

  • Mirela Ribeiro Meira UFPel/Rs
  • Ursula Rosa da Silva UFPel/RS

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v11i2.30684

Resumo

O ensino da arte nas escolas enfrenta uma provocação instigante, para o professor, a saber: como trabalhar as questões e as imagens do cotidiano. A Cultura Visual pode, no campo da arte, apontar para uma aproximação entre a vida, com seus paradoxos, o cotidiano, com seus hibridismos, e a escola, com seus desafios. No encaminhamento de uma reflexão para as possibilidades deste ensino, trazemos a contribuição de autores como Merleau-Ponty, Nicolas Bourriaud, Michel Maffesoli, e ainda, Edgar Morin, que baliza a necessidade de um pensamento complexo para pensar uma realidade complexa, de entrecruzamento de fronteiras, hibridismos, incertezas e contradições que, por isto mesmo, permite diálogos fecundos entre a Arte, a Educação e a Cultura.

Palavras-chave: Cultura Visual, ensino de arte, estética do cotidiano

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-06-25

Como Citar

RIBEIRO MEIRA, M.; ROSA DA SILVA, U. Cultura visual, ensino da arte e cotidiano: hibridismos e paradoxos - DOI 10.5216/vis.v11i2.30684. Visualidades, Goiânia, v. 11, n. 2, 2014. DOI: 10.5216/vis.v11i2.30684. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/30684. Acesso em: 19 maio. 2024.