Posture de la peinture: se tenir ici et maintenant...dans la surveillance sans relâche de tout ce qui commence - DOI 10.5216/vis.v1i1.17792

Autores

  • Françoise Le Gris Universidade de Québec, Montreal

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v1i1.17792

Resumo

O texto aborda o devir da pintura, seu lugar entre outras formas de arte e na vida sócio-cultural. Ao discutir a relação da pintura com o tempo, é dito que a crença num futuro para ela está condicionada a uma transformação permanente, com o que é possível construir um presente ininterrupto. Desenvolvida a partir de noções deleuzianas, esta reflexão sobre o vir-a-ser pintura da pintura procura contextualizá-la numa cultura visual cada vez mais identificada às máquinas do ver (vídeo, fotos, hologramas). Nesse âmbito, pensar a pintura como materialidade e metamorfose contínuas, um vir-a-ser exógeno, estrangeiro ao seu próprio território, significa explorar a pluralidade de seus agenciamentos possíveis.

Palavras-chave: pintura, tempo, involução, máquinas do ver

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-03-01

Como Citar

LE GRIS, F. Posture de la peinture: se tenir ici et maintenant...dans la surveillance sans relâche de tout ce qui commence - DOI 10.5216/vis.v1i1.17792. Visualidades, Goiânia, v. 1, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/vis.v1i1.17792. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/17792. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos