Concepções da equipe de odontologia da atenção primária à saúde sobre precauções padrão

Ana Paula Mhirdaui Sanches, Michely Aparecida Cardoso Maroldi, Darlyani Mariano da Silva, Camila Eugenia Roseira, Isis Pienta Batista Dias Passos, Rosely Moralez de Figueiredo

Resumo


Objetivou identificar a concepção da equipe de odontologia da Atenção Primária em Saúde (APS) quanto às precauções padrão (PP), os obstáculos para seu uso e a segurança do local de trabalho. Estudo exploratório-descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com 70,27% da equipe de odontologia da APS de município paulista, utilizando-se Escalas de Fatores Psicossociais e Organizacionais que Influenciam a Adesão às Precauções-Padrão. Os domínios da escala obtiveram escores intermediários e o valor geral do Coeficiente Alfa de Cronbach foi aceitável. No domínio “Clima de Segurança”, os profissionais destacaram fragilidades diante dos riscos ocupacionais, consideram o acúmulo de atividades e a falta de tempo obstáculos para a adesão às PP, além de reconhecerem a importância da educação continuada sobre a temática. Conclui-se que essa realidade compromete a prática clínica e a segurança, do profissional e do usuário, sendo necessária ampliação das discussões sobre biossegurança tanto na formação como no ambiente de trabalho.

Palavras-chave


Odontologia; Exposição a Agentes Biológicos; Riscos Ocupacionais; Atenção Primária à Saúde

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v18.39960

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem está licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Logotipo do Ibict