O USO INSTRUMENTAL DA FILOSOFIA POLÍTICA DE PLATÃO: UMA EXPERIÊNCIA

Autores

  • Ivo Luciano da Assunção Rodrigues Universidade Federal de Goiás - Campus Jataí
  • Aline Cristine Ferreira Braga do Carmo Universidade Federal de Goiás – Regional Jataí

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v12i1.37172

Palavras-chave:

Cidade, Educação, Sustentabilidade

Resumo

A experiência aqui relatada ocorreu no ano de 2013 com os alunos da turma de 3º ano - Ensino Médio Integrado do curso Técnico em Controle Ambiental do IFMT Campus Barra do Garças. O projeto “Cidades Sustentáveis – Mobilizando pessoas em torno de uma ideia” surgiu nas aulas de Filosofia, com os estudos da teoria política de Platão. Visando pensar política e sustentabilidade a partir da noção de pólis e dos elementos que envolvem o espaço urbano, a turma foi dividida em quatro grupos, cada grupo deveria imaginar/criar sua própria cidade utópica nos moldes da Calípolis platônica. Após a adaptação dos projetos para os dias atuais e, tendo como foco a sustentabilidade, organizou-se uma eleição visando a escolha do melhor. Cada grupo produziu um vídeo de aproximadamente cinco minutos apresentando à comunidade escolar seu projeto urbano, além de panfletos, grupos no facebook e outros materiais de divulgação. Venceu o grupo que conquistou o maior número de cidadãos (votos) para sua cidade. O texto, em formato de artigo, teve como procedimento metodológico a pesquisa bibliográfica, seguida do relato da experiência supracitada. Buscamos fazer uma análise de natureza Histórico-Crítica discutindo o papel da interdisciplinaridade e a necessidade de inclusão da Educação Ambiental no currículo. Além de Platão, são referenciais teóricos deste trabalho Vieira (2012), Freire (1993), Gadotti (2004), Saviani ( e Bloch (2005). Esta experiência, como defende Bloch (2005), revela a proficuidade do pensamento utópico de, perante o descontentamento com o presente, alimentar uma esperança aqui compreendida como promessa de felicidade manifesta via ações para o futuro. O recurso de utilizar as fabulações urbanas dispondo lado a lado alguns modelos idealizados de cidade mostrou-se, como supõe Vieira (2012), eficaz para traçar vetores de contraste e de consonância que possibilitaram lançar novos olhares sobre a urbanidade contemporânea e os alicerces educacionais que a sustentam.

Palavras-chave: Cidade. Educação. Sustentabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivo Luciano da Assunção Rodrigues, Universidade Federal de Goiás - Campus Jataí

Possui graduação em Filosofia (2004) e Pós Graduação em Filosofia Contemporânea (2006) pela UFSJ - Universidade Federal de São João Del Rei. Mestrando em Educação pela UFG/CAJ - Universidade Federal de Goiás - Campus Avançado Jataí . Atualmente é professor titular do IFMT - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso - Campus Barra do Garças. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ética.

Aline Cristine Ferreira Braga do Carmo, Universidade Federal de Goiás – Regional Jataí

Graduada em Ciências Sociais com ênfase em Sociologia pela UNESP/ Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Faculdade de Filosofia e Ciências/Campus de Marília. Tendo como foco de pesquisa as práticas de consumo e induções ao consumismo infantil. Pós-graduada em práticas docentes e gestão na educação básica. Mestranda na área de educação pela UFG/ Universidade Federal de Goiás/ Campus Jataí.

Referências

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: Introdução à Filosofia. 3ed. São Paulo: Moderna, 2004.

BACON, Francis. Nova Atlântida. In Os Pensadores: Francis Bacon. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1988.

BLOCH, Ernest. O princípio esperança. V. 1. Rio de Janeiro: EdUERJ; Contraponto, 2005

CAMPANELLA, T. A cidade do sol. Lisboa: Guimarães, 1953.

FREIRE, Paulo. Política e educação. São Paulo: Cortez, 1993.

GADOTTI, Moacir; PADILHA, Paulo Roberto; CABEZUDO, Alicia. Cidade educadora: princípios e experiências. São Paulo: Cortez/IPF, 2004.

_________. A escola na cidade que educa. Cadernos CENPEC, n.1, p.133-139, 2006.

HUXLEY, Aldous. Admirável Mundo Novo. Rio de Janeiro: Editora Globo, 1932.

LEITE, Carlos. Cidades Sustentáveis, Cidades Inteligentes. São Paulo: Bookman Cia. Ed., 2012.

MONTEAGUDO, Ricardo. Filosofia Política. Rev. Bras. Formação Docente. UNESP, SP. Disciplina n. 4. 2012. 56p. Disponível em <http://www.acervodigital.unesp.br/bitstream/123456789/41534/6/2ed_filo_m2d4.pdf> acesso em: 22 nov. 2014.

MORUS, T. A Utopia. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

PLATÃO. A República. 2ª Ed. [s.l.] Editora Escala, 2007.

POPPER, Karl (1957-1974), A Sociedade Aberta e os Seus Inimigos, São Paulo, Editora Itatiaia/Editora da Universidade de São Paulo, trad. da 5.a ed., 1957, de The Open Society and Its Enemies, Londres, Routledge and Kegan Paul, 1945.

SAVIANI, D. O Ensino básico e o processo de democratização da sociedade brasileira. Revista ANDE, ano 4, n.7, pp.9-13.,1984.

TRAJBER, R.; MENDONÇA, P. R. (Orgs.) O que fazem as escolas que dizem que fazem educação ambiental. Brasília: MEC/Secad, 2006.

VIEIRA, Elisa. A cidade e o governo dos homens: sobre o lastro educacional da urbanidade contemporânea. 2012. 96p. Dissertação (Mestrado-PPG em Educação) Faculdade de Educação USP, São Paulo, 2012.

<http://www.cidadessustentaveis.org.br/> acesso em: 22 nov. 2014.

Downloads

Publicado

2016-02-29

Como Citar

RODRIGUES, I. L. da A.; DO CARMO, A. C. F. B. O USO INSTRUMENTAL DA FILOSOFIA POLÍTICA DE PLATÃO: UMA EXPERIÊNCIA. Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 12, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/rir.v12i1.37172. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rir/article/view/37172. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Elicpibid - 2º Encontro de Licenciaturas do Sudoeste Goiano