O USO DE “TECNOLOGIAS” NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

Autores

  • Ana Carolina Gondim Inocêncio Universidade Federal de Goiás
  • Marcos Wagner de Souza Ribeiro Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v12i1.37151

Palavras-chave:

Tecnologias da Informação e Comunicação, Software Educacional, Nativos Digitais

Resumo

Com o avanço das novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), novos hábitos estão se incorporando ao cotidiano da população, o que implica em novos bens de consumo, novas formas de trabalho e, por conseguinte, novas competências profissionais. Na área da educação, estas novas tecnologias, principalmente com a inserção do computador, surgiram como uma alternativa a mais no processo de ensino e aprendizagem e tem provocado grandes discussões sobre a vigente concepção deste processo. A abundância de softwares educacionais e diversas formas de uso do computador indicam que esta tecnologia pode ser de grande utilidade para a educação. No entanto, a educação não sofreu nenhuma mudança significativa que propiciasse o uso destas novas tecnologias de forma inovadora. Houve, apenas uma adequação que permitiu que a tecnologia fosse pouco a pouco intermeando os processos educacionais, tornando-os apenas automatizados. Conclui-se então que não houve uma reflexão acerca desta mudança e o paradigma foi estabelecido com base no processo tradicional de ensino. Neste contexto, o presente projeto de pesquisa, tem como intuito o desenvolvimento de formações, que permitam ao professor um espaço para refletir quais são as reais necessidades cognitivas de seus alunos e posteriormente possibilitar a este professor expressar, de forma autônoma, estas necessidades permitindo que as mesmas possam ser traduzidas em softwares educacionais que se enquadrem no cotidiano e nas necessidades destes alunos, ditos nativos digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANNETA, L., “The “I’s” have it: A framework for serious educational game design,” Review of General Psychology, vol. 14, no. 2, pp. 105-112, 2010.

CROSSLY, R., “Study: Average dev costs as high as $28 m,” Retreived April, vol. 12, pp. 2010, 2010.

DEMACHY, T., “Extreme game development: Right on time, every time,” Retrieved April, vol. 2, pp. 2006, 2003.

FLOOD, K., “Game unified process,” GameDev. net, 2003.

HADDAD, Wadi D. ICTs for Education: “A Reference Handbook”. ICT in Education Toolkit. Version 2.0. Disponível em www.ictinedtoolkt.org. Acessado em 22 de maio de 2013.

INOCÊNCIO, A. C. G., PARREIRA, P. A. J., VALLE, P. H. D., MUNIZ, R. J., VILELA, R. F., LIMA, W. A. “Processo Otimizado para o Desenvolvimento de Módulos Educacionais Digitais com o Envolvimento do Professor”. In 2º Seminário Nacional de Inclusão Digital, Passo Fundo, 2013.

INSPER, Instituto de Ensino e Pesquisa. “Panorama Educacional Brasileiro. Uma análise de 1992 a 2009”. Disponível em: http://www.insper.org.br/cpp. Acessado em: 16 de maio de 2013.

MATTAR, João. “Games em Educação: como os nativos digitais aprendem”. São Paulo: Pearson Prenticel Hall, 2010.

MORAIS, A. M., MACHADO, L. d. S., and VALENÇA, A. M. G.. “Planejamento de um Serious Games Voltado para Saúde Bucal em Bebês,” Revista de Informática Teórica e Aplicada, vol. 18, no. 1, pp. 158-175, 2011.

PEREIRA, D. R. Pereira. “O ensino através do computador: os tipos de softwares educativos e seu uso”. Texto Livre: linguagem e tecnologia, vol. 1, no. 2, 2011.

PETRILLO, F. d. S..“Práticas ágeis no processo de desenvolvimento de jogos eletrônicos,” 2008.

PRENSKY, M. Digital Game-Based Learning. New York: McGraw Hill, 2001.

RABIN, Steve. “Introdução ao Desenvolvimento de Games: Vol. 1: entendendo o universo dos jogos”. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

RODRIGUES, H. F, MACHADO, L. d. S., VALENÇA, A. M. G. . “Definição e Aplicação de um Modelo de Processo para o Desenvolvimento de Serious Games na Área de Saúde”. Proceedings of the CSBC, pp. 1532-1541, 2010.

RONDON, S., SASSI, F. C., and ANDRADE, C. R. F. de, “Computer game-based and traditional learning method: a comparison regarding students’ knowledge retention,” BMC Medical Education, vol. 13, no. 1, pp. 30, 2013.

SANTOS, R. A., GÓES, V. A., and ALMEIDA, L. F., “Metodologia OriGame: um processo de desenvolvimento de jogos,” Art & Design Track, 2012.

SOARES, Suely de Brito Clemente. “CiberEduc: construção e desenvolvimento de uma comunidade virtual de aprendizagem colaborativa das TICs, aplicadas ao fazer diário de bibliotecários de referência de universidades brasileiras”. Dissertação de Mestrado. UNICAMP – Campinas – SP. 2006

VALENTE, J. A., “Diferentes usos do computador na educação,” Computadores e Conhecimento: repensando a educação, pp. 1-23, 1993.

Downloads

Publicado

2016-03-07

Como Citar

INOCÊNCIO, A. C. G.; RIBEIRO, M. W. de S. O USO DE “TECNOLOGIAS” NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM. Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 12, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/rir.v12i1.37151. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rir/article/view/37151. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Elicpibid - 2º Encontro de Licenciaturas do Sudoeste Goiano