DIAGNÓSTICO DA REALIDADE ESCOLAR COMO INSTRUMENTO NORTEADOR DE AÇÕES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID)

Autores

  • Joceline Maria da Costa Soares Instituto Federal Goiano - Câmpus Urutaí
  • Christina Vargas Miranda e Carvalho Instituto Federal Goiano - Câmpus Urutaí
  • Luciana Aparecida Siqueira Silva Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí
  • Débora Astoni Moreira Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí
  • Juliana Carla Carvalho dos Santos Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí
  • Geisiany Soares da Costa Cota Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v12i1.37137

Palavras-chave:

Diagnóstico. Realidade escolar. Formação de professor..

Resumo

Diversos estudos científicos da atualidade questionam a qualidade dos cursos de formação de professores no Brasil e discutem o distanciamento existente entre as instituições formadoras e a Educação Básica, contexto de atuação dos futuros professores. Neste sentido, o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) tem sido uma importante iniciativa, diminuindo este distanciamento e promovendo melhorias na qualidade da formação docente. Objetivou-se neste trabalho descrever o processo de inserção de licenciandos em Ciências Biológicas, Química e Matemática no contexto de uma escola parceira do Pibid. A coleta de dados foi realizada por meio de documentos, entrevista e observação direta. Os bolsistas de Iniciação à Docência foram divididos em seis grupos, sendo cada grupo responsável por diagnosticar um dos seguintes setores: estrutura física; histórico da escola; dados da secretaria; perfil dos alunos e expectativas; gestão escolar e coordenação pedagógica; eventos realizados na escola. A realização do diagnóstico permitiu conhecer diversos aspectos do colégio conveniado ao Pibid e, consequentemente, contribuiu para a elaboração de ações para solucionar os problemas verificados. Percebeu-se também que as ações desenvolvidas até o momento possibilitaram uma maior reflexão entre os alunos bolsistas, referentes às práticas docentes que podem vir a ser executadas enquanto futuros docentes. E ainda, os alunos do colégio estão sendo beneficiados com as atividades que estão sendo ofertadas com o intuito de melhorar o ambiente escolar e a aprendizagem desses alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joceline Maria da Costa Soares, Instituto Federal Goiano - Câmpus Urutaí

Licencianda em Química pelo Instituto Federal Goiano - Câmpus Urutaí, bolsista de iniciação à docência Pibid - subprojeto Química

Christina Vargas Miranda e Carvalho, Instituto Federal Goiano - Câmpus Urutaí

Mestre em Ciências Moleculares, Professora de Educação Básica Técnica e Tecnológica do Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí, Coordenadora de área do Pibid

Luciana Aparecida Siqueira Silva, Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí

Mestre em Biologia, Professora de Educação Básica Técnica e Tecnológica do Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí, Coordenadora de área do Pibid

Débora Astoni Moreira, Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí

Doutora em Engenharia Agrícola, Professora de Educação Básica Técnica e Tecnológica do Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí, Coordenadora de área do Pibid

Juliana Carla Carvalho dos Santos, Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí

Licencianda em Química pelo Instituto Federal Goiano - Câmpus Urutaí, bolsista de iniciação à docência Pibid - subprojeto Química

Geisiany Soares da Costa Cota, Instituto Federal Goiano – Câmpus Urutaí

Licencianda em Química pelo Instituto Federal Goiano - Câmpus Urutaí, bolsista de iniciação à docência Pibid - subprojeto Química

Referências

BRASIL. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria n° 096 de 18 de julho de 2013. Brasília: CAPES, 2013.

CACHAPUZ, A.; GIL-PÉREZ, D.; CARVALHO, A. M. P. de; PRAIA, J.; VILCHES, A. A necessária renovação do ensino das ciências. 3.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

CARVALHO, R. L. C.; BORGES, S. T. P. Realidade escolar: um relato etnográfico. Revista Eletrônica de Ciências Sociais, n. 15, p. 110-121, 2010.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, n. 22, p. 89-100, 2003.

CHASSOT, A. Para que(m) é útil o ensino? 3. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2014.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e misto. 2. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2007.

ESCOLANO, A. Arquitetura como programa: espaço-escola e currículo. In: VIÑAO FRAGO, A.; ESCOLANO, A. Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p. 19-57.

FERREIRA, L. H.; KASSEBOEHMER, A. C. Formação inicial de professores de Química: a instituição formadora (re)pensando sua formação social. São Carlos: Pedro & João Editores, 174p. 2012.

FRISON, L. M. B.; SCHWARTS, S. Motivação e aprendizagem: avanços na prática pedagógica. Ciências & Letras, n. 32, p. 117-131, 2002.

GIL, A. C. Metodologia do Ensino Superior. São Paulo: Atlas, 2008

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

LAKATOS, E.; MARCONI, M. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 1992.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1994. 263 p.

MARANDINO, M.;SELLES, S. E.;FERREIRA, M. S. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2009. 215 p.

MELO, D. J. F.; JUNQUEIRA M. P. A importância do diagnóstico da realidade dos alunos para o planejamento das atividades do Pibid. Anais do II Encontro Interinstitucional do PIBID/UFU/UFTM, Universidade Federal de Uberlândia, Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Uberlândia, MG, 2012.

MOREIRA, A. F. B. A importância do conhecimento escolar em proposta curricular alternativa. Educação em Revista, v. 45, p. 265-290, 2007.

NEITZEL, A. de A.; FERREIRA, V. S.; COSTA, D. Os impactos do Pibid nas licenciaturas e na educação básica. Revista Conjectura: Filosofia Educação, Caxias do Sul, v. 18, n. especial, p. 98 -121, 2013.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e Docência. São Pulo: Vozes, 2004. 296 p.

RIBEIRO, S. L. Espaço escolar: um elemento (in)visível no currículo. Sitientibus, n.31, p. 103-118, 2004.

SANTOS, M. R.; VARELA, S. A. Avaliação como um instrumento diagnóstico da construção do conhecimento nas séries iniciais do ensino fundamental. Revista Eletrônica de Educação, n. 01, p. 1-14, 2007.

STANZANI, E. L.; BROJETTI, F. C. D.; PASSOS, M. M. As Contribuições do PIBID ao Processo de Formação Inicial de Professores de Química. Química Nova na Escola, v. 34, n. 4, p. 210-219, 2012.

VERGARA, S. C. Métodos de coleta de dados no campo. São Paulo: Atlas, 2009.

WIEBUSCH, A.; RAMOS, N. V. As repercussões do Pibid na formação inicial de professores. In: IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul, ANPED SUL. Universidade de Caxias do Sul. Florianópolis, SC, 2012.

YIN, R. K. Estudo de caso – planejamento e métodos. 2 ed. Porto Alegre, RS: Bookman, 2001.

ZEICHNER, K. M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação &. Sociedade, v. 29, n. 103, p. 535-554, 2008.

Downloads

Publicado

2016-02-25

Como Citar

SOARES, J. M. da C.; CARVALHO, C. V. M. e; SILVA, L. A. S.; MOREIRA, D. A.; SANTOS, J. C. C. dos; COTA, G. S. da C. DIAGNÓSTICO DA REALIDADE ESCOLAR COMO INSTRUMENTO NORTEADOR DE AÇÕES DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID). Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 12, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/rir.v12i1.37137. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rir/article/view/37137. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Elicpibid - 2º Encontro de Licenciaturas do Sudoeste Goiano