DESENVOLVIMENTO HUMANO E CINEMA: RELATO DE EXPERIÊNCIA EM DISCIPLINA DE NÚCLEO LIVRE

Autores

  • Tales Vilela Santeiro Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí
  • Leylane Franco Leal Barboza Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí
  • Ludimila Faria Souza Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí
  • Vanessa Assis Menezes Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí
  • Joice Veridiane Schumacher Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí
  • Priscila Barbosa de Oliveira Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí
  • Thays Silva Leite Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v10i2.32681

Palavras-chave:

Ciclo vital, filmes, multidisciplinaridade, processos grupais.

Resumo

O desenvolvimento humano pode ser concebido e estudado sob diversidade teórica e metodológica, especialmente no meio universitário, no qual diálogos multiprofissionais e interdisciplinares favorecem a ampliação da visão de homem e de mundo do estudante. Este trabalho visa relatar experiência tida em universidade pública federal, de atividades pedagógicas vinculadas à Disciplina “Desenvolvimento humano e Cinema”, oferecida por curso de Psicologia a público universitário diversificado (Núcleo Livre/NL). O NL fundamentava-se em teorias psicodinâmicas sobre o desenvolvimento humano e utilizava da técnica de grupos operativos focados em processos de aprendizagem. O trabalho foi coordenado por um professor adjunto, psicólogo, e contava com equipe executora composta por duas estagiárias (9º período), duas estudantes voluntárias (uma de 3º período e outra, de 7º), todos vinculados a um curso de Psicologia. Trinta estudantes de diferentes cursos de graduação (Enfermagem, Biologia, Fisioterapia, Direito, Psicologia, Pedagogia e Letras) se matricularam e participaram das atividades, desenvolvidas em miniauditório integrado a um serviço-escola de Psicologia. O material utilizado constituiu-se de uma TV de 32 polegadas, um aparelho DVD, e de 12 filmes comerciais, que exploravam desde a constituição familiar e a fecundação, até a velhice e a morte. Durante o primeiro semestre letivo de 2014, 16 encontros semanais, de quatro horas de duração cada, foram realizados. A somatória dos filmes, da fundamentação psicodinâmica e do formato de grupo operativo instigou construção de aprendizados coletivos. Experiências cotidianas e vitais dos estudantes puderam ser compartilhadas ludicamente e solidificaram avaliações processuais de caráter positivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tales Vilela Santeiro, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí

Professor Adjunto do Curso de Psicologia

Leylane Franco Leal Barboza, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí

Estudante do Curso de Graduação em Psicologia (ex-bolsista PIVIC/UFG).

Ludimila Faria Souza, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí

Estudante do Curso de Graduação em Psicologia (ex-bolsista PIVIC/UFG).

Vanessa Assis Menezes, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí

Estudante do Curso de Graduação em Psicologia (bolsista PIBIC/UFG).

Joice Veridiane Schumacher, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí

Estudante do Curso de Graduação em Psicologia (bolsista PIVIC/UFG).

Priscila Barbosa de Oliveira, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí

Estudante do Curso de Graduação em Psicologia (ex-bolsista PIVIC/UFG).

Thays Silva Leite, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí

Estudante do Curso de Graduação em Psicologia (bolsista PROCOM/UFG).

Referências

BAHIANA, A. M. Como ver um filme. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

BASSOLS, A. M. S.; DIEDER, A. L.; CZEKTER, M. V.; PEREIRA, M. P. A. A criança pré-escolar. In: EIZIRIK, C. L; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2013, p. 127-141.

BASTOS, A. B. B. I. A técnica de grupos operativos à luz de Pichon-Rivière e Henri Wallon. Psicólogo inFormação, v. 14, p. 160-169, 2010.

BLEGER, J. Temas de Psicologia: Entrevista e grupos. Trad. R. M. M. Moraes. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 2. ed. (Original publicado em 1980).

BOCK, A. M. B.; ODAIR, F.; SARAIVA, M. C. T. Psicologias: Uma introdução ao estudo da Psicologia. 14 ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

BRAVIN, A. A.; HENRIQUES M. B. Cinema, ensino e divulgação da análise do comportamento: relato exemplificado de experiência. In: SANTEIRO, T. V.; BARBOSA, D. R. (Orgs.). A vida não é filme? Reflexões sobre Psicologia e Cinema. Uberlândia: EDUFU, 2013. Cap. II, p. 55-94.

CASTANHO, P. C. G. O momento da tarefa no grupo: aspectos psicanalíticos e psicossociais. Revista da SPAGESP, vol. 8, n. 2, p. 13-22, 2007.

CASTANHO, P. Uma introdução aos Grupos Operativos: Teoria e técnica. Vínculo, vol. 9, n. 1, p. 47-60, 2012.

COMBINATO, D. S.; Queiroz, M. S. Morte: Uma visão psicossocial. Estudos de Psicologia. Vol. 11, n. 2, p. 209-216, 2006.

DELA COLETA, A. S. M.; DELA COLETA, M. F.. GUIMARÃES, J. L. O amor pode ser virtual? O relacionamento amoroso pela internet. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 2, p. 277-285, 2008.

EIZIRIK, C. L. A velhice. In: EIZIRIK, C.L.; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2013, p. 227-240.

EIZIRIK, C. L.; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.

FALCETO, O. G.; WALDEMAR, J. O. C. O ciclo vital da família. In: EIZIRIK, C. L.; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2013, p. 77-94.

FERREIRA, M. H. M.; ARAÚJO, M. S. Idade escolar: latência (6 a 12 anos). In: EIZIRIK, C. L.; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2013, p. 145-153.

FREITAS; L. H.; HAGEL, L. D. A puberdade. In: EIZIRIK, C. L.; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2013, p. 155-166.

FREUD, S. Delírios e Sonhos na Grávida de Jensen. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, 3.ed. Rio de Janeiro: Imago, IX, p.15-87.

ISOLAN, L.; MALTZ, S.; MANFRO, G. G. A criança de 0 a 3 anos. In: EIZIRIK, C. L.; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2013, p. 111-124.

JONZE, S. (Diretor). Her. Estados Unidos. Sony Pictures, 2013.

LEVY, R. O adolescente. In: EIZIRIK, C. L.; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2013, p. 167-180.

MAIA, A. A. R. M.; MANCEBO, D. Juventude, trabalho e projetos de vida: Ninguém pode ficar parado. Psicologia, Ciência e Profissão, vol. 30, n. 2, p. 376-389, 2010.

OSÓRIO, L. C. Grupos: teorias e práticas: Acessando a era da grupalidade. Porto Alegre: Artmed, 2000.

OSÓRIO. L. C. Como trabalhar com sistemas humanos: Grupos, casais e famílias, empresas. Porto Alegre: Artmed, 2013.

PAPALIA, D.; OLDS, S.W.; FELDMAN, R. D. Desenvolvimento humano. 8 ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

PICHON-RIVIÈRE, E. O processo grupal. Trads. M. S. Gonçalves, M. A. F. Velloso. São Paulo: Martins Fontes, 2009. 8. ed. (Original publicado em 1983).

PINCUS, L.; DARE, C. Psicodinâmica da família (2a ed.). (C. Rotenberg; S. Kleinke, Trads.). Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

PRATTA, E. M. M.; SANTOS, M. A. Família e adolescência: A influência do contexto familiar no desenvolvimento psicológico de seus membros. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 12, n. 2, p. 247-256, 2007.

SANTEIRO, T. V.; BARBOSA, D. R. (Orgs.). A vida não é um filme? Reflexões sobre Psicologia e Cinema. Uberlândia: EDUFU, 2013.

SILVA, S. M. C.; SOUSA, K. A.; ROSA, A. P.; PIRES, V. S. “A Culpa é do Fidel”: Reflexões sobre mediação, cinema e educação. In: SANTEIRO, T. V.; BARBOSA, D. R.(Orgs.). A vida não é filme? Reflexões sobre Psicologia e Cinema. Uberlândia: EDUFU, 2013. Cap. IV, p. 119-143.

SILVEIRA, P. G.; WAGNER, A. Ninho cheio: a permanência do adulto jovem em sua família de origem. Estudos de Psicologia. vol. 23, n. 4, p. 441-453, 2006.

SPITZ, R. O primeiro ano de vida. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Resolução - CEPEC Nº 1122. Goiânia: Conselho de Ensino, Pesquisa, Extensão e Cultura da Universidade Federal de Goiás, 2012. Acessado em 6 ago. de 2014. Disponível em: http://sistemas.ufg.br/consultas_publicas/resolucoes/arquivos/Resolucao_CEPEC_2012_1122.pdf

ZAVASCHI , M. L. S; COSTA, F.; BRUMSTEIN, C.; BERGMANN, D. S. O bebê e os pais . In: EIZIRIK, C. L.; BASSOLS, A. M. S. (Orgs.). O ciclo da vida humana: Uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre: Artmed, 2013, p. 77-94.

Downloads

Publicado

2015-03-23

Como Citar

SANTEIRO, T. V.; BARBOZA, L. F. L.; SOUZA, L. F.; MENEZES, V. A.; SCHUMACHER, J. V.; OLIVEIRA, P. B. de; LEITE, T. S. DESENVOLVIMENTO HUMANO E CINEMA: RELATO DE EXPERIÊNCIA EM DISCIPLINA DE NÚCLEO LIVRE. Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 10, n. 2, 2015. DOI: 10.5216/rir.v10i2.32681. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rir/article/view/32681. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

PSICOLOGIA: Desafios e possibilidades sob uma perspectiva educacional [Dossiê de Psicologia]