EDUCAÇÃO E CONCEPÇÕES AMBIENTAIS NO CÂMPUS JATAÍ DO IFG

Autores

  • Marluce Silva Sousa Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v10i2.32321

Palavras-chave:

Problemas ambientais, educação ambiental, intervenções conservacionistas, concepções ambientais.

Resumo

A questão ambiental vivenciada na atualidade,protagonizada por impactos diversos, que vão da escala mundial à local, éresultante do modelo de desenvolvimento capitalista. Considera-se que a escola, meio ambiente vivido ecompartilhado pelo aluno, é o lócusda aprendizagem e da formação de valores e hábitos e, também, da reprodução dasconcepções vigentes. Mas pode ser, contudo, o lócus da produção de novas concepções, valores e hábitos. Nessaperspectiva, o texto resulta de análises e proposições relativas à educaçãoambiental no Câmpus Jataí, do Instituto Federal de Educação, Ciência eTecnologia de Goiás. Foi realizado um diagnóstico de problemas presentes noambiente escolar e implantadas algumas ações e intervenções com o propósito debuscar amenizar tais problemas, além de conservar e melhorar o meio ambiente escolar.Também, foram pesquisadas concepções ambientais da comunidade escolar antes edepois das intervenções. A análise dos resultados pode subsidiar o delineamentode políticas de gestão ambiental com ações sistemáticas e de melhores efeitos,que gerem desdobramentos para além dos muros escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marluce Silva Sousa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Referências

BERNARDES, J. A.; FERREIRA, F. P. de M. Sociedade e natureza. In: CUNHA, S. B. da; GUERRA, A. J. T. (Orgs.) A questão ambiental: diferentes abordagens. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003. p. 17-41.

BERTONI, J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. 2. ed. São Paulo: Editora Ícone, 1993. 352 p.

BRASIL. MEC. Cadernos Secad 1. Educação Ambiental: aprendizes de sustentabilidade. Brasília, 2007a. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12504:cadernos-tematicos&catid=190:setec>. Acesso em: 18 out. 2012.

______. MEC. Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em Educação Ambiental na escola. Brasília, 2007b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao3.pdf. Acesso em 10 set 2012.

______. Ministério das Minas Energia. Relatório do mercado de derivados do petróleo Anual, mar. 2010, n. 51.

______. PCNs – PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Temas transversais: meio ambiente e saúde, 1998.

BERTONI; J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. 4. ed. São Paulo: Ícone, 1999, 355 p.

CASSETI, V. A ideologia da Modernidade e o meio ambiente. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 15, n. 1, p. 17-34, jan./dez.1995.

EMBRAPA, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Técnicas de preparo do solo: efeitos na fertilidade e na conservação do solo, nas ervas daninhas e na conservação de água. Circular técnica nº 17. Goiânia: 1984.

GONÇALVES, C. W. P. Os (des)caminhos do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2004.

GRESSLER, L. A.. Introdução à pesquisa: projetos e relatórios. São Paulo: edições Loyola, 2003.

HARVEY, D. O enigma do capital e as crises do capitalismo. Tradução de João Alexandre Peschanski. São Paulo: Boitempo, 2011.

Lei nº 9.795, de 27 de Abril de 1999 Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências.

LEPSCH, I. F. (Coord.). Manual para levantamento utilitário do meio físico e classificação de terras no sistema de capacidade de uso. Campinas: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1991.

_____. Formação e Conservação dos Solos. São Paulo: Oficina de Textos, 2002.

LOUREIRO, C. F. B. Educação ambiental crítica: contribuições e desafios. In: BRASIL. MEC. Vamos cuidr do Brasil: conceitos e práticas em Educação Ambiental na escola. Brasília, 2007b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao3.pdf. Acesso em 10 set 2012. crítica:

MORAIS, E. M. B. A ideia de natureza na prática cotidiana. Dissertação (Mestrado em Geografia). 2000. 180 f. Universidade Federal de Goiás, Instituto de Estudos Sócio-Ambientais. Goiânia, 2000.

PAIVA, P. B.; SOUSA, M. S. Diagnóstico de problemas ambientais no Câmpus jataí, como subsídio ao estabelecimento de medidas mitigadoras. Relatório Final de PIBIC. IFG, 2012.

SAUER, C. O. Desenvolvimentos recentes da Geografia Cultural. In: CORRÊA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (Orgs). Geografia Cultural: um século. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2000.

SOUSA, M. S. As transformações da paisagem: contribuição ao estudo da formação de areais na bacia do Ribeirão Sujo, município de Serranópolis/GO. Dissertação (Mestrado em Geografia). Goiânia: UFG, 2007.

TAMAIO, I. O professor na construção do conceito de natureza: uma experiência de educação ambiental. – São Paulo: Annablume: WWF, 2002.

TUAN, Y.. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Difel, 1980.

VIEIRA, P. S. Meio Ambiente, Desenvolvimento e Planejamento. In: VIOLA, E.J. et al. (Orgs.) Meio Ambiente, Desenvolvimento e Cidadania: Desafios para ciências sociais . Ed. nacional: 1998. p. 45-98.

Downloads

Publicado

2015-02-13

Como Citar

SOUSA, M. S. EDUCAÇÃO E CONCEPÇÕES AMBIENTAIS NO CÂMPUS JATAÍ DO IFG. Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 10, n. 2, 2015. DOI: 10.5216/rir.v10i2.32321. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rir/article/view/32321. Acesso em: 1 dez. 2022.