A METODOLOGIA DO GRUPO FOCAL E A FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR: UM OLHAR INTERATIVO ENVOLVENDO A ARTICULAÇÃO COGNIÇÃO E EMOÇÃO.

Autores

  • Wagner Marcelo Pommer UNIFESP/Diadema
  • Clarice Peres Carvalho Retroz Pommer Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da USP

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v10i2.30250

Palavras-chave:

Articulação cognição&emoção, Grupo Focal, Vygotsky, Formação de professores.

Resumo

Apresentamos neste artigo uma forma de contribuição propiciada pela metodologia do Grupo Focal para a formação continuada de professores. O Grupo Focal se insere no modo de pesquisa qualitativo, no entorno do processo de comunicação realizado por diálogos, onde se incentiva a exposição dos envolvidos, de modo espontâneo, em torno de um foco. Temos por hipótese que o Grupo Focal constitui importante estratégia para discussão e mobilização dos professores frente às diversas demandas exigidas pela prática pedagógica. A pesquisa visou discutir e diagnosticar como o docente se percebe e é percebido como um profissional que denota sentido ao seu trabalho e, consequentemente, apresenta uma ação mais motivada e proativa. Aplicamos a metodologia do Grupo Focal a um grupo de professoras do Ensino Fundamental I, objetivando verificar como e de que forma os elementos da dimensão afetiva e cognitiva se revelaram no fazer docente. O suporte teórico-metodológico foi a Psicologia Sócio-Histórica, que possibilitou, a partir das manifestações orais e gestuais das professoras, organizar três núcleos de significação: ser professora, trabalho docente e autoria docente. Os conteúdos dos três núcleos do fazer pedagógico - pensar, sentir e agir - revelaram-se por contradições, semelhanças e complementaridades. A expressividade vivenciada favoreceu aos próprios professores perceberem a importância da articulação cognição e emoção no trabalho do professor, revelando um contraponto entre a vontade e o desconforto, categorias expostas por Vygotsky (2003), que podem contribuir para motivar as dinâmicas de formação continuada de professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wagner Marcelo Pommer, UNIFESP/Diadema

Professor do curso de Licenciatura em Ciências da UNIFESP/Campus Diadema.

Referências

Referências Bibliográficas

AGUIAR, W. M. J. A Pesquisa em Psicologia Sócio-Histórica: Contribuições para o debate metodológico. In: BOCK, Ana M. Bahia; GONÇALVES, Maria G. M.; FURTADO, Odair Psicologia Sócio Histórica. 2 ed. São Paulo: Cortez Editora, 2002. Cap. 7, p. 129 -140.

GAMA, M. E.; TERRAZZAN, E. A. Características da formação continuada de professores nas diferentes regiões do país. 30ª Reunião da ANPED, 2007. Disponível em: <http://30reuniao.anped.org.br/trabalhos/GT08-3846--Int.pdf>. Acesso em 20. Mai. 2014.

KRUEGER, R. A. Developing questions for focus groups. Oaks (califórnia): Sage, 1998.

LEITÃO, B. J. M. Grupos de foco: o uso da metodologia de avaliação qualitativa como suporte complementar à avaliação quantitativa realizada pelo Sistema de Bibliotecas da USP. 2003. 131f. Dissertação (Mestrado em Comunicações e Artes), ECA, Universidade de São Paulo, São Paulo.

MOLON, S. I. Entrelaçando a psicologia e a educação: uma reflexão sobre a formação continuada de educadores à luz da psicologia sócio-histórica. ContraPontos: Revista de Educação da Universidade do Vale do Itajaí. Itajaí, São Paulo, ano 2, n. 5, p.215 – 225, maio-ago. 2002.

MORGAN, D. L. Focus groups as qualitative research: Qualitative research methods series; v.16. Thousand Oaks, California: Sage Publications, 1997.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. (coord.). Os professores e a sua formação. 2.ed, Lisboa: Dom Quixote, 1992.

OLIVEIRA, M. K.; REGO, T. C. Vygotsky e as complexas relações entre cognição e afeto. In: ARANTES, Valéria Amorim (org.) Afetividade na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus Editorial, 2003. p.13-34.

ROMERO, S. M. A utilização da Metodologia dos Grupos Focais na Pesquisa em Psicologia. In: Psicologia e Pesquisa: Perspectivas Metodológicas. Porto Alegre: Editora Sulina.2000..

SAWAYA, B. B. Prefácio. In: MOLON, Susana Inês. Subjetividade e constituição do sujeito em Vygotsky. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003. p. 9 - 13.

STANGHERLIM, R.; ANDRÉ, M. Subjetividade e identidade no desenvolvimento profissional de formadores. VIII Congresso Estadual Paulista sobre formação de educadores, p. 319-328, 2005.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 6 ed., São Paulo: Martins Fontes, 2002.

__________________. Pensamento e linguagem. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

__________________. Psicologia Pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2003.

Downloads

Publicado

2015-02-13

Como Citar

POMMER, W. M.; POMMER, C. P. C. R. A METODOLOGIA DO GRUPO FOCAL E A FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR: UM OLHAR INTERATIVO ENVOLVENDO A ARTICULAÇÃO COGNIÇÃO E EMOÇÃO. Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 10, n. 2, 2015. DOI: 10.5216/rir.v10i2.30250. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rir/article/view/30250. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

PSICOLOGIA: Desafios e possibilidades sob uma perspectiva educacional [Dossiê de Psicologia]