LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA: ANÁLISE DOS INSTRUMENTOS PEDAGÓGICOS AUXILIARES PARA A APRENDIZAGEM DE GEOMETRIA NÃO EUCLIDIANA

Autores

  • Wanderley Pivatto Brum Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC,SC.
  • Sani de Carvalho Rutz da Silva Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR. Campus Ponta Grossa.

DOI:

https://doi.org/10.5216/rir.v10i2.27782

Palavras-chave:

livros didáticos, geometria não euclidiana, instrumentos pedagógicos, aprendizagem.

Resumo

Resumo: Apresentamos os resultados de um estudo que objetivou analisar os instrumentos pedagógicos presentes em seis livros didáticos de Matemática, em relação ao conteúdo de Geometria não Euclidiana, utilizados por professores do ensino médio de uma escola pública, no ano de 2013, localizada na cidade de Florianópolis, Santa Catarina. O estudo de caráter qualitativo, buscou primeiramente verificar o número de capítulos destinados ao tema “Geometria não Euclidiana” e, posteriormente, foram analisadas a presença e frequência de instrumentos pedagógicos categorizados como: figuras, charges, história em quadrinhos, indicação de sites, leitura adicional, glossário e práticas. Os resultados mostraram que a maioria dos livros analisados apresentaram o instrumento figuras como o mais frequente, seguido por textos complementares para leitura adicional. Instrumentos como charge e indicação de sites foram encontrados em apenas um dos livros. Em geral, os livros analisados reproduzem ainda um modelo memorístico de ensino que não privilegia a contextualização e participação do estudante no processo de aprendizagem.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanderley Pivatto Brum, Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC,SC.

Doutorando em Ensino de Ciência e Tecnologia pela UTFPR/PR

Referências

ALMOULOUD, S. A. A geometria no ensino fundamental: reflexões sobre uma experiência de formação envolvendo professores e alunos. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 27, p. 94 - 108, Set /Out /Nov /Dez 2004.

ALVES, S. Geometria Não Euclidiana. São Paulo: IME-USP: material para oficina; Semana da Licenciatura, 2008.

BARRETO, M.S. Do mito da Geometria Euclidiana ao ensino das Geometrias Não Euclidianas. Vértices. Rio de Janeiro, v. 9, n.1/3, 74-81, jan. 2007.

BITTENCOURT, C.M.F. Em foco: História, produção e memória do livro didático. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n.3, set./dez. 2004. Disponível em: <http://www.bibvirt.futuro.usp.br/textos/periodicos/educacao_e_pesquisa/vol_30_no3>. Acesso em: 3 dez. 2013.

BIZZO, N. Falhas no ensino de ciências: erros nos livros didáticos ainda persistem em escolas de Minas e São Paulo. Ciência Hoje, São Paulo, v. 27, n. 159, p. 26-31, abr. 2000.

BOYER, C.B. História da Matemática. 2º ed. São Paulo: Blücher, 2009.

BONGIOVANI, V. De Euclides às geometrias não euclidianas. Revista Iberoamericana de Educación Matemática. São Paulo, v.1, n. 22, p. 37-51, 2010.

BRASIL. Guia do programa nacional do livro didático. Secretaria da Educação Básica. Guia de Livros didáticos Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Brasília: MEC/SEF, 2007.

_______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: matemática. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRUM, W. P. Aplicação de um sequência didática para a apresentação de conceitos elementares de geometria esférica e hiperbólica no ensino médio. 205f, 2013. Dissertação de Mestrado (Universidade Regional de Blumenau - FURB).

CABARITI, E. A geometria hiperbólica na formação docente: possibilidades de uma proposta com o auxílio do cabri-géomètre. III Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática, 2006, São Paulo.

CARRASCOSA, J., PEREZ, D. e Valdés, P. Como ativar a aprendizagem significativa conceitos e teorias? Santiago: OREALC / UNESCO, 2005.

CARVALHO, M. A.; CARVALHO, A. M. C. O ensino de geometria não euclidiana na educação básica. In: XIII Conferência Interamericana de Educação Matemática, 2011, Recife.

CARVALHO, J. B.; BOSSOLAN, L. Euclides roxo e o movimento de reforma do ensino de Matemática na década de 30. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.81, n. 199, p.415-424, set/dez. 2009.

CEDREZ, A.J.P. Construcción, necessidad e intuición de essência em geometria. Scientia & Studia. São Paulo, v. 7, n. 4, p. 595-617, 2012.

CURITIBA. Secretaria Municipal de Educação. Currículo básico: uma contribuição para a escola pública brasileira. Imprensa Oficial do Estado Paraná, 1988.

EVES, H. Introdução à história da Matemática. São Paulo: Unicamp, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

GALIAZZI, M. do C.; ROCHA, J.M.B.; SCHMITZ, L.C.; SOUZA, M.L. de; GIESTA, S.; GONÇALVES, F.P. Objetivos das atividades diferenciadas no ensino médio: a pesquisa coletiva como modo de formação de professores de matemática. Ciência & Educação, v.7, n.2, p.249-263, 2001.

GAMBARINI, C.; BASTOS, F. A utilização do texto escrito por professores e alunos nas aulas de ciências naturais e exatas. In: NARDI, R.; ALMEIDA, M. J. P. M. (Orgs.). Analogias, leituras e modelos no ensino da ciência: a sala de aula em estudo. São Paulo: Escrituras, 2006. p. 93-115.

KALEFF, A.M. Desenvolvimento de Atividades Introdutórias ao Estudo das Geometrias não Euclidianas: Atividades Interdisciplinares para Sala de Aula e Museus Interativos. In: Congresso Brasileiro de Extensão Universitária, n. 2, 2004. Belo Horizonte.

KAMEL, C.; LA ROCQUE, L. As histórias em quadrinhos como linguagem fomentadora de reflexões – uma análise de coleções de livros didáticos de ciências naturais do ensino fundamental. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências. v. 6, n.3, 2006. Disponível em: <http://www.fae.ufmg.br/abrapec/revistas/v6n3a3.pdf>. Acesso: 15 de dez. 2013.

LEIVAS, J.C.P. Educação geométrica: reflexões sobre ensino e aprendizagem em geometria. Revista SBEM-RS, Porto Alegre, no. 13, v.1, p. 9-16, 2012.

MARTOS, Z.G. Geometrias não euclidianas: uma proposta metodológica para o ensino de Geometria no Ensino Fundamental. Rio Claro, 2002. 143f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Instituto de Geociências e Ciências exatas, Universidade Estadual Paulista.

MLODINOW, L. A janela de Euclides: a história da geometria, das linhas paralelas ao hiperespaço. São Paulo: Geração, 2010.

MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. São Paulo: Centauro, 2010.

SÃO PAULO. Secretaria de Educação. Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas. Proposta curricular para o ensino de Matemática do 1.º grau. 4ª. ed. São Paulo: SE/CENP, 1991.

SILVA, C. P. B. Atualizando pedagogias no campo da matemática para o ensino médio: um estudo sobre a Revista Atualidades Pedagógicas (1950-1962). Dissertação de Mestrado, PUC-SP, 2001.

SILVA, A.F.A. Ensino e aprendizagem de Ciências nas séries iniciais: concepções de um grupo de professoras em formação. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP., 2006.

SOUTO, A. Análise de livros didáticos de matemática: uma investigação. Trama. v. 4, n. 7, p. 45-54, 2008.

STRUIK, D.J. História Concisa das Matemáticas. São Paulo: Gradiva, 2010.

TAMBARA, E. Trajetórias e natureza do livro didático nas escolas de ensino primário no século XIX no Brasil. In: História da Educação. (FAE/Ufpel), Volume 6, Número 11, p. 5 – 24, Pelotas, Abril 2002.

TRIVELATO, S. L. F. Ensino de Geometria: uma perspectiva. São Paulo: Faculdade de Educação, 2008.

VALENTE, W. R. Controvérsias sobre Educação Matemática no Brasil: Malba Tahan versus Jacomo Stávale. Cadernos de Pesquisa, n. 120, p. 151-167. Novembro de 2003.

VASCONCELOS, S. D.; SOUTO, E. O livro didático de ciências exatas no ensino fundamental - proposta de critérios para análise de conteúdo. Ciência & Educação. v. 9, n.1, p. 93-104, 2003.

VITRAC, B. A invenção da geometria. In Scientific American-História: n.3. São Paulo: Ediouro, 2006.

VOGELMANN, E.P. A arte de ensinar e construir o conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2011.

Downloads

Publicado

2015-03-24

Como Citar

BRUM, W. P.; SILVA, S. de C. R. da. LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA: ANÁLISE DOS INSTRUMENTOS PEDAGÓGICOS AUXILIARES PARA A APRENDIZAGEM DE GEOMETRIA NÃO EUCLIDIANA. Itinerarius Reflectionis, Goiânia, v. 10, n. 2, 2015. DOI: 10.5216/rir.v10i2.27782. Disponível em: https://revistas.ufg.br/rir/article/view/27782. Acesso em: 28 set. 2022.