A influência da língua portuguesa na produção da Libras na perspectiva de translinguagem

Autores

  • Claudney Maria de Oliveira-Silva Universidade Federal de Goiás
  • Neuma Chaveiro

DOI:

https://doi.org/10.5216/rs.v2i2.36080

Palavras-chave:

Bilinguismo. Português. Libras. Translinguagem.

Resumo

O objetivo deste artigo é trazer reflexões sobre a influência da língua portuguesa na produção da libras na perspectiva da translinguagem, uma vez que o contato dessas línguas resulta em uma produção que excede os limites conceituais tradicionais sobre os fenômenos de línguas em contato. É um estudo de caso de caráter interpretativista realizado por meio da análise de um texto escrito em língua portuguesa por duas alunas surdas falantes de libras. Os resultados revelaram a influência da língua portuguesa na libras por meio de elementos linguísticos, próprios da língua portuguesa e inexistentes ou não aparentes na libras, incluídos nas falas das alunas durante as discussões para a produção do texto. A análise das discussões também revelou que as alunas, além de escolher usar a modalidade mais apropriada (escrita ou sinalizada) e mesclar as línguas, se envolveram em práticas discursivas múltiplas para construírem conjuntamente significados e identidades sociais em seus mundos bilíngues, ou simplesmente, translinguaram.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. Etnografia da prática escolar. Campinas, SP: Papirus, 1995.

AUER, P. The pragmatics of code-switching: a sequential approach. In: MILROY, L.; MUYSKEN, P. (Ed.). One speaker two languages: cross-disciplinary perspectives on code-switching. New York: Cambridge University Press, 1995. p. 115-135.

BATTISON, R.. Lexical borrowing in American Sign Language. Silver Spring, Md.: Linstok Press, 1978.

BLOM, J.P. ; GUMPERZ, J.J. Social meaning in linguistic structures: code-switching in Norway. In: GUMPERZ, J.J.; HYMES, D. (Ed.). Directions in Sociolinguistic: the ethnography of communication. New YorK: Holt, Rinehart, Winston, 1972. p. 407-434.

BLOOMFIELD, L. Language. New York: Henry Holt and Company, 1933.

BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna: sociolinguística em sala de aula. 6 ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

CARVALHO, N. Empréstimos linguísticos. São Paulo: Ática, 1989.

ELLIS, R. The study of second language acquisition. London: Oxford University Press, 1994.

_________. Learning second language through interaction. Amsterdam: J. Benjamins, 1999.

FARIA-NASCIMENTO, S.P. Representações Lexicais da Língua de Sinais Brasileira: Uma Proposta Lexicográfica. Brasília: UNB, 290 f. Tese (doutorado) – Instituto de Letras, 2009.

FELIPE, T. A.; MONTEIRO, M. S. Libras em contexto: curso básico. 7ªed. Rio de Janeiro: WallPrint, 2008.

FERNANDES, S. Avaliação em língua portuguesa para alunos surdos: algumas considerações. In: Secretaria de Educação do Estado do Paraná. Superintendência da Educação. Departamento de Educação Especial. Curitiba: SEED/SUED/DEE, 2007.

GARCIA, O. Bilingual and Translanguaging. In: GARCIA, O. Bilingual education in the 21st century: a global perspective. United Kingdom: Willey-Blackwell, p. 42-71, 2009.

GARCIA. O; WEI. L. Translanguaging: language, bilingualism and education. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2014.

GOFFMAN, E. Forms of talk. Oxford: Basil Blackwell, 1981.

GROSJEAN, F. Bilingual: Life and reality. Cambridge, Massachusetts, London: Harvard University Press, 2010.

GUMPERZ, J. J. Discourse strategies. Cambridge: Cambridge University Press, 1982.

GUTIÉRREZ, K. D., BAQUEDANO-LÓPEZ, P.; ALVAREZ, H. H.; Literacy as hybridity: moving beyond bilingualism in urban classrooms. In: REYES, M. L.; HÁLCON, J. J. (Ed.) The Best for our Children: Critical Perspectives on Literacy for Latino Students. . New York and London: Teachers College Press. 2001, p.122-141

HAUGEN, E. The ecology of language. Stanford: Stanford University Press, 1972. Disponível em: http://history.lzu.edu.cn/editor/asp/upfiles/file/201504/20150413155755110.pdf>. Acesso em: 13 ago. 2015.

JACOBSON, R. Can two languages be developed concurrently? Recent developments in bilingual methodology. In: Altman, H. B.; MCCLURE, M. G. (Ed.). Proceedings of the 18th southern conference on language teaching. Atlanta, GA: Southern Conference on Language Teaching, Spelman College, 1983. p. 110-132.

JACOBSON, R.; FALTIS, C. Language distribution issues in bilingual schooling. Clevedon: Multilingual Matters, 1990.

LUCAS, C; VALLI, C. Language contact in the American deaf community. In: VALLI, C.; LUCAS, C.; MULROONEY, K. J.; VILLANUEVA, M. Linguistics of American Sign Language: an introduction. 5. ed. Washington, DC: GallaudetUniversity Press, 2011. p.542-564.

LÜDKE, M; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U., 1986.

MACNAMARA, J. The bilingual’s linguistic performance: a psychological overview. Journal of Social Issues. v. 23, n. 2, p. 58-77, 1967.

MACKEY, W. The Description of Bilingualism. In: WEI, L. The bilingualism reader. London: Routledge, 2000.

MELLO. H. A. B. Educação bilíngue: uma breve discussão. Horizontes de Linguística Aplicada, v. 9, n.1, p. 118-140, 2010.

NASCIMENTO, C. B. Alfabeto Manual da Língua de Sinais Brasileira (LIBRAS): uma fonte produtiva para importar palavras da língua portuguesa. Revista Trama, v. 7, n. 14, p. 33- 55, 2011.

POPLACK, S. Sometimes I’ll start a sentence in Spanish y termino en Español: toward a typology of code-switching. Linguistics, v. 18, n. 7/8, p. 581-618, 1980.

QUADROS, R.M.; KARNOPP, L. B. Língua de Sinais Brasileira: Estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

QUADROS, R.M. O bi do bilingüismo na educação de surdos In: Surdez e bilinguismo. Porto Alegre: Editora Mediação, v. 1, p. 26-36, 2005.

QUADROS, R.M; PIMENTA, N. Curso de Libras1. Rio de Janeiro: LSB Video, 2006.

SAYER, P.. Translanguaging, TexMex, and Bilingual Pedagogy: Emergent Bilinguals Learning Through the Vernacular. TESOL QUARTERLY, v. 47, n. 1, mar 2013.

WEINREICH, U. Languages in contact. The Hague: Mouton, 1974.

THOMASON, S. G.; KAUFMAN, T. Language contact, creolization and genetic linguistics. Berkeley: University California Press, 1988.

VALDÉS, G. Code-switching as a deliberate verbal strategy: a microanalysis of direct and indirect requests among Chicano bilingual speakers. In: DURAN, R. (Ed.) Latino languageandccommunicativebehavior. Nowoodm New Jersey: Ablex, 1981. p. 95-108.

VAN LIER, L. The classroom and the language learner. Essex: Longman, 1988.

ZENTELLA, A. C. Growing up bilingual: Puerto Rican children in New York. Malden, MA: Blackwell, 1997.

Downloads

Publicado

2017-12-20

Como Citar

OLIVEIRA-SILVA, C. M. de; CHAVEIRO, N. A influência da língua portuguesa na produção da Libras na perspectiva de translinguagem. Revista Sinalizar, Goiânia, v. 2, n. 2, p. 120–138, 2017. DOI: 10.5216/rs.v2i2.36080. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revsinal/article/view/36080. Acesso em: 1 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos