Memórias e Cotidiano de um Bairro em Goiânia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/revjat.v4.74657

Palavras-chave:

Goiânia. Cidade brasileira. Bairro. Memória. Cotidiano.

Resumo

Este artigo constrói uma história do bairro Vila Nova em Goiânia. Uma história de bairro apresenta grande variação de nuanças. Se por um lado, pode-se construí-la a partir de sua forma física, por outro, essa materialidade só se completa com sua textura social. Como objetivo principal, opta-se por construir uma versão que abrangesse os estudos morfológicos, as memórias e as práticas da vida cotidiana. Metodologicamente, percorre-se a história do bairro por meio da bibliografia até então produzida, assim como produzimos etnografias urbanas que contemplam a observação participante e suas práticas cotidianas e utilizam-se entrevistas que tecem memórias do lugar. Ao final, constata-se que por meio do depoimento de moradores da Vila Nova e suas vivências cotidianas, conhece-se o significado do seu bairro, e supera-se os limites de entendimento do seu registro físico, para alçar um conteúdo mais completo para uma história urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Mara Vaz de Oliveira, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil, amvoliveira@ufg.br

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Católica de Goiás (1985), mestrado em História das Sociedades Agrárias pela Universidade Federal de Goiás (1999) e doutorado em História pela Universidade Estadual de Campinas (2004). Atualmente é professor Associado III da Universidade Federal de Goiás, ministrando aulas no curso de Arquitetura e Urbanismo, na Faculdade de Artes Visuais e é integrante do corpo docente do Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo - Mestrado Projeto e Cidade da mesma instituição. Foi professora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1989-2011), onde ministrou aulas no curso de Arquitetura e Urbanismo, no Mestrado de História e na Especialização de História Cultural. É integrante dos grupos de pesquisa Arquitetura Interfaces e Estudos Urbanos e Culturais. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Teoria, História e Crítica da Arquitetura e do Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: arquitetura, cidade, cidade contemporânea, projeto de arquitetura, história da arquitetura e da cidade, patrimônio e memória, teoria e crítica da arquitetura, cultura arquitetônica, memória e cidade, urbanismo.

Elane Ribeiro Peixoto, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil, elane26rp@gmail.com

Graduada em Arquitetura e Urbanismo, é professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília, mestre (1996) e doutora (2003) em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo. Foi bolsista no Laboratoire d'Antropologie et des Institutons Humaine em Paris (2001) e professora visitante no IUAV (2015). Suas pesquisas e orientações de mestrado e doutorado concentram-se na área de Teoria História e Crítica, com trabalhos em três linhas de pesquisa: História e Teoria da Arquitetura, História e Teoria da Cidade e do Urbanismo e Patrimônio e Preservação. Traduziu para o português o "Culto Moderno dos Patrimônio: sua essência e sua gênese" de Alöis Riegl e "Percorrer a Cidade de Henri Pierre Jeudy". Integra como vice-líder o grupo de pesquisa Cidades Possíveis. Seus temas de de pesquisa são preferencialmente a cidade contemporânea ,suas dinâmicas e seu patrimônio cultural. Desenvolve pesquisa e extensão em escolas públicas de ensino fundamental em Brasília, visando contribuir para o debate da cidade em sua dimensão espacial , histórica e patrimonial. Coordenou a linha de pesquisa História e Teoria da Arquitetura no Programa de Pós-Graduação da FAU-UnB. Tem colaborado na organização e curadoria das edições do evento Café com Europa patrocinadas pela EUNIC ( Embaixada da União Europeia), sendo uma das organizadoras das publicações resultantes desses eventos. Participou na concepção do roteiro do filme Um portão aberto para Ceilândia, fundamentado em pesquisa financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Distrito Federal.

Referências

Alvares, Geraldo Teixeira. A luta na epopeia de Goiânia. Rio de Janeiro: Gráfica Jornal do Brasil, 1942.

Bresciani, Maria Stella. «As sete portas da cidade», Espaço & Debates Revista de Estudos Regionais e Urbanos, ano XI, n.34 (1991): 10-18.

Brzezinski, I. «Instituto de Educação de Goiás (1937-1972): o movimento instituinte-instituído». Em VI Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação, 2006, Uberlândia. Anais do VI Congresso Luso-Brasileiro de História da Educação, Uberlândia, Universidade Federal de Uberlândia, 2006, 5256-5269.

Cauquelin, Anne. Essai de philosophie urbaine. Paris: PUF, 1982.

Certeau, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1996.

Daher, Tania. Goiânia, uma utopia europeia no Brasil. Goiânia: Instituto Centro-Brasileiro de Cultura, 2003.

Fonseca, Cláudia Damasceno. «Vila». Em A Aventura das palavras da cidade: através dos tempos, das línguas e das sociedades, organizado por : Christian Topalov, 654-665. et al, São Paulo: Romano Guerra, 2014.

Gonçalves, Alexandre Rodrigues. Goiânia: uma modernidade possível. Brasília: Ministério da Integração Regional, UFG, 2002.

Halbwachs, Maurice. A Memória Coletiva. Tradução de Laurent Léon Schaffter. São Paulo: Vértice, 1990.

Lira, José Tavares Correia de. «Bairro». Em A Aventura das palavras da cidade: através dos tempos, das línguas e das sociedades, organizado por Christian Topalov et al, 85-100. São Paulo, Romano Guerra, 2014.

Mattos, Silvia Clímaco. «Memória e cidade: lembranças do Bairro Vila Nova – 1930 ao tempo presente.» Dissertação de Mestrado, Faculdade de História, Universidade de Brasília, 2008.

Oliveira, Hélio. Eu vi Goiânia crescer: décadas de 50 e 60. Goiânia: Ed. do Autor, 2008.

Rocha, Ana Luiza, y Cornelia Eckert. Etnografia de rua: estudos de antropologia urbana. Porto Alegre: Editora da UFGRS, 2013.

Sem autor, Jornal Cinco de Março, Goiânia, 23 de dezembro de 1968

Sem autor, «Cidade», Jornal Debate Goiânia, n.19, 06 de junho de 1948.

Sem autor, «Cidade», Jornal Debate Goiânia, n.20, 13 de junho de 1948.

Sem autor, Jornal Folha de Goyaz, Goiânia, n°3671, 4 de fevereiro de 1958.

Sem autor, Jornal O Popular, Goiânia, 14 de novembro de 1993

M. Entrevista feita por Adriana Oliveira e Elane Peixoto. 15 de abril de 2007.

carroças e carros estacionados na rua e calçada para demonstrar uma parte do cotiano de um bairro em Goiânia.

Downloads

Publicado

2022-12-09

Como Citar

OLIVEIRA, A. M. V. de; PEIXOTO, E. R. Memórias e Cotidiano de um Bairro em Goiânia. Revista Jatobá, Goiânia, v. 4, 2022. DOI: 10.5216/revjat.v4.74657. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revjat/article/view/74657. Acesso em: 18 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos livres