Valores e parâmetros de intervenção para a preservação da Igreja da Ascensão do Senhor – projeto de João Filgueiras Lima, o Lelé

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/revjat.v4.72838

Palavras-chave:

Igreja da Ascensão do Senhor, João Figueiras Lima - Lelé, Arquitetura Moderna Brutalista, Conservação e Preservação

Resumo

Este artigo trata dos valores e parâmetros de intervenção para a preservação da Igreja da Ascensão do Senhor, projeto de João Filgueiras Lima, o Lelé. A Igreja foi construída em 1975 dentro do Centro Administrativo da Bahia (CAB). O texto situa o projeto do CAB no contexto histórico da década de 1970, apresenta uma descrição do monumento, indicando suas principais permanências e transformações até o ano de 2020. A partir disso, apresenta e aprecia seus diferentes valores (técnicos, artísticos-estéticos, históricos-sociais e paisagísticos), indicando também uma síntese dos seus valores fundamentais. Entre tais valores, cabe destacar a poética Brutalista inscrita na Igreja. O artigo se refere a diferentes aspectos simbólicos que atuam no projeto e contribuem para a sua valoração. Também indica alguns parâmetros para a realização de uma intervenção na Igreja. O artigo sustenta que a Igreja da Ascensão do Senhor é possuidora de múltiplos valores e é plenamente meritória do seu tombamento efetuado pelo município de Salvador (FGM-PMS) em dezembro de 2020, mas também que possui méritos suficientes para ser indicada para tombamento estadual e federal. Ressalta-se também a importância do tombamento e da conservação da Igreja para a prática preservacionista da arquitetura moderna brasileira, inclusive daquela mais tardia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Bierrenbach, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil, acbierrenbach@gmail.com

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo (Mackenzie-1993); graduação em História (FFLCH/USP - 1995); máster em "Historia, Arte , Arquitectura y Ciudad" (ETSAB/UPC - 1997); mestrado em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU/UFBA - 2001) doutorado em "Teoría e Historia de la Arquitectura" - (ETSAB/UPC-2006); pós-doutorado (PPGAU/UFBA-2008); pós-doutorado na Università degli Studi di Napoli Federico II (2016-2017) e pós-doutorado na Universidade Federal Fluminense (2022). Atualmente é professora associada III da FAUFBA e professora permanente do PPGAU-UFBA. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: teoria, história e restauro da arquitetura moderna e contemporânea; arquitetura moderna em Salvador; arquitetura de Lina Bo Bardi. 

Marcela Carvalho Porto, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil, marcelacarvalhops@gmail.com

Marcela Porto é graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Salvador UNIFACS (2017).Atua como profissional autônoma na elaboração de projetos arquitetônicos, urbanísticos e paisagísticos e também como pesquisadora buscando relacionar prática e pesquisa acadêmica aos estudos de Gênero, Projeto, Paisagem e Memória.

Referências

Sobre Lelé

GUIMARÃES, ANA GABRIELA LIMA. A obra de João Filgueiras Lima no contexto cultural arquitetônico contemporâneo. 1999. 143 f. Tese – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

LATORRACA, Giancarlo (ed). João Filgueiras Lima – Lelé. São Paulo: Editora Blau/Instituto Lina Bo e Pietro Maria Bardi, 1999.

MARQUES, André Felipe Rocha. A obra do arquiteto João Filgueiras Lima, Lelé: projeto, técnica e racionalização. 2012. 305 f. Dissertação - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2012.

MENEZES, Cynara. O que é ser arquiteto. Memórias profissionais de Lelé (João Filgueiras Lima). Rio de Janeiro: Record, 2004.

Sobre a Igreja do CAB e o CAB

ª Pista da Avenida Paralela. A Tarde, Salvador, p.2, 04 nov. 1974.

ANOS que mudaram a Bahia. Salvador: Empresa Gráfica da Bahia, [19--]. 142p.

ALMEIDA, Narceu. Bahia – como construir o futuro sem destruir o passado. Revista Manchete, Rio de Janeiro, ed. 1193, p. 76-77, 01 mar. 1975.

AMORIM, Paulo Henrique. Centro Administrativo da Bahia pode virar patrimônio cultural. Conversa Afiada. Disponível em: < https://www.conversaafiada.com.br/brasil/centro-administrativo-da-bahia-pode-virar-patrimonio-cultural> Acesso em 18 mai. 2020.

ANDRADE JUNIOR, Nivaldo. et al. Arquitetura Brutalista na Bahia: Levantamento e análise crítica. In: X SEMINÁRIO DOCOMOMO BRASIL, 2013. Anais do X DOCOMOMO-BRASIL – arquitetura moderna e internacional: conexões brutalistas, 1955-1975. Curitiba: PUC-PR, 15 a 18 out. 2013.

ANDRADE, Wilson; BRITO, Ronan; SIMAS, Luiz. Implantação do projeto paisagístico do CAB. Salvador: Diretoria Geral de Edificações Públicas, abr. 1975.

ARQUIDIOCESE de Salvador ganha nova área pastoral. In: CNBB – Igreja Católica Apostólica Romana. 15 dez. 2010. Disponível em: < http://www.cnbb.org.br/arquidiocese-de-salvador-ganha-nova-area-pastoral/> Acesso em 15 mai. 2020.

ARTISTAS baianos fixarão a Bahia de hoje no Centro Administrativo. Diário de Notícias, Salvador, não paginado, 09 jan. 1973.

ASCENSÃO do Senhor – Área Pastoral. In: A Beleza da Igreja Católica. 8 mai. 2015. Disponível em: <http://abelezadaigrejacatolica.blogspot.com/2015/05/ascensao-do-senhor-area-pastoral.html>. Acesso em 15 mai. 2020.

BAHIA. Governo do Estado. Bahia: constrói o futuro sem destruir o passado. Salvador, [19--]. 59p.

CAB, Centro Administrativo da Bahia; centro de exposições. projeto de João Filgueiras lima, arq. CJ. Arquitetura. Revista de Planejamento, Arquitetura e Construção, Rio de Janeiro, n.7, p.12-18 e p.38-46, 1975.

CENTRO Administrativo da Bahia. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 abr. 1974a, Revista Econômica, p.48.

CENTRO Administrativo da Bahia – modelo de integração urbana. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 02 jul. 1974b, Suplemento Especial, p.4-15.

CENTRO da Nova Bahia. Diário de Notícias, Salvador, n.p., 05 mar.1974c.

CENTRO Administrativo da Bahia – Solução Racional para a Expansão Urbanística de Salvador. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 14 mar. 1975, 1º Caderno, p.9.

CIDADE planejada entre o mar e a lagoa. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 03 mai. 1974, Caderno B, p.5.

CONDER, 1976.

COSTA, Lúcio. Cidade do Salvador. Rio de Janeiro, [s.n.], 1972.

COSTA, Maria Elisa. Maria Elisa Costa. Breve entrevista. Entrevista concedida por e-mail para Ana Carolina Bierrenbach. 17 abr. 2020

CRUZ de pau-brasil inaugura igreja do CAB. A Tarde, Salvador, 08 mar, não paginado, 8 mar. 1975.

EIS a verdade sobre o Centro Administrativo da Bahia. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 21 mar. 1973. p.4

FESTIVAL PrimaVerão terá renda revertida para centro comunitário. Salvador, 23 out. 2015. Disponível em: <https://www.jornaldamidia.com.br/noticias/2015/10/23/Bahia/-Festival--PrimaVerao-tera-renda-revertida-para-centro-comunitario.shtml> Acesso em 2018.

FIGUEIREDO, J.U. Centro Administrativo é mais uma atração para os turistas. Diário de Notícias, Salvador, não paginado, 12 e 13 mai. 1974.

FUNDAÇÃO suspende tombamento do Centro Administrativo da Bahia. Salvador, De Olho na Cidade. 26 set. 2017. Disponível em: <https://deolhonacidade.net/noticias/52467/fundacao-suspende-tombamento-do-centro-administrativo-da-bahia.html> Acesso em 18 mai. 2020.

GOVERNO do Estado da Bahia. Planejamento físico urbanístico para o Plano Diretor de Integração do CAB e sua área de influência. Salvador, abr. 1975.

GOVERNO do Estado da Bahia. PROJETO-CAB – Relatório Preliminar. Salvador, Governo do Estado da Bahia. Secretaria do Planejamento, Ciência e Tecnologia. Instituto do Urbanismo e Administração Municipal, Salvador, 1978.

GROPPER, Symona. A Bahia vai ter mais uma igreja. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 18 dez. 1973, Caderno B, p.4.

IGREJA da Ascenção: arte e fé, no Centro Administrativo. Tribuna da Bahia, Salvador, não paginado, 07 mar. 1975.

INAUGURADA a Igreja da Ascenção do Senhor. Tribuna da Bahia, Salvador, não paginado, 08 mar. 1975.

JOÃO XXIII poderá ser o padroeiro da Igreja do Centro Administrativo. A Tarde, Salvador, p. 02, 28 ago. 1974.

KALIL, Paulo Costa. Burle Marx na Bahia: descobertas e construção de paisagens. 2011. 163 f. Dissertação - Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011.

KERTESZ, Mario. Centro Administrativo da Bahia. Salvador, [s.n.],1973.

______________. Centro Administrativo da Bahia. Salvador, [s.n.], 1974 38p.

______________. O planejador e o Centro Administrativo da Bahia. Revista O Planejamento na Bahia, Salvador, n.4, v.II, jul. ago. 1974. p. 335-353.

LIMA, Adriana Filgueiras et all. Carta Final. V ENANPARQ – Jornada pela preservação do legado de João Filgueiras Lima – Lelé. Salvador, 17 out. 2018.

LIMA, João Filgueiras. Centro Administrativo da Bahia. Revista O Planejamento na Bahia, Salvador, n.4, volume II, jul. ago. 1974. p.357-388.

_________________. Centro Administrativo – Igreja. Módulo – Revista de Arquitetura, Urbanismo e Artes, Rio de Janeiro, Ed. Especial n.1, p.54-55, 1981.

_________________. ICAB. Igreja do Centro Administrativo da Bahia. s/d. Salvador, não paginado, [1973].

_________________. Igreja do Centro Administrativo da Bahia. Módulo – Revista de Arquitetura, Urbanismo e artes, Rio de Janeiro, n.40, set. 1975. p.50-53.

LIVRO de tombo. Igreja Ascensão do Senhor. Centro Administrativo da Bahia (CAB). Salvador, não paginado, 1975-2016.

NÚNCIO Apostólico inaugura hoje a Igreja do CAB. A Tarde, Salvador, não paginado, 07 mar. 1975.

PARA onde a Bahia vai. Revista Manchete, Rio de Janeiro, ed. 1158, p.155-156, 29 jun.1974.

PATRIMÔNIO Artístico. Paróquia da Ascensão do Senhor. Salvador, [s.n.], n.p, 201_?

PAZ, Daniel. Igreja do Centro Administrativo da Bahia – Lelé em uma abordagem pré-iconográfica. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v.14 n.15, p. 115-136, dez 2007.

RETOMADA a execução do Centro Administrativo. A Construção Norte-Nordeste, [S.I.], n.17, out. 1979, p. 24-25,

SALVADOR (Município). Lei n. 9069/2016. Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano do Município de Salvador. PDDU, 2016. Salvador, 30 jun. 2016. n.p. Disponível em: <https://leismunicipais.com.br/plano-diretor-salvador-ba-2016-06-30-versao-original> Acesso em 15 mai. 2020.

SALVADOR tem espaço ilimitado para crescer. Revista Manchete, Rio de Janeiro, ed. 1025, 11 dez.1971. p.123.

TEMPLO novo na Bahia. Correio Braziliense, Brasília, 16 mar. 1975, Segundo Caderno, Turismo, p.6.

VASCONCELOS, Levi. Tombamento do CAB. A Tarde, Salvador, 1 jun. 2017. p.2.

Outras Referências

BIERRENBACH, Ana Carolina. Debates recentes sobre o restauro da arquitetura moderna na Itália. Revista Thesis, Rio de Janeiro, v.2, n.3, p.137-157, jan./out. 2017.

BIERRENBACH, Ana Carolina; Nery, Juliana. O que é que a Bahia tem? X Seminário DOCOMOMO-Brasil, Curitiba, 15-18 de out. 2013.

BASTOS, Maria Alice. Pós-Brasília. Rumos da Arquitetura brasileira. São Paulo: Perspectiva, 2003.

BASTOS, Maria Alice; ZEIN, Ruth. Brasil: arquiteturas após 1950. São Paulo, Perspectiva, 2010.

BRAGA, Bruno; PAIVA, Ricardo. Centros Administrativos como tipologia moderna: o caso do Cambeba em Fortaleza. In: 6º DOCOMOMO NORTE-NORDESTE. 2016. Teresina, 10 a 13 de ago. 2016. Anais. Teresina, 2016. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/24497/1/2016_eve_centros.pdf> Acesso em 19 mai. 2020.

CARVALHO, Inaiá; CORSO, Gilberto. As “cidades” de Salvador. p.81-107. In: CARVALHO, Inaiá; CORSO, Gilberto. Como anda Salvador e sua Região Metropolitana. Salvador: EDUFBA, 228, 2ª Edição. p.81-108.

CARVALHO, Isaías. Esquizopolis. Revista da Bahia, N.8, MAR. 1988, p.19-23.

SAMPAIO, Heliodorio. 10 falas necessárias – cidade, arquitetura e urbanismo. Salvador: EDUFBA, 2010.

__________________. Formas Urbanas: cidade-real & cidade-ideal: contribuição ao estudo urbanístico de Salvador. Salvador, Quarteto Editora/ PPG/AU. Faculdade de Arquitetura da UFBA, 1999.

SEGAWA, Hugo. Arquiteturas no Brasil. São Paulo: EDUSP, 1999.

SERPA, Angelo. Os espaços públicos da Salvador Contemporânea. In: CARVALHO, Inaiá; CORSO, Gilberto. Como anda Salvador e sua Região Metropolitana. Salvador: EDUFBA, 228, 2ª Edição. 173-188.

VASCONCELOS, Levi. Igreja faz missa no CAB para ajudar os políticos a acertar. Vale a intenção. E só. 20 mar. 2019. Disponível em: <https://bahia.ba/politica/igreja-faz-missa-no-cab-para-ajudar-os-politicos-a-acertar-vale-a-intencao-e-so/> Acesso em 19 mai. 2020.

ZACHARIADEHES, Grimaldo. Os jesuítas e o apostolado social durante a ditadura. A atualçao do CEAS. Salvador: EDUFBA, 2010.

CARD

Downloads

Publicado

2022-12-14

Como Citar

BIERRENBACH, A. C.; PORTO, M. C. Valores e parâmetros de intervenção para a preservação da Igreja da Ascensão do Senhor – projeto de João Filgueiras Lima, o Lelé. Revista Jatobá, Goiânia, v. 4, 2022. DOI: 10.5216/revjat.v4.72838. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revjat/article/view/72838. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Lelé, 90 anos