Patrimônio, Planejamento urbano e Turismo cultural

os Encontros de Governadores de Brasília e Salvador

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54686/revjat.v2i.65424

Palavras-chave:

Turismo cultural. planejamento urbano. conservação. patrimônio cultural.

Resumo

O presente artigo trata da articulação entre os campos da conservação, planejamento urbano e a noção de turismo cultural por meio da análise dos Encontros de Governadores ocorridos em Brasília e Salvador, respectivamente, no início da década de 1970. A investigação histórica permitiu contextualizar a circulação de ideias no âmbito nacional e internacional que culminaram na elaboração de dois documentos reconhecidos pela historiografia: o Compromisso de Brasília e o de Salvador. Por meio do cruzamento de fontes primárias, como atas, relatos, revistas, discursos, entre outros, foi possível perceber que tais documentos não deram conta da complexidade das questões discutidas nos eventos. A contextualização institucional e intelectual permitiu perceber os eventos como desdobramentos do amplo debate internacional e do esforço em configurar maior articulação dos agentes nacionais. Neste sentido, apresenta-se uma contribuição para compreensão do campo da conservação no Brasil no momento em que se atrela ao planejamento urbano, com vistas à exploração turística e econômica do patrimônio cultural.

Biografia do Autor

Aline Bacelar, Universidade Federal de Pernambuco / Laboratório de Urbanismo e Patrimônio Cultural

Arquiteta e urbanista. Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).  Colaboradora do Laboratório de Urbanismo e Patrimônio Cultural (LUP). Atua como planejadora na Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco – Condepe/Fidem. Áreas de pesquisa: história do urbanismo, história da cidade, planejamento urbano, conservação e patrimônio cultural, legislação urbana.

Juliana Pereira, Universidade Federal de Pernambuco / Laboratório de Urbanismo e Patrimônio Cultural

Arquiteta e urbanista. Doutora pelo Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Doutorado Sanduíche na l’École d’Urbanisme de Paris/Université Paris-Est Créteil Val-de-Marne (PDSE/Capes). Pesquisadora do Laboratório de Urbanismo e Patrimônio Cultural. Filiada ao Comitê Brasileiro do Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (Icomos-BR) no Comitê de Documentação (Icomos-Doc). Áreas de pesquisa: história do urbanismo, história da cidade, teoria do urbanismo, conservação e patrimônio cultural, legislação urbana, planos urbanísticos.

Virgínia Pontual, Universidade Federal de Pernambuco / Laboratório de Urbanismo e Patrimônio Cultural

Professora do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Presidente da Anpur – Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, biênio 2013-2015. Líder do grupo pesquisa CNPq/UFPE: Laboratório de Urbanismo e Patrimônio Cultural (LUP, http://lup-ufpe.net.br/temp/). Pesquisadora da rede de pesquisa: Urbanismo no Brasil. Representante da área de Planejamento Urbano e Regional no CNPq (2015-2018). Bolsista produtividade 1C do CNPq. Áreas de pesquisa: história do urbanismo, história da cidade, teoria do urbanismo, patrimônio cultural, planos urbanísticos.

Referências

AZEVEDO, Paulo Ormindo David de. Entrevista concedida pelo arquiteto a Aline Bacelar. Salvador, 18 jul. 2018.

BACELAR, Aline G. Planejamento, conservação e turismo cultural: noções e práticas do PDLI de Olinda. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano, MDU, UFPE, Recife, 2019.

CARTA DE VENEZA. Veneza: 1964. Disponível em http://portal.iphan.gov.br/portal/baixaFcdAnexo.do?id=236 acesso em 15 mar. 2009.

CHOAY, Françoise. A alegoria do Patrimônio. Tradução de Luciano Vieira Machado. São Paulo: Editora Estação Liberdade/ UNESP, 2006.

COMPROMISSO DE BRASÍLIA. In SERVIÇO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Proteção e revitalização do patrimônio histórico e artístico nacional: uma trajetória. Brasília: Mec/Sphan/PróMemória, 1980.

COMPROMISSO DE Salvador. In SERVIÇO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Proteção e revitalização do patrimônio histórico e artístico nacional: uma trajetória. Brasília: Mec/Sphan/PróMemória, 1980.

CORRÊA, Sandra Rafaela Magalhães. O Programa de Cidades Históricas (PCH): por uma política integrada de preservação do patrimônio cultural – 1973/1979. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo), UNB, Brasília, 2012.

COUSIN, S. L’identité au miroir du tourisme: Usages et enjeux des politiques de tourisme culturel. Ecole des hautes études en sciences sociales: thèse de doctorat en anthropologie sociale et ethnologie, 2002. Disponível em: http://tel.archives-ouvertes.fr/docs/00/26/65/47/PDF/SaskiaCousinThese.pdf.

CURY, Isabelle (Org). Cartas Patrimoniais. Rio de Janeiro: IPHAN, 2004.

FELDMAN, Sarah. O Serviço Federal de Habitação e Urbanismo (Serfhau) e a reconfiguração do campo profissional do urbanista. In: LEME, Maria Cristina da Silva (Org.). Urbanismo e política no Brasil dos anos 1960. São Paulo: Annablume, 2019. p. 99-128.

FELDMAN, Sarah. O Serviço Federal de Habitação e Urbanismo (Serfhau): avanços, limites e ambiguidades (1964-1975). In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPARQ, 1., 2010. Anais... Rio de Janeiro: Prourb, 2010.

FELDMAN, Sarah. O arranjo SERFHAU: assistência técnica aos municípios/ órgãos de planejamento/ empresa de engenharia consultiva. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 11., 2005. Anais... Salvador: Anpur, 2005.

FONSECA, Maria Cecília L. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. 2ª Ed. Rio de Janeiro:UFRJ/MinC-IPHAN,2000.

FUNDAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E CULTURAL DA BAHIA (FPAC). Fundação do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia: 10 anos de fundação. Salvador: SEC/FPAC, 1979.

FUNDAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E CULTURAL DA BAHIA (FPAC). Plano Geral de Recuperação da Área do Pelourinho na Cidade do Salvador, Estado da Bahia, Brasil. Salvador, 1968.

GONÇALVES, José R.S. A retórica da perda: os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro Editora UFRJ/IPHAN, 1996.

LEAL, C. Patrimônio e desenvolvimento: as políticas de patrimônio cultural nos anos 1960. Anais do Museu Paulista. São Paulo, v.24, n.1, p. 99-136, jan.- abr. 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1982-02672016v24n0104.

LEAL, C. As missões da UNESCO no Brasil: Michel Parent. Rio de Janeiro: Iphan/Copedoc, 2008.

LE GOFF, J. História e memória. Campinas: UNICAMP, 1990.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA (MEC). Departamento de Assuntos Culturais. Anais do II Encontro de Governadores. Rio de Janeiro, 1973.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA (MEC). Conselho Federal de Cultura. Revista Cultura, Rio de Janeiro, ano 4, n. 34, abr. 1970, n. 34.

PEREIRA, Cecilia Ribeiro. O turismo cultural e as missões UNESCO no Brasil. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Urbano), MDU-UFPE, Recife, 2012a.

PEREIRA, Juliana Melo. Admiráveis insensatos: Ayrton Carvalho, Luís Saia e as práticas no campo da conservação no Brasil. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Urbano), MDU-UFPE, Recife, 2012b.

Ramalho, Arthur Dias Soares. Planejamento e preservação: a Fundação João Pinheiro e o Plano de Conservação, Valorização e Desenvolvimento de Ouro Preto e Mariana. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo), IAU-USP, São Carlos, 2015.

PONTUAL, Virgínia. Planejamento e política na cidade do Recife: sofreu essa relação ruptura com o Golpe Civil-Militar de 1964? In: LEME, Maria Cristina da Silva (Org.). Urbanismo e política no Brasil dos anos 1960. São Paulo: Annablume, 2019. p. 193-223.

Downloads

Publicado

2020-11-02

Como Citar

BACELAR, A. .; PEREIRA, J.; PONTUAL, V. . Patrimônio, Planejamento urbano e Turismo cultural: os Encontros de Governadores de Brasília e Salvador . Revista Jatobá, Goiânia, v. 2, 2020. DOI: 10.54686/revjat.v2i.65424. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revjat/article/view/65424. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê