AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA E DO MÓDULO DE ELASTICIDADE DE CONCRETOS CONVENCIONAIS E AUTOADENSÁVEIS SUBMETIDOS A ALTAS TEMPERATURAS

Autores

  • Bárbara Gomes de Siqueira Universidade Federal de Goiás
  • Antônio Carlos Assis Leonel Laboratório de Inovação Tecnológica em Construção Civil, Escola de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade Federal de Goiás
  • Vitor Augusto Lopes de Lima Laboratório de Inovação Tecnológica em Construção Civil, Escola de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade Federal de Goiás
  • Daniel Lima Araújo Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/reec.v17i1.70447

Palavras-chave:

Estruturas de concreto, Incêndio, Resistência à compressão, Resistência à tração, Módulo de Elasticidade

Resumo

No Brasil, cerca de 90% das estruturas das construções são feitas de concreto. Esse volume de execução não foi acompanhado da evolução das pesquisas sobre alguns temas específicos, como, por exemplo, quando em situação de incêndio. No Brasil, esse assunto é normatizado pelas normas NBR 14432:2001 e NBR 15200:2012, que são baseadas nas regulamentações internacionais Eurocode 1, Eurocode 2 e ISO 834. As normas internacionais possuem parâmetros de projeto que não foram incorporados às normas nacionais. Assim, é relevante o estudo dos concretos locais no sentido de complementar as normas nacionais com novos parâmetros de projeto. O objetivo desse trabalho é avaliar a influência da temperatura nas resistências à compressão e a tração e no módulo de elasticidade de dois concretos de média resistência, um convencional e outro autoadensável, quando submetidos a altas temperaturas. Para isso, foram realizados ensaios de resistências à compressão e a tração, bem como do módulo de elasticidade tangente inicial, em corpos de prova de concreto depois de submetidos a temperaturas de 200, 400 e 600oC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-02

Como Citar

GOMES DE SIQUEIRA , B.; CARLOS ASSIS LEONEL , A.; AUGUSTO LOPES DE LIMA, V.; ARAÚJO, D. L. AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA E DO MÓDULO DE ELASTICIDADE DE CONCRETOS CONVENCIONAIS E AUTOADENSÁVEIS SUBMETIDOS A ALTAS TEMPERATURAS. REEC - Revista Eletrônica de Engenharia Civil, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 63–78, 2021. DOI: 10.5216/reec.v17i1.70447. Disponível em: https://revistas.ufg.br/reec/article/view/70447. Acesso em: 23 maio. 2022.