BENEFÍCIOS DA IMPLANTAÇÃO DE TÉCNICAS COMPENSATÓRIAS SOB CENÁRIOS DISTINTOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO

Autores

  • Samuel Almeida Dutra Júnior Universidade Federal de Viçosa (UFV), Campus Rio Paranaíba (CRP), Viçosa, Minas gerais, Brasil.
  • Frederico Carlos Martins de Menezes Filho Universidade Federal de Viçosa (UFV) - Campus de Rio Paranaíba (CRP), Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas (IEP), Viçosa, Minas gerais, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5216/reec.v18i1.65853

Palavras-chave:

Drenagem urbana, Melhores práticas de manejo, Infraestrutura verde, Coeficiente de Runoff, DIMGAP 1.0

Resumo

RESUMO: Devido ao desenvolvimento das cidades e a redução de áreas verdes, o aumento do escoamento superficial acaba se tornando um problema de drenagem urbana. Uma das possíveis soluções para o problema são as técnicas compensatórias ao manejo das águas pluviais. O presente trabalho avaliou os custos advindos da substituição do sistema clássico de drenagem pelas técnicas compensatórias, a saber telhados verdes e pavimentos permeáveis. Para tal, tomou-se como área de estudo um loteamento idealizado na cidade de Rio Paranaíba-MG. O dimensionamento das galerias de águas pluviais e levantamento dos custos envolvidos para a execução das mesmas foram realizados pelo software DIMGAP 1.0. Estabeleceram-se cenários distintos de uso e ocupação do solo para avaliação econômica da implantação dos telhados verdes e dos pavimentos permeáveis. Não obstante, considerou-se em alguns cenários a manutenção de áreas permeáveis. Os resultados obtidos demonstram a baixa viabilidade econômica, a curto prazo, da adoção das técnicas compensatórias. Por outro lado, verificou-se que apesar do alto investimento associado às melhores práticas de manejo, destacam-se os benefícios hidrológicos como a redução das vazões de pico, a redução de extensões e diâmetros de galerias e o aumento do tempo de concentração; justificando a longo prazo a complementariedade das técnicas compensatórias ao sistema convencional. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Almeida Dutra Júnior, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Campus Rio Paranaíba (CRP), Viçosa, Minas gerais, Brasil.

Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Viçosa, Campus Rio Paranaíba (UFV-CRP)

Frederico Carlos Martins de Menezes Filho, Universidade Federal de Viçosa (UFV) - Campus de Rio Paranaíba (CRP), Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas (IEP), Viçosa, Minas gerais, Brasil

Eng. Civil, Mestre em Engenharia do Meio Ambiente pela UFG e Doutor em Recursos Hìdricos e Saneamento Ambiental pelo IPH/UFRGS. Professor da Universidade Federal de Viçosa - (UFV) - Campus de Rio Paranaíba; Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas (IEP).

Referências

ACIOLI, L. A. Estudo experimental de pavimentos permeáveis para o controle do escoamento superficial na fonte. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Pesquisas Hidráulicas, 2005.

ALAMY FILHO, J. E.; BARCELOS, I. B. C.; DE MELO, N. A.; CAIXETA, A. C. M. Eficiência hidrológica de telhados verdes para a escala de loteamentos residenciais/Hydrological efficiency of green roofs for residential neighborhoods scale. Revista Sociedade & Natureza. ISSN, v. 1982, p. 4513, 2016.

ALESSI, F.; KOKOT, P. J.; GOMES, J. Comparação do escoamento superficial gerado por pavimentos permeáveis em blocos de concreto e asfalto poroso. Da Vinci. Curitiba, v. 3, n. 1, p. 139-156, 2006.

ANNECCHINI, K. P. V. Aproveitamento da água da chuva para fins não potáveis na cidade de Vitória (ES). Universidade Federal do Espírito Santo. Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental. Vitória, 2005.

ARAÚJO, P. R.; TUCCI, C. E. M.; GOLDENFUM, J. A. Avaliação da eficiência dos pavimentos permeáveis na redução de escoamento superficial. Braz. J. Water Resour, v. 5, n. 3, p. 21-29, 2000.

ARBOIT, N. K. S. Evapotranspiração de Sedum rupestre em telhados verdes extensivos. Universidade Federal de Santa Maria. Centro de Tecnologia. Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil 2017.

BAPTISTA, M; NASCIMENTO, N; BARRAUD, S. Técnicas compensatórias em drenagem urbana. ABRH, Porto Alegre, 2005.

BECKER, N.; PINHEIRO, I. G. Potencialidade dos pavimentos permeáveis na melhoria da qualidade da água do escoamento superficial: uma revisão. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 11, 2019.

BELO HORIZONTE. Lei 7166 de 27 de agosto de 1996. Estabelece normas e condições para parcelamento e uso do solo urbano no município. Belo Horizonte.

BENGTSSON, L.; GRAHN, L.; OLSSON, J. Hydrological function of a thin extensive green roof in southern Sweden. Hydrology Research, v. 36, n. 3, p. 259-26, 2005.

CAMARGO, L. A.; ZAQUE, R. A. M.; MATOS, F. L. D.; MENEZES FILHO, F. C. M. Diagnóstico da rede de drenagem urbana em uma área pertencente à bacia do córrego do barbado, Cuiabá-MT, utilizando o aplicativo computacional DIMGAP 1.0. ECV - UFV - CRP, [S. l.], p. 1-10, 8 mar. 2018.

DOS SANTOS, D. R. Análise dos sistemas de drenagem de águas pluviais do município de Rio Paranaíba – MG. Trabalho de Conclusão de Curso em Engenharia Civil, Universidade Federal de Viçosa 2014.

FONSECA, A. S. O.; MARQUES, C. D. Valoração ambiental do uso de infraestruturas verdes em unidade residencial. Trabalho de Conclusão de Curso em Engenharia Civil. Universidade Federal de Viçosa, 2018.

GPRH. GRUPO DE PESQUISA EM RECURSOS HÍDRICOS – UFV. Pluvio 2.1. Disponível em: http://www.gprh.ufv.br/?area=softwares. Acesso em: outubro de 2019.

MENEZES FILHO, F. C. M. DE; AMARAL, D. B. Histórico da expansão urbana e ocorrência de inundações na cidade de Cuiabá-MT. Sociedade & Natureza, v. 26, n. 1, 13 maio 2014.

MENEZES FILHO, F. C. M. Sistematização para projetos de galerias de águas pluviais. Dissertação de Mestrado em Engenharia do Meio Ambiente, Universidade Federal de Goiás, 2007.

MENEZES FILHO, F. C. M.; RODRIGUES, A. L. M. Avaliação do saneamento ambiental por meio da proposição e aplicação de índices de percepção e satisfação populacional. Holos Environment, v. 17, n. 1, p. 122-137, 2017.

MENDES, H. C; MENDIONDO, E. M. Histórico da expansão urbana e incidência de inundações: o caso da Bacia do Gregório, São Carlos-SP. Revista Brasileira de Recursos Hídricos. RBRH. vol. 12. n.1. jan/mar. 2007, 17-27.

OLIVEIRA, L. F. G. S. Dimensionamento e análise de desempenho hidráulico de estacionamentos com drenagem convencional e pavimento permeável, apoiado por modelagem computacional. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2018.

OLIVEIRA, L. A casa da nova classe média brasileira. Disponível em: https://delas.ig.com.br/casa/decoracao/a-casa-da-nova-classe-media-515 brasileira/n1237964417299.html. Acesso em: 01 dez, 2019.

ONO, B. W.; BALBO, J. T.; CARGNIN, A. Análise da capacidade de infiltração em pavimento permeável de bloco de concreto unidirecionalmente articulado. Transportes, v. 25, n. 3, p. 90-101, 2017.

PALMEIRA, A. N. Balanço de energia em telhado verde. Universidade Federal de Santa Maria. Centro de Tecnologia. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental 2016.

RANGEL, A. C. L. C.; ARANHA, K. C.; DA SILVA, M. B. C. Os telhados verdes nas políticas ambientais como medida indutora para a sustentabilidade. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 35, 2015.

SAVI, A. C. Telhados verdes: análise comparativa de custo com sistemas tradicionais de cobertura. Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Departamento Acadêmico de Construção Civil. Curso de Especialização em Construções Sustentáveis II. 2012.

SÃO PAULO. Lei 16.402 de 31 de julho de 2014. Disciplina o parcelamento, o uso e a ocupação do solo no Município de São Paulo. São Paulo.

SCARASSATTI, M. R. N. Telhados verdes extensivos: Influência da composição do substrato no controle qualitativo e quantitativo das águas pluviais. Universidade Federal de Mato Grosso. Faculdade de arquitetura, engenharia e tecnologia. Programa de pós-graduação em recursos hídricos. 2019.

SILVA, F. C. M.; SIQUEIRA, J. P.; ARAGÃO, S. F. Telhados verdes e seus benefícios à sociedade e ao meio ambiente. Unitoledo. 2017.

SILVA, L. H.; MENEZES FILHO, F. C. M. Avaliação da eficiência hidrológica de pavimentos permeáveis e sistemas de biorretenção em loteamento residencial. REEC-Revista Eletrônica de Engenharia Civil, v. 15, n. 2, p. 17-34, 2019.

THOMLE, J. N. The declining pH of waters exposed to pervious concrete. Doctoral dissertation. Washington State University, 2010.

VIJAYARAGHAVAN, K. Green roofs: A critical review on the role of components, benefits, limitations and trends. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 57, p. 740–752, 2016.

ZAQUE, R. A. M.; DE MENEZES FILHO, F. C. M. DIMGAP 1.0: Aplicativo para o dimensionamento de galerias de águas pluviais e análise de custos envolvidos. XIX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, Maceió, 2011.

Downloads

Publicado

2022-05-24

Como Citar

DUTRA JÚNIOR, S. A.; MENEZES FILHO, F. C. M. de. BENEFÍCIOS DA IMPLANTAÇÃO DE TÉCNICAS COMPENSATÓRIAS SOB CENÁRIOS DISTINTOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO . REEC - Revista Eletrônica de Engenharia Civil, Goiânia, v. 18, n. 1, p. 38–52, 2022. DOI: 10.5216/reec.v18i1.65853. Disponível em: https://revistas.ufg.br/reec/article/view/65853. Acesso em: 13 ago. 2022.