AVALIAÇÃO DA PREVISÃO SEMI-EMPÍRICA DA CAPACIDADE DE CARGA DE ESTACAS ESCAVADAS E HÉLICE-CONTÍNUA A PARTIR DE RESULTADOS DE PCEs INSTRUMENTADAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/reec.v18i2.61838

Palavras-chave:

Capacidade de carga, Estacas sem deslocamento, Métodos semi-empíricos, Provas de carga instrumentadas, Ensaios de campo

Resumo

RESUMO: Métodos semi-empíricos de previsão da capacidade de carga de estacas baseados em sondagens SPT devem ser usados com cautela, observando-se as particularidades de cada situação. Dada a ampla utilização desses métodos, em um contexto de otimização de projetos de fundações é fundamental analisá-los à luz de dados mais refinados. Neste sentido, esse trabalho tem como objetivo avaliar a performance de alguns métodos semi-empíricos brasileiros a partir de resultados de provas de carga estáticas instrumentadas (PCEIs), que por fornecerem dados reais de transferência de carga, possibilitam uma análise mais refinada dos métodos. Para tal, trabalhou-se com um banco de dados de 42 PCEIs (21 em estacas escavadas e 21 em hélice contínua). As previsões semi-empíricas de capacidade de carga de cada parcela resistente foram comparadas aos valores medidos nas PCEIs. Observou-se que os métodos apresentam baixa exatidão na previsão das cargas lateral e de ponta, com resultados ligeiramente melhores para a carga total. Nota-se também uma grande dispersão de resultados, sobretudo para estacas escavadas e para a parcela resistente de ponta. Ainda, observou-se que para estacas de grande diâmetro os resultados foram mais satisfatórios. As análises ressaltam a importância de se avaliar a previsão de comportamento de estacas em termos de transferência de carga, dada as diferenças expressivas de resultados entre os componentes da capacidade de carga. 

ABSTRACT: Semi-empirical methods for pile bearing capacity prediction based on SPT should be used with caution, considering the particularities of each situation. Given the wide use of these methods, in a context of optimization of foundation design it is fundamental to analyze them in the light of more refined data. In this sense, this paper aims to evaluate the performance of some Brazilian semi-empirical methods from the results of instrumented static load tests (ISLT), which, by providing real data of load distribution along the pile, allow a more refined analysis of the methods. For this purpose, a database of 42 ISLT (21 of bored piles and 21 of continuous flight auger piles) was used. The semi-empirical predictions of ultimate shaft and tip resistance and bearing capacity were compared to the values measured in the ISLT. There was also a large scatter of results, especially for bored piles and for the tip resistance. Furthermore, it was observed that for large diameter piles the results were more satisfactory. The analyses highlight the importance of evaluating the prediction of pile behavior in terms of load transfer, given the significant differences in results between the components of load capacity.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bismarck Chaussê Oliveira, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Gabriella Cândida de Paula Limiro, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Maurício Martines Sales, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Referências

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6122: Projeto e execução de fundações. Rio de Janeiro, 2019, 108 p.

ALBUQUERQUE, P. J. R. Estacas escavadas, hélice contínua e ômega: Estudo do comportamento à compressão em solo residual de diabásio, através de provas de carga instrumentadas em profundidade. 2001. 263f. Tese (Doutorado em Engenharia) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

ALBUQUERQUE, P. J. R.; MELO, B. N.; CARVALHO, D.; NOGUEIRA, R. C. R. Avaliação da capacidade de carga de estacas raiz e escavada convencional, instrumentadas, em solos de diabásio. In: V Seminário De Engenharia Geotécnica Do Rio Grande Do Sul – GeoRS, 2009, Pelotas. Anais... São Paulo: ABMS, 2009. v. 1.

ALLEDI, C. T. D. B. Transferência de carga de estacas hélice contínua instrumentadas em profundidade. 2013. 271f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.

AMANN, K. A. P. Metodologia semiempírica unificada para a estimativa da capacidade de carga de estacas. 2010. 430f. Tese (Doutorado em Engenharia) – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. 2 v.

ANTUNES, W R.; CABRAL, D. A. Capacidade de carga de estacas hélice continua. In: III SEFE, 1996, São Paulo. Anais... São Paulo, 1996. v. 2, 105-109 p.

AOKI, N.; VELLOSO, D. A. An approximate method to estimate the bearing capacity of piles. In: 5th Pan American CSMFE, 1975, Buenos Aires. Proceedings... Buenos Aires, 1975. v. 1, 367-376 p.

BENETTI, L. B. Estacas hélice contínua executadas em solos da formação guabirotuba: Estudo do comportamento e reavaliação de métodos semiempíricos de previsão da capacidade de carga. 2016. 257f. Dissertação (Mestrado) – Setor de Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Construção Civil, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

BRIAUD, J. L.; BALLOUZ, M.; NARS, G. Static capacity prediction by dynamic methods for three bored piles. Journal of Geotechnical and Geoenvironmental Engineering, ASCE, v. 126, 2000, 640-649 p.

CINTRA, J. C. A.; AOKI, N. Fundações por estacas: projeto geotécnico. 1. ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2010. 93 p.

DÉCOURT, L. A ruptura de fundações avaliada com base no conceito de rigidez. In: III SEFE, 1996, São Paulo. Anais... São Paulo, 1996. v. 1, 215-224 p.

DÉCOURT, L.; BELINCANTA, A.; QUARESMA FILHO, A.R. (1989). Brazilian experience on SPT. XII International Conference on Soil Mechanics and Geotechnical Engineering. Supplement, Contributions by the Brazilian Society for Soil Mechanics. Rio de Janeiro: ABMS/ISSMGE, 1989, 49-54 p.

DÉCOURT, L.; QUARESMA, A. R. Capacidade de carga de estacas a partir de valores de SPT. In: VI CBMSEF, 1978, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 1978. v. 1, 45-53 p.

FLEMING, K.; WELTMAN, A.; RANDOLPH, M.; ELSON, K. Piling engineering. 3. ed. London, New York: Taylor & Francis, 2009. 398 p.

FONTOURA, S. A. B.; VELLOSO. P. P. C.; PEDROSA, M. G. A. Análise da capacidade de carga de uma estaca escavada, com instrumentação no fuste. In: VII CBMSEF, 1982, Olinda. Anais... Rio de Janeiro. 1982. v. 1, 221-235 p.

FRANÇA, D. C. Provas de cargas estáticas instrumentadas em profundidade em estacas escavadas de grande diâmetro (estacões). 2011. 162f. Dissertação (Mestrado) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

GOTLIEB, M.; PENNA, A. S. D.; ROMANO Jr, R.; RODRIGUES, L. H. D. Um método simples para avaliação da tensão admissível no topo de estacas tipo hélice contínua. In: IV Seminário de Engenharia de Fundações Especiais e Geotecnia, 2000, São Paulo. Anais... São Paulo, 2000. v. 1, 312-319 p.

HANIFAH, A.A.; KAI, L.S. Application of Global Strain Extensometer (GLOSTREXT) Method for Instrumented Bored Piles in Malaysia. In: 10th International Conference on Piling and Deep Foundations, 2006, Amsterdam. Proceedings... Amsterdam, 2006. v. 1.

HUSSEIN, M.; CAMP, W. Dynamic and static tests on driven and cast-in-place piles. In: 1st INTERNATIONAL CONFERENCE ON DESINGN AND CONSTRUCTION OF DEEP FOUNDATIONS, 1994, Orlando. Proceedings... Washington: FHWA, 1994, v. 2, 1103-1117 p.

LANGONE, M. J. Método UFRGS de previsão da capacidade de carga em estacas: análise de provas de carga estáticas instrumentadas. 2012. 152f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

MOTA, N. M. B. Ensaios Avançados de Campo na Argila Porosa Não Saturada de Brasília: Interpretação e Aplicação em Projetos de Fundação. 2003. 335f. Tese (Doutorado) – Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, 2003.

NIENOV, F. A. Desempenho de estacas escavadas de grande diâmetro em solo arenoso sob carregamento vertical. 2016. 267f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

O'NEILL, M. W.; VIPULANANDAN, C.; ATA, A.; TAN, F. Axial Performance of Continuous-Flight-auger Piles for Bearing. Texas Department of Transportation Report. n. 7-3940-2, Center for Innovative Grouting Materials and Technology, University of Houston, Houston, 1999. 254 p.

ODEBRECHT, E. Medidas de energia no ensaio do SPT. 2003. 232f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

PEREIRA, D. A. Análise de provas de carga estática instrumentadas em estacas escavadas em areia. 2016. 190f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Construção Civil) – Setor de Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Construção Civil, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2016.

PEREZ, N. B. M. Análise de transferência de carga em estacas escavadas em solo da região de Campinas/SP. 2014. 205f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.

REIFFSTECK, P. ISP5 Pile Prediction Revisited. In: International Foundation Congress and Equipment Expo Conference Topics In In Situ Testing, Analysis and Reliability of Foundations (GSP 186), 2009, Paris. Proceedings... ASCE, 2009, 50-57 p.

SCHNAID, F.; ODEBRECHT, E. Ensaios de campo e suas aplicações à engenharia de fundações. 2. ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2012. 224 p.

SCHULZE, T. Análise da capacidade de carga de estaca escavada instrumentada de pequeno diâmetro por meio de métodos semi-empíricos. 2013. 127f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2013.

SILVA, C. M. Energia e confiabilidade aplicadas aos estaqueamentos tipo hélice contínua. 2011. 311f. Tese (Doutorado) – Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

SKEMPTON, A. W. Standard penetration test procedures and the effects in sands of overburden pressure, relative density, particle size, ageing and overconsolidation. Géotechnique, v. 30, n. 3, 1986, 425-447 p.

SOARES, J. M. Estudo Numérico Experimental da Interação Solo-Estrutura em dois Edifícios do Distrito Federal. 2004. 265f. Tese (Doutorado) – Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, 2004.

TEIXEIRA, A. H. Projeto e execução de fundações. In: III SEFE, 1996, São Paulo. Anais... São Paulo, 1996. v. 1.

VAN DER VEEN, C. The bearing capacity of a pile. In: 3th ICSMFE, 1953, Zurich. Proceedings... Zurich, 1953. v. 2, 84-90 p.

VELLOSO, P. P. C. Estacas em solo: dados para a estimativa do comprimento, Ciclo de Palestras sobre Estacas Escavadas, Clube de Engenharia, Rio de Janeiro, 1981.

Downloads

Publicado

2022-12-27

Como Citar

OLIVEIRA, B. C.; DE PAULA LIMIRO, G. C.; SALES, M. M. AVALIAÇÃO DA PREVISÃO SEMI-EMPÍRICA DA CAPACIDADE DE CARGA DE ESTACAS ESCAVADAS E HÉLICE-CONTÍNUA A PARTIR DE RESULTADOS DE PCEs INSTRUMENTADAS. REEC - Revista Eletrônica de Engenharia Civil, Goiânia, v. 18, n. 2, p. 136–155, 2022. DOI: 10.5216/reec.v18i2.61838. Disponível em: https://revistas.ufg.br/reec/article/view/61838. Acesso em: 22 abr. 2024.