PROFESSOR DE APOIO, PROFESSOR REGENTE E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INCLUSIVAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/rppoi.v19.63715

Resumo

O artigo é resultado de uma pesquisa concluída em 2019, a pergunta que norteia esse trabalho é quais são os critérios utilizados por uma rede municipal de educação para selecionar os professores de apoio e professores regentes que atuam com o público alvo da educação especial. Tem como objetivos analisar como tem acontecido a entrada de professores para trabalhar com alunos público alvo da educação especial e as práticas de inclusão no espaço escolar. A metodologia definida foi a pesquisa colaborativa, que investiga não sobre o professor e sim com o professor. A pesquisa evidenciou que a seleção para função de professor de apoio não segue os critérios postos pela legislação do Estado de Goiás. As práticas pedagógicas, por sua vez, ainda se caracterizam como segregadoras ao retirar o aluno da sala regular e o Atendimento Educacional Especializado têm se caracterizado como um reforço escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Ribeiro Aleluia Picolini, Universidade Federal de Goiás/Regional Catalão

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Goiás/ Regional Catalão. Graduada em Pedagogia pela UFG; pós-graduada em Atendimento Educacional Especializado na perspectiva Inclusiva- UFG/ Regional Catalão; Educação Especial e AEE pela UCAM e Psicopedagogia pela FCA. Membro do grupo de pesquisa NEPPEIN- Núcleo de Pesquisas em Práticas Educativas e Inclusão- UFG/RC. Professora efetiva da Secretaria Estadual de Educação de Goiás.

Maria Marta Lopes Flores

Doutora em Educação. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação UFG/RC.

Referências

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 2005, 65 p.Disponível em https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/70320/65.pdf

______. Resolução CNE/CEB nº 2, de 11 de setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para Educação Especial na Educação Básica/Secretaria de Educação Especial.Brasília.MEC/SEESP,2001.Disponível em: portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/diretrizes.pdf . Acesso em janeiro 2018.

______. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva Brasília.MEC/SEESP, 2008. Disponível em: portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf . Acesso em janeiro 2018

______. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência) (LBI).

CAPELLINI, Vera Lúcia Messias Fialho; MENDES, Enicéia Gonçalves. O ensino colaborativo favorecendo o desenvolvimento profissional para a inclusão escolar. Educere e Educare, nº4, v.2, p.113-128, jul/dez, 2007.

CARDOSO, Camila Rocha. A organização do trabalho pedagógico, funcionamento e avaliação no atendimento educacional especializado em salas de recursos multifuncionais. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Goiás, Regional Catalão, 2013.

FLORES, Maria Marta Lopes. Políticas de Inclusão escolar em Goiás: o papel dos professores de apoio. In: VII ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO ESPECIAL. Londrina de 08 a 10 novembro. Anais...Londrina,p.3709-3720, 2011.

GÓES, Maria Cecília Rafael de. Relações entre Desenvolvimento Humano, Deficiência e Educação: Contribuições da Abordagem Histórico-Cultural. In: OLIVEIRA, M.K.de; REGO, T. C.; SOUZA, D.T. R. (Org.)Psicologia, Educação e as temáticas da vida contemporânea. São Paulo: Moderna, 2002.

GOIÁS. Resolução CEE N. 07 de 15/12/2006. Estabelece Normas e Parâmetros para a Educação Inclusiva e Educação Especial no Sistema Educativo de Goiás. Conselho Estadual de Educação de Goiás. 2006.

______.Diretrizes Operacionais da Rede Pública Estadual de Ensino de Goiás2011/2012.Disponívelem: www.educacao.go.gov.br/documentos/Diretrizes2011.pdf .Acesso em: junho 2018

______.Diretrizes Operacionais da Rede Pública Estadual de Ensino de Goiás2016/2017.Disponível em: portal.seduc.go.gov.br/.../Diretrizes%202016-2017%20-%20ENSINO%20MÉDIO.pdf Acesso em: julho 2018

GLAT. R.; NOGUEIRA, M. L. de L. Políticas educacionais e a formação de professores para a educação inclusiva no Brasil. Comunicações.CadernodoPrograma de Pós-Graduação, ano 10, nº1, junho, 2003.

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa colaborativa: investigação, formação eprodução de conhecimento. Brasília: Líber Livro Editora, 2008. 136 p.

LAPLANE, Adriana Lia Friszman de. O atendimento educacional especializado no contexto da inclusão. In: CHACON, M.C.M.;MARIN, M.J.S.(Orgs.). Educação eSaúde de grupos especiais. Marília: Oficina Universitária, São Paulo:Cultura Acadêmica, 2012.

MENDES, Enicéia Gonçalves; VILARONGA, Carla A.R.; ZERBATO, Ana Paula. Ensino Colaborativo como apoio à inclusão escolar:unindo esforços entre Educação comum e Especial. São Carlos: EdUFSCar, 2014.160p.

OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno de; SANTOS, Tânia Regina Lobato dos. Educação Inclusiva: Reflexões sobre a política de formação de professores de uma rede municipal de ensino da Amazônia Parense. In: CAIADO, Katia Regina Moreno; JESUS, Denise Meyrelles de; BAPTISTA, Claudio Roberto (orgs). Professores e Educação Especial: formação em foco.v. 2. Porto Alegre: Mediação/CDV/FACITEC, 2011.

OLIVEIRA, Anna Augusta Sampaio de; LEITE, Lucia Pereira.Construção de um sistema educacional inclusivo: um desafio político- pedagógico.Ensaio: aval. pol.públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 15, n. 57, p. 511-524, out./dez. 2007

PLETSCH, M. D. A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes políticas e resultados de pesquisas. Rev. Educ., Curitiba, nº 33, Editora UFPR, 2009.

PRADO, Danielle Nunes Martins do; VITALIANO, Célia Regina. Análises de Políticas Educacionais referentes ao professor de apoio em classes inclusivas.Teias, v.18 n.49, 2017 (abr./jun): Ensino de Língua materna no ensino médio.

SILVA, M.R.; TARTUCI, D.; DEUS, D.C.M. de. A formação dos professores de Atendimento Educacional Especializado de Goiás e a Ressignificação de Saberes Docentes.In: MENDES, E.G.; CIA, F.; CABRAL, L.S.A. (orgs). Inclusão Escolar e os Desafios para a Formação de Professores em Educação Especial. São Carlos: Marquezine &Manzini:ABPEE, 2015.ISBN:978-85-67256-21-4.

SOARES, Maria Aparecida Leite; CARVALHO, Maria de Fátima. O professor e o alunocom deficiência. São Paulo: Cortez, 2012

TARTUCI, Dúlceria.Professor de apoio, seu papel e atuação na escolarização de estudantes com necessidades educacionais especiais em Goiás. In: VII ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO ESPECIAL. Londrina de 08 a 10 novembro. Anais...Londrina, p. 1780-1793, 2011

VÍCTOR, Sonia Lopes; OLIVEIRA, Ivone Martins de. Trabalho docente e formação: o que dizem os professores da educação especial?. Revista Profissão Docente, Uberaba, v.17, n.36, p.41-54, jan./jul. 2017.

Downloads

Publicado

07-09-2021

Como Citar

Picolini, B. R. A., & Lopes Flores, M. M. (2021). PROFESSOR DE APOIO, PROFESSOR REGENTE E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INCLUSIVAS. Poíesis Pedagógica, 19(contínuo). https://doi.org/10.5216/rppoi.v19.63715