RELATOS AUTOBIOGRÁFICOS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES EM GEOCIÊNCIAS E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Autores

  • Ermelinda Moutinho Pataca Professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.
  • Naiane Pereira de Melo Aluna da Licenciatura em Geociências de Educação ambiental/USP.
  • Elder de Lima Magalhães Aluno da Licenciatura em Geociências de Educação ambiental/USP.
  • Luis Anselmo da Costa Nascimento Ifanger Aluno da Licenciatura em Geociências de Educação ambiental/USP.

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v9i1.15676

Resumo

Apesar da grande importância do conhecimento em Geociências na formação dos indivíduos para o exercício da cidadania, o espaço destinado a este campo do saber no currículo da Educação Básica no Brasil é mínimo. A necessidade de criação de um curso de licenciatura em Geociências como possibilidade de inclusão dos conteúdos geocientíficos nos currículos do Ensino Fundamental e médio se concretizou em 2004 com a criação da Licenciatura em Geociências e Educação Ambiental (LiGEA) na USP. Neste trabalho, avaliamos como a história de vida tem sido utilizada na formação de professores no LiGEA, através da análise de três relatos autobiográficos resultantes de pesquisas de Iniciação Científica realizadas por graduandos da licenciatura, que pesquisam seu próprio curso através da pesquisa-ação participante. Até o momento, investigamos principalmente o desenvolvimento dos estágios e a caracterização histórico-epistemológica da área de ensino em Geociências e Educação Ambiental que está surgindo. A história de vida serviu como instrumento essencial para a definição metodológica das pesquisas, para a avaliação do processo formativo, para a definição da identidade docente e para a avaliação do currículo do curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-09-17