MEMORIAL E NARRATIVA: PROPULSORES DO DOCENTE REFLEXIVO NA INVENÇÃO DE SI PARA A CULTURA DE PAZ

Autores

  • Camila da Silva Fabis

DOI:

https://doi.org/10.5216/rpp.v8i1.12176

Resumo

O presente texto discute as possibilidades oferecidas pela narrativa em Ricoeur como metodologia de (auto)formação na construção do docente crítico e investigativo em busca de uma formação humana de professores para a Cultura de Paz. Sirvo-me de ricas contribuições de autores como, Josso, Nóvoa, Abrahão, para compor a escrita reflexiva neste texto acerca das histórias de vida e das experiências de formação. Tomo como referência a experiência em pesquisa no campo da violência nas escolas para compreender a importante trajetória de professores diante desta realidade. Nessa linha, conto como trilhar pelos caminhos teórico-metodológicos da narrativa de vida, junto aos educadores/pesquisadores que mobilizaram-se para os estudos da paz, pode promover reflexões acerca de uma formação que se (re) inventa na correlação com o tempo e a narrativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-10-18