PORNOGRAFIA DA MORTE: UMA LEITURA DE MULHERES EMPILHADAS, DE PATRÍCIA MELO

Autores

Resumo

Este artigo analisa a representação da violência de gênero no romance Mulheres Empilhadas (2019), de Patrícia Melo, em elementos como a masculinidade tóxica e a pornografia. A análise aqui proposta se vale de dados oficiais acerca da violência contra a mulher no Brasil, assim como de conceitos relevantes aos estudos de gênero. Tendo o feminicídio como tema central, o livro também aborda questões congêneres, como o sexismo presente no sistema judiciário, ainda regido por uma mentalidade patriarcal, e mostra como a ficção pode refletir a realidade ao mesmo tempo em que a questiona. A hipótese é a de que, ao tratar da pornografia—desde a comercial até o revenge porn—a autora-criadora mostra que sua visão de mundo está alinhada à das feministas anti-pornografia, que entendem esse tipo de conteúdo como um dos pilares que sustentam a misoginia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pauliane AMARAL , Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMT), Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil, paulianeamaral@gmail.com

Mestranda em Estudos de Linguagens e pesquisadora com ênfase na área de teoria literária e literatura brasileira, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Downloads

Publicado

2022-01-26

Como Citar

AMARAL , P. . PORNOGRAFIA DA MORTE: UMA LEITURA DE MULHERES EMPILHADAS, DE PATRÍCIA MELO. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Goiânia, v. 25, n. 1, p. 71–84, 2022. Disponível em: https://revistas.ufg.br/lep/article/view/71660. Acesso em: 4 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos de temática livre