A MATERIALIDADE DA FORÇA POÉTICA IN CONCERT: LITERATURA PURA

  • Gilson VENTURA Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Resumo

Resumo: Seja em um grande evento musical popular, um concerto de apresentações clássica das sonatas de Corelli, Couperin ou Bach, ou ainda nos sons da moda de viola em volta das fogueiras nos mais rigorosos invernos. Não importa. Qualquer que seja o estilo ou a dimensão musical vê-se que ao assistirmos uma música executada no momento mesmo em que a consumimo-la, se observarmos mais aprofundadamente, perceberemos que há sim uma diferença entre essa música, produzida no momento exato de sua audição e aquela apenas ouvida no aparelho do quarto ou no rádio do caminhão. Ou ainda essa música executada e consumida instantaneamente será diferente daquela assistida pela ajuda da tecnologia pelos práticos DVDs. Essas três formas de ouvir música é o tema desse artigo que procurará analisar a magia do momento experimentado pelos expectadores de uma música que não foi gravada em áudio, tampouco em imagens, mas a música criada no aqui e agora. Tal análise far-se-á em harmonia da relação que há entre tal fenômeno e a Literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilson VENTURA, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Mestre em Letras, pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Publicado
05-06-2020
Como Citar
VENTURA, G. (2020). A MATERIALIDADE DA FORÇA POÉTICA IN CONCERT: LITERATURA PURA. Linguagem: Estudos E Pesquisas, 23(2), 25-37. https://doi.org/10.5216/lep.v23i2.60978
Seção
Literatura contemporânea e/ou suas interfaces