IONESCO, JOYCE E SHAKESPEARE NO CINEMA DE MANOEL DE OLIVEIRA

  • Kedrini Domingos dos SANTOS UNESP – Uiversidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciencias e Letras.

Resumo

A literatura e o cinema constituem-se como sistemas semióticos distintos, aspecto que evidencia a complexidade da relação entre essas artes. A literatura apresenta temas e estruturas narrativas que podem inspirar o trabalho cinematográfico. Ambas as artes podem provocar emoções e sentimentos no homem através de suas imagens: enquanto a literatura associa-se à imaginação, o cinema coloca a imagem diante do espectador. Considerando o cinema do cineasta português Manoel de Oliveira, e ciente do diálogo que ele mantém com outras artes, especialmente com a literatura, buscaremos observar, a partir do filme Je rentre à la Maison, o intertexto do filme com três grandes obras: As peças teatrais: Le roi se meurt, de Ionesco e A tempestade, de Shakespeare, e o romance Ulisses, de James Joyce. Procuraremos compreender como essas obras literárias se integram no universo fílmico oliveriano, tornando-se parte fundamental para a construção do sentido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kedrini Domingos dos SANTOS, UNESP – Uiversidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciencias e Letras.

Doutora em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista (UNESP/Araraquara.

Publicado
05-06-2020
Como Citar
Domingos dos SANTOS, K. (2020). IONESCO, JOYCE E SHAKESPEARE NO CINEMA DE MANOEL DE OLIVEIRA. Linguagem: Estudos E Pesquisas, 23(2), 39-61. https://doi.org/10.5216/lep.v23i2.60164
Seção
Literatura contemporânea e/ou suas interfaces