DA NEGRITUDE À REALIDADE DO NEGRO NOS POEMAS DE AGOSTINHO NETO E GERALDO BESSA VICTOR

Autores

  • Salvador B. Domingos TITO Universidade da Beira Interior

DOI:

https://doi.org/10.5216/lep.v22i2.56552

Resumo

A negritude foi um ideal bastante importante nas literaturas africanas de expressão portuguesa. Esta literatura nasce do contacto entre duas culturas, a africana e a portuguesa. Assim, enquanto desenvolvidas, as literaturas africanas lusófonas assumiram diversos papéis, dos quais, serviram para contestar os males horrendos, causados maioritariamente pelo colonialismo, e ainda para apresentar a realidade penosa do negro. O presente artigo teve como intuito explicar a trajetória da negritude enquanto movimento literário, circunscrevendo o seu percurso nas literaturas africanas de expressão portuguesa, de modo particular na literatura angolana. Deste modo, para que se constatasse a real situação do negro foram analisados os poemas de dois escritores angolanos, Agostinho Neto e Geraldo Bessa Victor. Porém, a realização da análise dos poemas permitiu verificar como os dois autores que se revestiram do espírito da negritude, exprimem a realidade do homem negro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Salvador B. Domingos TITO, Universidade da Beira Interior

Mestre em Estudos Lusófonos na Faculdade de Artes e Letras da Universidade da Beira Interior.

Downloads

Publicado

2019-01-01

Como Citar

TITO, S. B. D. DA NEGRITUDE À REALIDADE DO NEGRO NOS POEMAS DE AGOSTINHO NETO E GERALDO BESSA VICTOR. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Goiânia, v. 22, n. 2, 2019. DOI: 10.5216/lep.v22i2.56552. Disponível em: https://revistas.ufg.br/lep/article/view/56552. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Vozes de África