A ESCRITA DE SI DAS MISSIVAS: REFLEXÕES HISTORIOGRÁFICAS E LITERÁRIAS

Autores

  • Manuel VERONEZ Universidade Federal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.5216/lep.v19i1.39901

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar uma reflexão acerca da escrita de si do gênero epistolar. Para tanto, utiliza-se como aporte teórico Foucault (1992), Gomes (2007), entre outros, visando a discutir a forma de apresentação e ação desta prática de escrita, principalmente dentro das missivas, bem como sua possível colaboração para os estudos da historiografia literária e da literatura brasileira. Como recorte, elegeu-se a escola literária intitulada “modernismo brasileiro”, mais especificamente, um fragmento de uma carta trocada entre Mário de Andrade e Carlos Drummond de Andrade, concebida como material historiográfico pertencente ao gênero em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manuel VERONEZ, Universidade Federal de Uberlândia

Mestre em Estudos Literários (bolsa FAPEMIG), pela Universidade Federal de Uberlândia. Atualmente, doutorando em Estudos Linguísticos (bolsista CAPES), pelo Instituto de Letras e Linguística, da Universidade Federal de Uberlândia.

Downloads

Publicado

2016-02-22

Como Citar

VERONEZ, M. A ESCRITA DE SI DAS MISSIVAS: REFLEXÕES HISTORIOGRÁFICAS E LITERÁRIAS. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Goiânia, v. 19, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/lep.v19i1.39901. Disponível em: https://revistas.ufg.br/lep/article/view/39901. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos de temática livre