POLÍTICAS AFIRMATIVAS E LITERATURA JUVENIL: REFLEXÕES ACERCA DA REPRESENTAÇÃO DA INFÂNCIA

Autores

  • Eliane Aparecida Galvão Ribeiro FERREIRA Universidade Estadual Paulista, câmpus de Assis

DOI:

https://doi.org/10.5216/lep.v19i1.39895

Resumo

Este texto tem por objetivo refletir acerca da formação do jovem leitor no âmbito das políticas afirmativas. Para tanto, busca-se, a partir dos pressupostos da Estética da Recepção, apresentar uma análise comparativa entre os livros “Meu pé de laranja lima” (2013), do brasileiro José Mauro de Vasconcelos, e “Comandante Hussi” (2006), do cabo-verdiano Jorge Araújo (1959-). Para a consecução desse objetivo, constrói-se a hipótese de que as duas obras possuem potencialidades emancipatórias para seu leitor, que ampliam seus horizontes de expectativa.Justifica-se esta reflexão, pois essas narrativas apresentam uma estrutura de apelo cativante, que explora ternura, sofrimento e elementos alegóricos na representação do imaginário de seus protagonistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Aparecida Galvão Ribeiro FERREIRA, Universidade Estadual Paulista, câmpus de Assis

Professora Doutora em Literaturas de Língua Portuguesa na Universidade Estadual Paulista – UNESP, câmpus de Assis. Membro dos Grupos de Pesquisa “Leitura e Literatura na Escola” (UNESP) e “Discursos sobre Trabalho, Tecnologia e Identidade” (UTFPR).

Downloads

Publicado

2016-02-22

Como Citar

GALVÃO RIBEIRO FERREIRA, E. A. POLÍTICAS AFIRMATIVAS E LITERATURA JUVENIL: REFLEXÕES ACERCA DA REPRESENTAÇÃO DA INFÂNCIA. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Goiânia, v. 19, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/lep.v19i1.39895. Disponível em: https://revistas.ufg.br/lep/article/view/39895. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Faces e interfaces da literatura infantil e juvenil