METAFICÇÃO E A FORMAÇÃO DO JOVEM LEITOR NA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA

Autores

  • Diana NAVAS Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5216/lep.v19i1.39889

Resumo

A metaficção, definida por Linda Hutcheon como “fiction about fiction – that is, fiction that includes within itself a commentary on its own narrative and/or linguistic identity” (1984, p. 1), é uma tendência contemporânea em progressiva expansão na literatura infantojuvenil. Questiona-se, entretanto, neste artigo, se a narrativa de cunho metaficcional pode permitir a construção de um leitor mais crítico e reflexivo. Em caso afirmativo, indaga-se, ainda, como essa ruptura na forma tradicional de escrever literatura destinada preferencialmente a jovens e crianças pode contribuir para que o leitor seja concebido como um colaborador e não como mero consumidor passivo de uma obra literária.No intento de responder a tais questionamentos, o estudo recorrerá às concepções teóricas de Linda Hutcheon (1984) e Patricia Waugh (1984), no que concerne à metaficção, bem como ao posicionamento de Teresa Colomer, (2003) no tocante à presença de estratégias metaficcionais na atual literatura infantojuvenil. Para a consecução do objetivo, tomam-se como objetos de estudo as obras “Fazendo Ana Paz” (1991) e “Retratos de Carolina” (2002), de Lygia Bojunga Nunes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diana NAVAS, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Professora Doutora do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária pela PUC-SP, ministra disciplinas referentes ao estudo da literatura juvenil portuguesa e brasileira. Realizou seu pós-doutorado na Universidade de Aveiro (Portugal), centrando sua pesquisa nas Tendências da Literatura Juvenil Contemporânea.

Downloads

Publicado

2016-02-22

Como Citar

NAVAS, D. METAFICÇÃO E A FORMAÇÃO DO JOVEM LEITOR NA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Goiânia, v. 19, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/lep.v19i1.39889. Disponível em: https://revistas.ufg.br/lep/article/view/39889. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Faces e interfaces da literatura infantil e juvenil