TRAIÇÃO & TRAIÇÕES DOI: 10.5216/lep.v14il.23962

Autores

  • Maria Aparecida CONTI Universidade Federal de Uberlandia

Resumo

Propomos, neste trabalho, discutir sobre o tema “traição”, presente na obra de teatro “Calabar, o elogio da traição” de Chico Buarque e Ruy Guerra, sob a perspectiva da Análise do Discurso de linha francesa. Para atingirmos este propósito observamos as colagens existentes na obra. A abertura do texto “Elogio da Loucura” (1509), que critica a corrupção eclesiástica, o dogmatismo da filosofia escolástica e a superstição por meio de uma aparente crítica da razão, escrito por Erasmo de Roterdã, filsofo do século V, é empregado por hico Buarue e Ru uerra, por meio da técnica de colagem, no texto “Calabar, o elogio da traição” para criticar o comportamento social diante das evidências, no caso, da omissão ante a repressão imposta pelo governo ditatorial. Essa apropriação se configuraria em uma traição, não fosse a ressemantização que essa colagem (e outras) adquirem ao serem inseridas na obra de teatro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida CONTI, Universidade Federal de Uberlandia

Doutoranda em Estudos Linguísticos pela UFU.

Downloads

Publicado

2015-03-09

Como Citar

CONTI, M. A. TRAIÇÃO & TRAIÇÕES DOI: 10.5216/lep.v14il.23962. Linguagem: Estudos e Pesquisas, Goiânia, v. 14, n. 1, 2015. Disponível em: https://revistas.ufg.br/lep/article/view/34365. Acesso em: 7 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos